TOURADA NA POVOA DE VARZIM

Lanço desde já o desafio aos Psicopatas Tauromáquicos, para considerarem a violência doméstica, cultura, em Portugal.
Desafio-os desde já a criarem o Movimento a favor da violência domestica em Portugal!

Mário Amorim


Câmara da Póvoa proibiu, mas já há tourada marcada para 2019

Movimento a favor das corridas de touros considera legalmente inúteis as decisões da autarquia, que anunciou que a Homenagem aos Emigrantes, amanhã, seria a última da cidade. E já marcou a primeira do próximo ano

A corrida de touros de Homenagem aos Emigrantes, amanhã, não vai ser a última na Póvoa de Varzim, como tem sido anunciado pela autarquia. Quem o garante é o Movimento a Favor das Corridas de Touros na Póvoa, que já agendou mesmo para julho do próximo ano uma nova corrida na cidade.

Depois do chumbo esmagador da proibição das corridas de toiros no Parlamento, e justificado pela letra e espírito da Constituição Portuguesa, esta associação considera que a decisão tomada pela autarquia é ilegal e, como tal, inválida. Pelo que decidiu contorná-la.

“A Tourada é uma atividade cultural tutelada pelo Ministério da Cultura, apoiada por milhares de aficionados poveiros, e é protegida constitucionalmente tal como todas as formas de Cultura”, defende o Movimento. “Nenhum órgão, muito menos os municípios, tem poderes legais para proibir expressões culturais. O acesso à Cultura é um direito de todos os cidadãos, garantido pela Constituição da República Portuguesa.”

Assim sendo, a associação considera que as decisões tomadas pela Câmara Municipal da Póvoa de Varzim “são legalmente inúteis e sem qualquer efeito prático”, pelo que as corridas de toiros continuam a poder realizar-se no município, tal como em qualquer outro lugar de Portugal.

“A corrida de Homenagem aos Emigrantes, que este sábado tem lugar na Praça de Touros da Póvoa de Varzim, vai dar continuidade à demonstração de força e de apoio dadas no passado dia 20 de julho quando, no mesmo local, se realizou a XXII Grande Corrida TV Norte, com os poveiros a encherem a praça numa clara demonstração da sua posição. Esta Festa mereceu transmissão televisiva e foi um dos programas mais vistos da RTP nesse dia”, recorda o Movimento.

Mesmo com o sucessivo chumbo dos projetos que têm tentado pôr fim às corridas, as touradas têm sido alvo de vários ataques, com alguns autarcas a determinar a sua proibição, ainda que essa não seja aceite a nível nacional e de as corridas serem uma atividade cultural consagrada na Constituição, com a Lei a defender que ninguém pode determinar a escolha cultural dos cidadãos. A PróToiro, associação da atividade tauromáquica, já questionou mesmo o ministr0o da Cultura sobre estes ataques à Tauromaquia, mas até agora Luíos Filipe Castro Mendes tem mantido o silêncio.

“Estamos atentos às ações deste executivo e não deixaremos que desvirtue e destrua irremediavelmente um património que não é de um presidente de Câmara, nem de alguns poveiros, mas sim de todos os portugueses”, defende também o Movimento. “A Tourada enquanto expressão cultural não pode sofrer ataques de quem, por obrigação constitucional, a devia promover e, acima de tudo, defender.”

Fonte: DN


Corrida de Touros na Póvoa de Varzim gera protestos

Sábado, na Póvoa de Varzim, houve um protesto contra as touradas. A manifestação foi junto à Praça de Touros, onde decorria uma tourada de homenagem aos emigrantes. A assembleia municipal da Póvoa de Varzim decretou o fim destas atividades. Mas já há uma corrida de touros marcada para o ano.

Fonte: MSN

Nota: A SIC e a SIC Notícias também deram uma reportagem na Povoa de Varzim. Mas não consegui encontra-lo na Net, até agora!

MAIS SELVAJARIA TAUROMÁQUICA NA PÓVOA DE VARZIM

No asqueroso cartaz que anuncia mais um evento repugnante de tortura de bovinos, pergunta-se:

Quem ganhará? (entre eles e elas).

Obviamente ganhará a estupidez, a crueldade, a violência, a ignorância, o sadismo, a incultura, a subserviência dos autarcas poveiros ao inculto lobby tauromáquico.

PÓVOA.jpg

Os cartazes da selvajaria tauromáquica e os do circo onde se vê carrascos agarrados a leões e a cavalos, conspurcam a cidade, agridem a inteligência dos cidadãos, esmagam a sensibilidade dos seres que são verdadeiramente humanos.

A Póvoa de varzim é uma cidade onde definitivamente NÃO APETECE VIVER, ao contrário do que apregoa a propaganda municipal…

Perderá a cidade, que continua no rol das localidades com um monumental atraso civilizacional, com uma arena de tortura activa, uma cidade onde é permitido todo o tipo de maus-tratos a animais, onde se dá tiro aos pombos, onde se caça raposas, onde se tortura touros, onde animais selvagens estão enjaulados e escravizados nas arenas do circo de um cardinali…

Fonte: Arco de Almedina

A CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM PERMITE QUE SE USE UMA CRIANÇA PARA FAZER PROPAGANDA À SELVAJARIA TAUROMÁQUICA?

À ATENÇÃO DA COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE MENORES

(Repare-se em quem patrocina esta iniciativa: (JB) Aplaudir, Casa do Pessoal da RTP e CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM)

Eis o arauto da abertura da temporada da selvajaria na cidade:

um menino.

12472452_975312499225748_7130697607349935399_n[1].

Fonte: Arco de Almedina

AO CUIDADO DO PARTIDO SOCIALISTA DA PÓVOA DE VARZIM: A TV NORTE PAGOU OS OITO MIL EUROS DO ALUGUER DA ARENA DA TORTURA?

Uma localidade, seja cidade, vila ou aldeia que mantém activa uma arena de tortura de seres vivos indefesos, para diversão, sofre de um monumental atraso civilizacional.

in Dicionário Universal da Evolução da Humanidade

Até quando os poveiros terão de pagar a “factura” de viver numa cidade tão atrasada civilizacionalmente?

TOURADA PÓVOA.jpg

O presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, mostrou-se indisponível para retirar a cidade do Livro Negro da Tauromaquia, ao manter esta actividade selvática, pela quantia de oito mil euros.

Na vizinha Espanha, o antro que espalhou no mundo a barbárie tauromáquica, são às centenas os municípios que estão a abolir diariamente esta prática medieval e sádica (ainda legal), incompatível com a civilização, a modernidade e a evolução da Humanidade, estando-se nas tintas para a “legalidade” do crime.

Em Portugal, onde há por hábito adoptar o lixo estrangeiro, de qualquer proveniência, marca-se passo na evolução, e os governantes teimam em apoiar, ainda que disfarçadamente, com a desculpa da “legalidade” deste crime contra a Natureza Animal, esta selvajaria que não dignifica os “omens” que a praticam, a apoiam, a promovem e a aplaudem, e que se dizem “racionais”, desconhecendo, por completo, o conceito de racionalidade.

Um só Touro é muito mais racional, do que todos os tauricidas do mundo juntos.

Fonte: Arco de Almedina


“Um só Touro é muito mais racional, do que todos os tauricidas do mundo juntos” Ora nem mais Isabel. Sem duvida!