INDÍCIOS Crueldade animal é denominador comum entre assassinos e estupradores

Este artigo fala por si.
Por estas razões, acho absolutamente inaceitável, que a protecção de menores, continue a permitir os abusos psicológicos contra crianças, nas escolas de toureio e de forcado. E ainda mais, quando a própria ciência é clara, quando afirma que tais práticas nas crianças, são altamente lesivas ao bem-estar das crianças. Quando a ciência é cada vez mais clara, quando diz que educar uma criança, para cometer crimes contra outros animais, é educa-la a tornar-se um potencial psicopata!

Leiam e partilhem!

Mário Jorge


Estatísticas do Ministério da Justiça dos Estados Unidos revelam que 13 assassinos, 22 estupradores infantis e 99 pessoas culpadas de abuso infantil foram condenados ou advertidos pela primeira vez na infância por crueldade contra animais.

uma criança segurando uma placa de identificação. seu nome é Jon Venables. o menino cometeu crimes de crueldade contra animais.

As estatísticas do tribunal mostram uma ligação clara entre criminosos que começaram torturando e matando animais, antes de cometer crimes horrendos contra humanos.

A contagem, cobrindo os últimos 10 anos, também inclui 210 criminosos sexuais, 1,581 condenados por atacarem violentamente outras pessoas e 78 considerados culpados de abusar sexualmente de mulheres ou meninas.

Assim como os crimes de violência, havia também 569 acusações de porte de arma, 268 crimes de vandalismo e de incêndio e 179 crimes de roubo cometidos por esses infratores com crimes de crueldade contra animais em seu passado.

Os criminosos que mataram animais antes de se tornarem assassinos incluem o pistoleiro Dunblane Thomas Hamilton, e os assassinos Ian Brady, Robert Thompson e Jon Venables.

Especialistas acreditam que os criminosos que começam matando ou torturando animais na infância, frequentemente passam a realizar ataques similares a humanos. Pessoas que apresentam desejo de maltratar, torturar, ou mesmo sentem prazer ao ver o sofrimento de um animal, têm sem dúvida, um potencial psicopata.

Fonte: ANDA


Nota: O negrito é da minha responsabilidade!

Anúncios

UM DOS PRINCIPAIS DISPARATES QUE OS PSICOPATAS TAUROMÁQUICOS DIZEM!

Para os Psicopatas Tauromáquicos, a tourada é cultura.
Este é um dos principais disparates que eles dizem.

Se a tourada fosse cultura; a violência domestica seria cultura; a violação seria cultura; as guerras seriam cultura. Enfim; toda a barbaridade do homem, conta o próprio homem, seria cultura.

Por tanto; só seres com problemas psiquiátricos graves, afirmam que violência da tauromaquia, é cultura.
E ontem, mais uma vez, no caso, pela Federação dos Psicopatas tauromáquicos, isso foi afirmado. O que foi novamente revelador, da Psicopatia grave que têm!

Mário Amorim

OS PERIGOS DOS PSICOPATAS TAUROMÁQUICOS!

Os Psicopatas Tauromáquicos são um verdadeiro perigo.
Eles são Psicopatas para com o touro e para com o cavalo. E são-no também para com outros animais-humanos, tal como aconteceu em Albufeira.
Aliás, basta ouvi-los a referirem-se a quem é contra a tauromaquia, para se ver a Psicopatia que têm.
Uma das principais características dos Psicopatas, é a mentira. E os Psicopatas Tauromáquicos, mentem e sempre mentiram.

É pois cada vez mais importante que o legislador, em Portugal, tenha bem a noção dos perigos que os Psicopatas Tauromáquicos significam.

Por exemplo; as crianças, adolescentes e jovens que caem nas mãos deles, nas escolas tauromáquicas, vão imediatamente começar a serem psicologicamente moldadas para mais tarde se tornarem Psicopatas Tauromáquicos, como eles.

É pois, hora de por fim a tudo isto, com a ABOLIÇÃO da tauromaquia.

BASTA da Psicopatia da Tauromaquia em Portugal!

Mário Amorim

Violência Acção antitouradas acaba com agressões em Albufeira

Depois não gostam de ser apelidados como são.
Há muito que deixei de os apelidar de aficionados, de defensores da tauromaquia, de anti-taurinos, de pró-touradas. Pois, apelida-los destas maneiras, é não ser cientificamente rigoroso. Ser cientificamente rigoroso é apelida-los de Psicopatas Tauromáquicos. Por tanto; não é julga-los. Não é dizer mal. Não é insulta-los. É tão somente apelida-los, como o FBI, a Psiquiatria, e a Psiquiatria Forense, os apelida. E convém relembrar que a violência contra animais não-humanos, é apelidada pelo FBI, pela Psiquiatria, e pela Psiquiatria Forense, de PSICOPATA!

E em Albufeira, eles deram total razão ao FBI, à Psiquiatria e à Psiquiatria Forense. Ficou claro, em Albufeira, a  mente violenta que têm. Aliás; como o FBI, a Psiquiatria, e a Psiquiatria Forense dizem: «quem é violento para com um animal não-humano, é violento para o animal-humano!»

Mário Amorim


Uma mulher que não participou no protesto acabou por ser agredida no exterior da praça de touros e apresentou queixa à GNR.

Imagem do momento em que um dos activistas foi parado na arena, retirada da página de Facebook de Peter Janssen, activista do Vegan Strike

Mónica Gaspar, que gere um restaurante vegano em Albufeira, apresentou na quinta-feira passada uma queixa na GNR contra desconhecidos por agressões sofridas junto à praça de touros de Albufeira. “Dois homens. Pareciam animais”, descreve ao PÚBLICO. Aconteceu no momento em que a GNR retirava da praça três activistas antitouradas que tinham invadido a arena, segundo conta o Diário de Notícias nesta quarta-feira.

Um vídeo partilhado no Facebook por Peter Janssen, activista do Vegan Strike Group (que se descreve como “uma organização internacional que luta contra o abuso de animais”), mostra os activistas a serem retirados pela GNR da praça de touros, algemados.

Detidos e guardas são perseguidos por outras pessoas que, segundo se vê nas imagens, os agridem. Alguém grita: “Têm alguma coisa que vir para aqui? Se não gostas, ficas em casa.”

Mónica Gaspar, que também é activista antitouradas, conta que não participou no protesto nem foi à tourada. Estava a passar junto às traseiras da praça e apercebeu-se, diz, que algo estaria a acontecer. “Encostei-me num muro e fiquei a observar. Vi três activistas algemados, acompanhados pelos polícias, a saírem, e uma multidão atrás deles que estava a agredi-los e eu gritei ‘parem’. Dois homens vieram ter comigo.” E agrediram-na.

E prossegue: “Ainda quis ir lá dentro com um guarda para identificar um deles, mas ele [o guarda] disse-me que era perigoso.” De quinta-feira até hoje, refere, não recebeu mais nenhum contacto das autoridades.

Na sua edição desta quarta-feira, o Diário de Notícias diz que Peter Janssen, 33 anos, é um activista veterano do Vegan Strike Group que tem interrompido touradas em vários países. E que na quinta-feira, com mais dois activistas portugueses, fê-lo de novo, em Albufeira: invadiu a arena após a lide do primeiro touro.

O jornal acrescenta que foram depois perseguidos por dois militares da GNR e vários outros homens. Uma vez apanhados, foram levados para fora da praça.

Mais duas pessoas citadas no Diário de Notícias relatam ter sofrido agressões no exterior — uma delas, um homem que terá tentado ajudar Mónica quando ela foi atacada; a outra, uma mulher que diz ter sido agredida por agentes da GNR, além de acusar um agente de lhe ter apagado conteúdos do telemóvel (terá feito filmagens com o mesmo).

O Comando Nacional da GNR fez saber ao DN que “no decorrer do evento de tauromaquia verificou a existência de confrontos físicos entre aficionados e activistas, o que obrigou à intervenção da GNR, no sentido de garantir a integridade física dos manifestantes”. Mais: “O Comando Territorial de Faro mobilizou os meios necessários para repor a ordem pública.”

Confirma ainda que recebeu uma queixa — a de Mónica. No momento “em que se garantia a protecção de um dos invasores, um militar sofreu ferimentos numa das mãos”, acrescenta ainda a GNR que, segundo o DN, não respondeu às perguntas sobre a alegada agressão à mulher que terá feito as filmagens.

O PÚBLICO contactou o Comando Nacional da GNR. O oficial de dia fez saber que só nesta quinta-feira seria possível prestar informações, através do gabinete de Relações Públicas.

Fonte: Publico

DIZER QUE SÃO PSICOPATAS TAUROMAQUICOS, NÃO É DIZER MAL, NÃO É UM INSULTO. É SER CIENTIFICAMENTE CORRECTO!

Resultado de imagem para Psicopatas

Quem acompanha o meu blog, já leu nele, imensos artigos, que apelidam quem maltrata animais não-humanos de Psicopatas, porque o são, de facto.

Vamos lá relembrar!

Na década de 70 do século passado, o FBI, esteve 10 anos a estudar um grupo de assassinos em série. E ao fim desses 10 anos de estudo, o FBI, passou a apelidar quem maltrata animais não-humanos, de Psicopatas, Sociopatas, Dutopatas.
Logo depois a Psiquiatria e a Psiquiatria Forense americana, quiseram confirmar, ou não, os dados do estudo do FBI. Utilizaram os dados do FBI e os seus dados. E confirmaram que o FBI estava absolutamente correcto.

Daí em diante, o FBI, a Psiquiatria, e a Psiquiatria Forense, americana, passaram a referir-se a quem maltrata animais não-humanos, como Psicopatas.

Então; de acordo com a Ciência, o correcto, é apelidar quem gosta de tauromaquia, de Psicopatas tauromáquicos. Não é, por tanto; dizer mal, e nem insultar. É tão só ser cientificamente correcto!

Mário Amorim

ESTA É A PRINCIPAL MENTIRA DOS PSICOPATAS TAUROMÁQUICOS!

TOURO

Dizem os Psicopatas tauromáquicos que amam o touro.
– Esta alegação é a maior das mentiras que dizem. E é uma hipocrisia.
Dizem eles que por amarem o touro o torturam e o matam.
Faço-lhes uma pergunta: acham que um marido que agride a mulher ama-a?
Quem ama cuida.
Quem ama respeita o bem-estar.
Quem ama quer que seja feliz.
Quem ama, não quer que sofra.

Quem ama o touro, quer que ele viva, desde que nasceu, uma vida feliz, no seu habitat natural, até morrer.
Quem ama o touro não quer o seu sofrimento…

Se amassem o touro, tal como afirmam, entenderiam isto!

Mário Amorim

ASSIM AGEM OS COBARDES

Torturam bezerrinhos, cobardemente, cruelmente…

E pensar que o governo português acha que isto é coisa de gente normal, e a igreja católica acha que isto é coisa de católicos apostólicos romanos!

Depois não gostam que lhes chamem psicopatas!

Mas o que se vê no vídeo é uma amostra viva da psicopatia dos tauricidas: não adoram os bezerros, como dizem adorar os Touros, quase como divindades. Adoram e sentem um prazer mórbido em torturá-los. E isto é coisa de psicopatas.

Ver mais em: Arco de Almedina

Nota: Este artigo do Arco de Almedina, tem vídeo do facebook, que não pude meter, por não ter facebook!