REACÇÃO AO STRESS Tigres reagem e matam domador na Itália

Aqui um pouco mais completo.
O Circo só é bonito, quando tem apenas o animal-humano, como o Cirque du Soleil o prova.
O Circo que tem animais não-humanos, maltrata esses animais não-humanos. Não se importa minimamente com o bem-estar, com a felicidade e com os direitos desses mesmos animais não-humanos.
Estas ocorrências podem acontecer nos circos com animais não-humanos, sejam eles selvagens ou não, pois nenhum animal não-humano gosta de ser maltratado, obrigado a estar onde não quer estar e forçado a fazer o que não é da sua natureza!

Mário Amorim



Weber, que trabalhava no Circo Orfei, foi derrubado por um dos tigres e na sequência os outros três também avançaram sobre ele

O domador de tigres Ettore Weber, de 61 anos, morreu após ser atacado por quatro tigres durante um treinamento em Triggiano, na província de Bari, na Itália. O caso ocorreu na última quinta-feira (4).

Weber, que trabalhava no Circo Orfei, foi derrubado por um dos tigres e na sequência os outros três também avançaram sobre ele. O homem que sofreu grave lesão na coluna vertebral não resistiu aos ferimentos.

Após o acontecido, os oito tigres do circo foram apreendidos pela polícia. Activistas dos direitos animais apontaram que isso poderia ter sido evitado se o uso de animais fosse proibido em circos.

O facto também reacendeu o debate sobre o assunto em âmbito legislativo, onde o assunto foi discutido pela primeira vez em 2017, mas não levado adiante. A expectativa é de que com a repercussão internacional a prática possa realmente ser banida no país.

Fonte: ANDA

Trágico incidente: domador italiano muere al ser atacado por ‘sus’ tigres

La explotación de animales salvajes en circos deja una nueva víctima mortal. El conocido domador italiano Ettore Weber, de 61 años de edad y una larga trayectoria en el mundo del circo, ha muerto tras ser atacado por los cuatro tigres con los que ensayaba.

Los circos con animales salvajes son un riesgo evidente para la seguridad y salud públicas.

Fonte: Change.org