SABEM POR QUE OS CAVALOS (AB)USADOS NA TAUROMAQUIA NÃO RELINCHAM?

Isto que Isabel refere, eu  também o digo-o à muitos anos. Aliás; não se terei sido das primeiras pessoas a dizê-lo. Na altura que comecei a falar sobre isso, estava no Facebook.
Um vizinho meu, que trabalhou 30 anos, na tauromaquia, para as corridas de touros. Ele era tratador dos cavalos informou-me disso, e garantiu-me ser uma absoluta verdade. Convém dizer que esse meu vizinho abomina tauromaquia. devido a lá ter trabalhado, como disse, durante 30 anos. E com base no que ele me relatou, que é e bem relatado pela Isabel, criei a imagem, onde se vê a espora e o freio serrilhado.
E ainda há pouco mais de 2 anos, um outro tratador de cavalos, e cavaleiro, confirmou-me o que o meu vizinho, e ex tratador de cavalos, pelas praças de touros me contou. Aliás; até me disse o nome do freio serrilhado que os Psicopatas que são os toureiros a cavalo, põe na boca do cavalo. Chama-se freio de castigo.

E não adianta nada os Psicopatas tauromáquicos, negarem uma verdade, uma realidade insofismável!

Mário Amorim


Recordo hoje um texto que escrevi em 2014, a propósito da tortura que a tauromaquia é, também para os Cavalos, e não só para os Touros, dois magníficos animais não-humanos, sencientes, que não mereciam tão cruel sorte.

Um texto assente na realidade e não em alucinações de algozes.

CAVALO1.jpg
O que se vê a vermelho, no abdómen do Cavalo, não é sumo de tomate, mas um sangue tão real como o dos humanos…

Na tauromaquia Touros e Cavalos são torturados impiedosamente.

Uns, de uma maneira, outros, de outra.

Nos Cavalos, são utilizados uns instrumentos de tortura como os que se vêm nesta foto.

CAVALO2.jpg

CAVALO3.jpg

Contudo, os Cavalos não relincham.

Sofrem calados o seu descomunal tormento.

Os Cavalos! Animais extremamente sensíveis e tão, tão inteligentes!

Porquê?

Porque lhes cortam as cordas vocais, para que eles não relinchem de dor, e não só pelos golpes das esporas, mas também pelo ferro serrilhado que lhes colocam dentro da boca, e que lhes deixa o céu-da-boca em ferida!

É isto a tauromaquia.

É isto a que chamam “cultura” e “arte”.

É disto que o Parlamento Português e a Igreja Católica são cúmplices.

Não será esta uma prática abominável?

A propósito desta abominação, recebi, na altura, um comentário que diz da total alienação mental em que vive esta gente da tauromaquia, que ainda por cima não sabe distinguir homem e mulher:

Comentário:

De BOA noite a 7 de Julho de 2014 às 00:57

Amigo não posso deixar de o informar que como muitos, pouco percebe do que esta a falar, e um concelho de alguém que não concorda consigo, mas que respeita a sua opinião, certifique-se do que diz antes de o colocar para outras pessoas lerem. Aconselho vivamente a participar de perto na criação de touros e de cavalos, e ver quem tem maior amor por eles,

Sendo que com essa experiência terá talvez a alguma resposta para as suas duvidas que me parece ter, mas que por mais que lhe tenta-se explicar não iria querer entender. Não me costumo dar ao trabalho de prenunciar sobre estes assunto, pois só vejo a reclamar, quem não faz minimamente nada de bom para estes animais, apenas se limitam a colocar mensagens e a fazer manifestações. Gostava de de o ver também a cuidar, a ter o simples trabalho de os cuidar, de colher os fenos, tratar dos sistemas de agua, das rações, noites por dormir quando estão doentes, tratamentos caros que se fazem para doenças, na esperança que melhore, ( infelizmente nem algumas pessoas tem esses luxos e esses animais sim tem) e tudo estes compromissos que tem o sei ilustre tratador. Depois veja se mais uma vez tem razão para tais argumentos. certamente verá atitudes mais severas, mas deixo para pensar:” será melhor a educação de uma criança que tem tudo o que quer, sem que quando faça algo de mal a chamem a atenção, ou será um homem ( ou mulher) melhor se for corrigido quando ainda criança?” Espero telo ajudado

***

É obvio que alguém com um discurso bizarro destes, ajuda bastante a compreendermos a mente deformada dos que nascem e vivem para a crueldade, com a agravante de que estão convencidos de que eles é que têm razão, e nós nada sabemos.

Só esta de “aconselhar” a participar na criação de Touros e Cavalos e ver “quem tem maior amor por eles” é algo de uma mente completamente desequilibrada, que não tem a noção de que criar Touros e Cavalos com todos os cuidados com a finalidade de serem torturados é algo macabro, cruel, cínico, hipócrita, impróprio, insultuoso e assente numa desmedida ignorância.

Depois, o resto do discurso desta criatura é de uma total absurdez.

E a pergunta a fazer é esta: terão estes torturadores de Touros e Cavalos culpa desta ignorância entranhada no ADN deles, recusando-se a evoluir?

A resposta é não, não têm culpa.

A culpa é do nosso sistema político, dos governantes que temos, também eles, na sua maioria, absurdamente avessos à evolução.

E enquanto estiverem no Poder, partidos políticos apostados em manter a ignorância, este povinho, que vive alienado no mundo do embuste, jamais optará pela Cultura Culta, e Portugal continuará mergulhado no mais ignominioso obscurantismo.

Isabel A. Ferreira

Fonte: Arco de Almedina

Anúncios

RAZÕES DA CADA VEZ MAIOR PUTREFACÇÃO DA TAUROMAQUIA, EM PORTUGAL

A tauromaquia, em Portugal, está cada vez mais putrefacta. E estas são as razões.

Os Psicopatas Tauromáquicos, não conseguem provar cientificamente, incluindo com publicação numa revista cientifica, as alegações sobre o touro.
Os Psicopatas Tauromáquicos, não são capazes de provar, com documentação, a alegação que a tauromaquia se subsidia a si própria. Não são capazes de provar, com documentação, que não recebem anualmente, milhões de € de subsídios, do Estado, da União Europeia e das Camaras Municipais.

Eles sabem, que os milhões de € de subsídios que anualmente recebem, numa questão de tempo, vão acabar. E sem eles, a tauromaquia será abolida. Pois são esses milhões de € que permitem a sua existência, em Portugal.

Os Psicopatas Tauromáquicos, não são capazes se realizar uma sondagem séria, e completamente imparcial, por todo o continente e ilhas. Pois sabem muito bem, qual seria o resultado.

As praças de touros, estão cada vez mais as moscas. E nem com entradas de borla, e com convites, elas enchem.

Cada vez mais pessoas, por não quererem ser vistas como Psicopatas, se afastam da tauromaquia, e passam a lutar contra a tauromaquia.

Cada vez mais pessoas, se recusam a ser coniventes, com os Psicopatas, os Sociopatas que torturam, física e psicologicamente o touro e o cavalo, na arena de uma praça da touros, e se afastam da tauromaquia.

Ontem, virão o seu projecto derrotado, o que aumentou, ainda mais o estado de putrefacção da tauromaquia.

O desespero dos Psicopatas Tauromáquicos é cada vez mais crescente e evidente.

Em suma. A ABOLIÇÃO da tauromaquia, em Portugal, está cada vez mais perto!

Mário Amorim

OUTRA DAS FALÁCIAS DOS PSICOPATAS TAUROMÁQUICOS

Os Psicopatas Tauromáquicos afirmam que o touro é bem tratado durante quatro anos.
Eles querem fazer das pessoas parvas. Essa é a verdade.

O touro, em bebé, vê o seu corpo ser cravado com ferros em brasa. Os psicopatas tauromáquicos afirmam que são anestesiados, e que eles não sentem.
Nós, quando somos operados, ou quando vamos ao dentista tirar um dente, antes, somos anestesiados. Depois de passar o efeito da anestesia, sentimos dor. E com os pequenos touros bebé, é a mesma coisa. Depois de lhes passar o efeito da anestesia, sentem a dor dos queimados, sobre a pele.
Nós, se somos operados, ou vamos tirar um dente, fazemo-lo, porque tem de ser.
Enquanto que o pequeno touro bebé, é obrigado a ser torturado, com ferros em brasa sobre o corpo.

Depois, ainda touro bebé, é picado, e muitas vezes morto, por Psicopatas, a pé, ou a cavalo, com farpas, ferros, e muitas vezes é-lhe cravada uma espada, no treino de jovens que querem matar touros, nos países com touros de morte, ou em Barrancos.

Mais tarde, os Psicopatas dos campinos, picam-nos, com grandes pontas, de ferros.

Por tanto; seus Psicopatas, não nos façam de parvos!

Nós vamos vencer.
Vamos abolir a tauromaquia de Portugal.
E o touro e o cavalo, aí sim, serão bem tratados, desde que nascem, até que que morram.
Livres, em paz e sossego, no campo, na Natureza!

Mário Amorim

VIANA DO CASTELO, NÃO TEVE, MAIS UMA VEZ, UM ESPECTÁCULO, MAFIOSO, CRUEL, ASSASSINO E PSICOPATA, CHAMADO TOURADA!

Resultado de imagem para viana do castelo

Ontem, em Viana do Castelo, voltou-se a não realizar um espectáculo mafioso, cruel, assassino e psicopata.

Estou muito feliz, por não ter avido tourada, em Viana do Castelo.

Só é pena, que pelo país fora, muitos outros tribunais, não façam o mesmo.

Assim que outros tribunais, deixarem de permitir, que os mafiosos da tauromaquia, façam o que querem, a tauromaquia será abolida de Portugal.

Está mais do que na hora, de os tribunais, e não apenas o de Braga, pararem os Psicopatas tauromáquicos.

Virá o dia, em que, se eles quiserem touradas, será entre eles, nas praças de touros, a espetar farpas e ferros, uns aos outros!

Viva Viana do Castelo!
Viva o Touro e o Cavalo!
Abolição da tauromaquia em Portugal!

Mário Amorim

SE OS AFICIONADOS DA TORTURA, DA BARBÁRIE…

Se os aficionados da tortura, da barbárie, fossem pessoas com alguma seriedade, já teriam vindo a publico; estão a ver, temos aqui provas científicas, cientificamente provadas, do que dizemos sobre o touro. Mas não. Sempre que têm uma oportunidade para o fazer, os Psicopatas Tauromáquicos, do alto da sua máfia, convidam para mais uma vez, ser fonte de alegações, não provadas cientificamente, o mesmo Psicopata de sempre, que não fala pelo bem-estar do touro, e sim pelo bem-estar da sua conta bancária. E isto acontece, com a conivência da Ordem dos Veterinários, que nada faz para o impedir, pois este Psicopata, é veterinário.

E esta realidade, deixa ficar mal o país, pelos quatro cantos do mundo.
Pois, com esta realidade, Portugal fica visto lá fora, como um país não civilizado.

Que tristeza; em pleno século 21, ainda existir em Portugal, tão vil e hedionda prática.
E que tristeza, a Assembleia da Republica, no PS; PSD; CDS/PP, e PCP, continuar a permitir, que tão abjecta prática, persista em existir, num país que se quer moderno e civilizado.

Da minha parte, o touro, e o cavalo, podem continuar a contar comigo, para os defender intransigentemente.

Tudo o que digo é por eles, pelo bem-estar, pela felicidade deles. E não irei deixar de lutar por isso.

Portugal, não vive em muitos séculos passados.
Portugal vive no século 21. E tem de acompanhar a modernidade, a civilização.

BASTA DE CRUELDADE EM PORTUGAL, JÁ!
ABOLIÇÃO DA TAUROMAQUIA EM PORTUGAL, JÁ!

Mário Amorim

Quem respeita o touro e o cavalo, não vai ao Campo Pequeno!

Resultado de imagem para campo pequeno

No principal antro da crueldade, em Portugal, o Campo Pequeno, realizam-se concertos; festa do lego; festas das televisões, e outros espectáculos, para além do espectáculo bárbaro e cruel, chamado tourada.

E quem lá vai ver um desses espectáculos, não quer saber que lá acontece barbaridade, crueldade, tortura. Não quer saber que o Campo Pequeno, está impregnado de sangue e de sofrimento de seres sensíveis.

No que me diz respeito, jamais entrei no Campo Pequeno, e jamais lá entrarei.
Aliás; seja do Campo Pequeno, ou não. Não quero, se quer aproximar-me de uma praça de touros, ainda em actividade tauromáquica. Não sou e não serei, jamais, capaz disso.

Por isso; até me arrepia, só em pensar, que existem pessoas que no Campo Pequeno, aplaudem, num qualquer espectáculo de musica, ou com musica. Pois essas pessoas, ao aplaudirem, num desses espectáculos, sem pensar nisso, não estão a aplaudir o espectáculo que estão a ver. Mas sim a crueldade, a tortura, física e psicológica que lá acontece, para com o touro e o cavalo.

BASTA DE CRUELDADE, DE TORTURA, DE SOFRIMENTO, NAS PRAÇAS DE TOUROS PORTUGUESAS!
BASTA DE TOURADAS EM PORTUGAL!

Mário Amorim

 

«A DOR DOS CAVALOS – DOR SILENCIADA ATÉ À MORTE»

Os abusadores e montadores de Cavalos não sabem (como poderão saber se não lhes vêem a expressão de dor?) o quanto os Cavalos sofrem ao serem montados.

Atente-se na expressão desesperada deste Cavalo utilizado numa corrida… Se ao menos o animal homem da espécie horribilis tivesse inteligência para se colocar no lugar destes magníficos animais, eles poderiam viver felizes, em liberdade, como merecem…!

https://i0.wp.com/c5.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/G5902a7f9/20209246_NzaJv.jpeg Origem da foto: http://odeiorodeio.com/site/corridas-de-cavalos/ onde encontram uma reportagem completa sobre as ignominiosas corridas de Cavalos.

Sônia T. Felipe (***) estudiosa desta matéria, escreveu um texto no Facebook onde deixa muito claro, o que para muitos de nós é absolutamente óbvio, mas que os cegos mentais se recusam a entender.

Diz-nos esta doutora em Filosofia Moral que nem tudo o que causa profunda dor aos Cavalos, usados para tracção e atracção turística, ou para serem montados, pode ser visto através de uma fotografia, como a que ilustra este texto.

As fotos mostram muitos sinais que evidenciam a tortura sofrida pelo animal. Mas há lesões internas que as fotos não podem mostrar, e são precisos exames médicos, como a endoscopia, cintilografia, radiografia e outros testes neurológicos, para se comprovar a aflição desses animais sensíveis, inteligentes e racionais, provocada pelas úlceras estomacais.

Só exames mais específicos podem constatar a agonia deles por respirarem pela boca e com a garganta seca (por causa do freio que pressiona a língua e não os deixa engolir normalmente a saliva), levando para dentro do pulmão as partículas de poeira, aspiradas na marcha rápida.

Só exames radiográficos e similares podem constatar as hemorragias pulmonares, causadas pelo esforço extraordinário de puxar cargas ou da velocidade, no caso das corridas.

Só exames cuidadosos podem conferir as inflamações e dores de artrite e artrose, dos nervos e tendões, das cartilagens que formam as patas.

Enfim, só exames mais específicos podem localizar as lacerações na pele, originadas pelas chicotadas, pelos paus e correias e esporas que fazem fricção nos seus corpos quando puxam cargas ou são montados.

Sônia T. Felipe refere ainda que a agonia dos cavalos e das éguas é infinita. Quase não há uma parte do corpo deles, quando são usados para tracção e montaria, que não fique lesada e não lhes cause imensa dor.

Apesar de parecerem fortes e resistentes, os Cavalos têm um corpo extremamente delicado. São seres vivos que têm um organismo extraordinariamente sensível e vulnerável, quando escravizados e privados da liberdade que o seu éthos equino requer, explica Sônia T. Felipe.

Todos os seres vivos têm o seu próprio éthos, ou seja, do ponto de vista antropológico, o éthos constitui os traços comportamentais que nos distinguem uns dos outros.

E de acordo com esta cientista, éguas e cavalos, vacas e bois, não expressam a dor, pois evoluíram com inteligência e sensibilidade para saberem que se o fizerem, mesmo os condenados à escravidão, através da subjugação humana, quando tentam domá-los, serão literalmente mortos pelos seus predadores mais perigosos: os animais humanos.

Segundo ainda Sônia T. Felipe, sai mais barato comprar um cavalo novo para substituir o cavalo desgastado pela tortura a que é submetido, do que pagar tratamentos para tantos males que o processo de domesticação e a escravidão lhes causam.

A morte é o destino do animal que expressa a sua agonia infinita. E esta agonia só é “vista” pelo animal humano no dia em que os equinos (cavalos ou éguas) caem mortos, ainda atados aos apetrechos das carroças ou charretes que puxam à custa de toda essa dor e do tormento que os abate no meio da rua. E o feitor dessa escrava ou desse escravo pensa que essa morte foi sem aviso prévio. Não foi.

Assegura Sônia T. Felipe que o animal deu bastantes avisos de que estava doente e sofredor. Mas a mente e a linguagem humanas são demasiado atrofiadas para captar e traduzir os sinais da dor e do sofrimento emitidos pela linguagem equina.

E pensar que há milhares de anos o homo horribilis tortura estes seres magnificamente divinos, sensíveis, afectuosos e também racionais…

 

(***) Sônia Teresinha Felipe é doutorada em Filosofia Moral e Teoria Política pela Universidade de Konstanz, Alemanha, professora da graduação e pós-graduação em Filosofia; e do doutorado interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina (Brasil), orientou dissertações e teses nas áreas de teorias da Justiça, Ética Animal e Ética Ambiental.

É pesquisadora permanente do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, Membro do Bioethics Institute da Fundação Luso-americana para o Desenvolvimento, e é autora de Ética e Experimentação Animal: Fundamentos Abolicionistas, Edufsc, 2007; e Por Uma Questão de Princípios, Boiteux, 2003.

Fonte:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10205330225036712&set=a.10202202604128144.1073741827.1280753559&type=3&theater

Fonte: Arco de Almedina