CÃES E GATOS DEIXAM DE SER COISAS…

E OS OUTROS ANIMAIS?

A Lei que foi aprovada só abrange Gatos e Cães (que não pertençam a circos ou sejam utilizados em lutas, ou os das aldeias que, apesar da lei, continuam a viver acorrentados, bem debaixo das barbas das autoridades).

GATO PÚBLICO.jpg
FOTO Paulo Pimenta

Fonte: https://www.publico.pt/2016/12/21/sociedade/noticia/animais-deixam-de-ser-coisas-mas-lei-dos-maus-tratos-vai-continuar-com-buracos-1755686

Fico feliz por estes meus queridos amigos. Mas temos de continuar a lutar por todos os outros nossos outros amigos de quatro patas.

É que para os políticos portugueses, todos os animais são iguais, mas uns continuam a ser mais animais do que outros. E esses outros nem sequer estatuto de animais têm, em Portugal.

Esta lei, apesar de ser um passinho em frente, não resolve o problema grave dos maus tratos a que estão sujeitos TODOS os outros animais portugueses.

A Assembleia da República está dividida, aliás, como em tudo o que diz respeito à Evolução e outras matérias do interesse nacional.

Carlos Abreu Amorim, deputado do PSD acusou o PAN (autor do projecto), o PS e o BE de terem apresentado propostas radicais. E o que são propostas radicais para este deputado?

Este deputado entendeu que as alterações que estes três partidos pretendiam introduzir no Código Penal transformavam cada criador num potencial criminoso
(como se já não o fossem) e acrescentou: «Se uma vaca magoasse uma pata durante o transporte, o dono podia ter de responder por isso em tribunal» (pois podia e devia, porque o modo como os animais são transportados em Portugal, é um autêntico atentado ao bem-estar deles. Eles são transportados como sacos de cimento, amontoados, sem que tenham sequer lugar para ficarem de pé); «São soluções citadinas que nada têm a ver com o modo de vida do país rural» (o modo de vida do país rural é bárbaro, tratam os animais como se fossem pedras, não tendo em conta a VIDA que eles são, uma vida tão vida como a de qualquer um que se diz “humano”, não tendo em conta a sensibilidade e a racionalidade (esta racionalidade está provada) dos animais não humanos);
«As associações do sector pecuário ficaram “aterradas” com estas intenções» (e era para ficarem aterradas, porque sabem perfeitamente o modo cruel como tratam os animais de quinta, e mereciam ser penalizados).

OS DEFENSORES DOS MAUS-TRATOS A ANIMAIS

No mundo já civilizado, mas que ainda não evoluiu o suficiente para deixar de ser carnívoro, os animais são tratados mais humanamente, do que em Portugal, que ainda deve milhões de Euros à Evolução.

O Partido Comunista (será de esquerda?) aliou-se aos partidos da direita, defensores dos maus tratos aos animais que eles não consideram animais (animais para eles são apenas os Cães e os Gatos) para chumbar os projectos que catapultariam Portugal para um nível evolutivo mais elevado.

António Filipe, deputado comunista, chegou mesmo a dizer que qualquer dia as penas dos crimes contra animais ainda se tornavam superiores às dos crimes contra as pessoas.

Penas superiores não direi, mas cito Leonardo da Vinci, o maior génio dos séculos XV/XVI, que futurou esta coisa espantosa: «Chegará o dia em que todos os homens conhecerão o íntimo dos animais, e, nesse dia, um crime contra um animal será considerado um crime contra a própria humanidade.»

Este dia já esteve mais longe.

Em pleno século XXI d. C., já existem milhares de Seres Humanos que conhecem o íntimo dos animais, e lutam pela sua libertação.

Mas em Portugal, ainda com tantas mentes tacanhas a proliferar por aí, a evolução far-se-á mais lentamente.

O PAN fala em lobbies.

E é óbvia a existência de lobbies.

André Silva, deputado do PAN, refere: «O Parlamento não está preparado para avançar mais um passo. Continua vigente uma teimosia ideológica ligada a profundos interesses e lobbies corporativos no sector da pecuária. Vivemos ainda o tempo em que os agentes económicos são quem mais ordena… As agressões e os maus tratos a animais são uma realidade unanimemente aceite no quotidiano da produção pecuária portuguesa.»

Não, o Parlamento Português não está preparado para a Evolução.

Quem manda ali são os lobbies, que lá colocam deputados escolhidos a dedo. Aliás, os partidos que defendem os maus-tratos aos animais, já estão a “trabalhar” listas para as eleições autárquicas, onde os tauricidas têm, lugar desatacado.

E também é óbvio que o meio rural ficou parado na alta Idade Média, e trata com a maior brutalidade seres sencientes e muito mais racionais e humanos do que todos eles.

Fonte: Arco de Almedina

 

Anúncios

🐶 Cães compreendem entoação e vocabulário humano, diz estudo

Ao ouvir os humanos falar, os cães conseguem não só compreender a entoação utilizada, como também percebem as palavras usadas. O estudo publicado ontem na revista Science afirma que, à semelhança das pessoas, os cães usam o hemisfério esquerdo do cérebro para processar palavras, e a parte direita para descodificar a entoação.

“O cérebro humano, para além de analisar separadamente o que dizemos e como dizemos, relaciona os dois tipos de informação para chegar a um resultado unificado. A nossa descoberta sugere que os cães também conseguem fazer isso, utilizando mecanismo cerebrais bastante semelhantes”, afirmou o autor do estudo, Attila Andics, da Universidade Eötvös Loránd, em Budapeste, Hungria.

Segundo Andics, quando em ambiente rico em palavras, como aquele em que vivem os cães em nossas casas, a representação das palavras acontece no cérebro destes animais, mesmo que depois não sejam capazes de falar.

A etologista Márta Gácsi, também autora do estudo, analisou os cães através de ressonância magnética funcional, medindo a actividade cerebral dos animais enquanto ouviam os donos falar, dizendo variadas palavras e com diversas entoações. Os donos tinham sindo previamente instruídos a dar elogios aos animais, ora com um tom de entusiasmo ora com um tom neutro.

As reacções demonstram que os cães activaram uma área do hemisfério direito do cérebro para diferenciar a entoação da aprovação e reprovação. Esta região é a mesma usada pelos cães para processar sons ligados à emoção, provenientes tanto da fala humana como de outros cães. Também o centro de recompensas – a área do cérebro que responde aos estímulos ligados ao prazer – era activada pelas palavras de aprovação dos donos.

“Isso mostra que, para os cães, uma boa palavra de aprovação pode funcionar como uma recompensa. Mas funciona melhor se a palavra também for dita com uma entonação de aprovação. Os cães não processam apenas o que dizemos e como dizemos, eles entendem o que estamos a dizer.”

Para os autores, o estudo é um importante dado na descoberta de como os cães interpretam o discurso humano e um primeiro passo para tornar a comunicação entre cães e humanos mais eficiente.

Fonte: Greensavers

(•ิ˓̭ •ิ ) Estou sem palavras! Crueldade Distrito na China manda tutores se desfazerem de seus cães e ameaça animais de morte‏

Cão olha para fora de sua gaiola durante festival de Yulin, onde se serve carne de cães. Foto: Johannes Eisele/AFP/Getty Images Cão olha para fora de sua gaiola durante festival de Yulin, onde se serve carne de cães.

O governo de um distrito da China está impondo aos tutores uma escolha impossível: ou eles “se livram” de seus animais domésticos, ou funcionários serão enviados até as casas para matá-los no local. As informações são da CBS News.

Mesmo em um país no qual a tutela de cães é fortemente regulamentada, a ordem emitida na semana passada pelo novo distrito de Dayang no leste da cidade de Jinan foi algo extremo.

“A nenhuma pessoa é permitido manter um cão de qualquer tipo”, diz o anúncio colocado em muros pela comunidade cujos quarteirões são ocupados sobretudo por altos prédios de apartamentos. “Lide com isso por sua conta, ou então o comitê irá organizar pessoas para que entrem em sua casa e matem o cão ali mesmo”.

Governos regionais costumam matar animais em situação de rua, mas a ordem de Dayang também diz respeito a cães que são registrados e vacinados.

Matanças geralmente acontecem após surtos de raiva, uma doença que mata cerca de 2.000 cidadãos chineses todos os anos, mas esta ordem cita como razões somente “a manutenção da higiene ambiental” e “a vida normal das pessoas”.

Pessoas que atenderam a ligações na última sexta-feira no escritório do governo do distrito disseram que não havia ninguém disponível para discutir o assunto.

No entanto, um funcionário não identificado da prefeitura da vila de Dayang que foi entrevistado por uma rede de televisão local insistiu que a ordem de matar os animais é desejo de mais de 1000 moradores do distrito.

“Os cães estão sempre sujando a vila e incomodando as pessoas. Muita gente estava reclamando, e então escrevemos uma nota pública para evitar conflitos”, disse o homem.

A determinação ressalta a contínua fraqueza do sistema legal da China, particularmente quando se trata de poderes da polícia e proteção da propriedade privada. O fato também denuncia a falta de regras para a tutela responsável de animais na cidade, tais como o uso de guias e a limpeza das vias públicas.

Segundo a reportagem, apesar da China ter leis que protegem espécies ameaçadas, o país ainda tem que aprovar uma legislação para crimes de crueldade contra animais.

Ainda conforme a reportagem, os cidadãos chineses encontram-se frequentemente divididos entre aqueles que amam os animais e os que veem os cães como ameaça às pessoas.

A manutenção de cães como animais de companhia foi efetivamente proibida durante as primeiras décadas da República Popular da China, e foi denunciada por líderes comunistas como “uma afetação burguesa” e “desperdício de recursos escassos”.

Nos últimos vinte anos, no entanto, a tutela de cães cresceu exponencialmente, embora mediante restrições contínuas para cães de grande porte em áreas urbanas. Um movimento nascente de luta pelos direitos animais também surgiu, com defensores dos cães muitas vezes bloqueando caminhões que transportavam cães para mercados para serem servidos a uma relativamente pequena porcentagem de pessoas que consomem a sua carne.

Fonte: ANDA

◕_◕ BoycottKerala Cães em situação de rua estão sendo mortos em massa no sul da Índia

Foto: Divulgação

No Sul da Índia, tem havido um crescimento massivo no número de cães em situação de abandono vagando pelas ruas. Recentemente, alguns deles atacaram pessoas, provocando reações de ira de humanos em relação a eles.

O problema dos cães que vivem nas ruas é tão grave que a maior parte dos moradores concorda com o seu extermínio, de acordo com a BBC. As informações são da Care2.

Ao contrário do que ocorre em países como a China, onde os cães são mortos para consumo humano, o ato de matar esses animais na Índia vai contra os preceitos de sua religião proeminente, que é o hinduísmo.

Em Kovalam, uma cidade próxima a Chennai em Tamil Nadu, o presidente do conselho, Sr. Janakiraman, teria emitido uma ordem para que todos os animais em situação de rua da região fossem mortos. A autorização resultou no assassinato inadvertido de um cão que tinha tutores.

Janakiramam argumenta que não foi ele quem ordenou a matança dos cães nas ruas, e que esta teria sido uma decisão coletiva dos moradores da vila. Segundo a reportagem, estima-se que 15 cães já foram mortos a tiros, e seus corpos foram jogados no mar.

A respeito destas mortes, o grupo ativista de direitos animais Blue Cross imediatamente registrou um boletim de ocorrência contra Janakiraman e o homem suspeito de ter cometido os crimes.

O processo, no entanto, deverá ser descartado, graças a cerca de 200 moradores que apareceram na delegacia pedindo que o mesmo fosse arquivado. Eles alegam que o governo falhou em atender às suas queixas, e então eles “fizeram justiça com as próprias mãos” e deram a alguém a ordem de atirar nos cães.

As autoridades estão alinhadas com os moradores com relação aos cães. Eles  têm números para defender a matança dos animais: no ano passado, só em Tamil Nadu, 100 mil residentes teriam sido mordidos por cães em situação de rua. Neste ano, mais de 60 mil pessoas alegam terem sofrido mordidas de cães.

Um voluntário da Blue Cross afirma entender a preocupação das pessoas quanto ao número crescente de cães nas ruas, mas observou que as pilhas de lixo na área são o motivo desse aumento.

“As enormes quantidades de lixo significam abundância de comida para os cães, e é por isso que eles se multiplicam tão rapidamente”, disse Dawn Williams.

Para combater o “problema”, o governo disse que irá disponibilizar 500 centros de esterilização no estado.

Em Kerala, após diversas pessoas terem sido supostamente mordidas por cães, os residentes contrataram homens para matá-los. Acredita-se que eles tenham matado 40 cães, injetando-lhes veneno.

Apesar dos grupos ativistas afirmarem o contrário, as autoridades alegam não ter participação nas mortes.

A população de humanos no distrito de Kannur é de aproximadamente 39.000; a população de cães em situação de abandono é de 4.000 animais, conforme informado pelo presidente do conselho local, N. Ramakrishnan, à BBC.

“Os moradores reagiram após oito estudantes, todos menores de 12 anos, terem sido atacados”, disse ele.

Em Kerala, há um milhão de cães, dentre os quais um terço está em situação de rua. Das 23.000 pessoas que alegam terem sido mordidas em 2014, afirma-se que metade contraiu raiva por conta dos ataques, de acordo com uma clínica.

Para conter o aumento da população de cães, as autoridades dizem que 50 esquadrões serão empregados para esterilizar os animais das ruas nos próximos três anos.

Se as autoridades regionais terão a permissão legal para ordenar a matança dos cães que são considerados um “incômodo”, isso será decidido pelo Supremo Tribunal da Índia neste mês, de acordo com a NDTV.

Como todas as questões controversas dos dias atuais, esse caso ganhou uma campanha nas redes sociais chamada “Boycott Kerala” (“Boicote Kerala”).

O esforço tem como alvo o ponto mais vulnerável, do qual o estado é dependente: a sua indústria do turismo.

Exibindo uma foto de alguns cães que foram mortos, um post diz: “Venha visitar Kerala e veja como o melhor amigo do homem é tratado”.

Mas o departamento de turismo não parece perturbado.

“A temporada turística ainda está para começar, mas nós temos testemunhado chegadas crescentes, comparadas às do ano passado na mesma época”, disse Anil Kumar, ministro de turismo do estado, à BBC. “Eu não acredito que campanhas isoladas terão qualquer impacto sobre os turistas”, e acrescentou, “Nós somos pessoas que amam os animais de companhia”.

Embora a oposição mais veemente às matanças tenha origem na Índia, ela não conseguiu escapar do radar mundial.

De acordo com o The Times of India, protestos contra as mortes dos cães de Kerala foram realizados em diversas cidades do mundo, incluindo Londres, Chicago, Houston, Nova York, Berlim e Paris, no dia 26 de Julho.

Nas manifestações de Mumbai, grupos ativistas denunciaram que não foram apenas “poucos cães assassinados” a despertarem o clamor público, e sim um número total de 400 mil, em três distritos de Kerala.

Fonte: ANDA

Festival no Nepal celebra o caráter sagrado dos cães

Foto: Imgur

O festival de Yulin ganhou uma quantidade significativa de espaço nos noticiários nas últimas semanas. Centrado no consumo de carne de cães, esse festival teve origem em 2010 como uma forma de promover o comércio de carne de cão na China. Embora as atitudes culturais com relação a comer cães estejam mudando tanto no país quanto em outras nações da Ásia, foi permitida a continuidade do festival apesar da crescente indignação internacional.

Para as pessoas que amam e estimam os seus cães, o conceito de um festival baseado na matança em massa e no consumo de carne de cachorro é absolutamente repulsivo, pois acreditam que os cães deveriam ser tratados como membros de nossas famílias e receber o devido respeito. No Nepal, um festival que é o extremo oposto do festival de Yulin existe com o propósito claro de homenagear os cães por todas as coisas maravilhosas que eles representam para os humanos. As informações são do One Green Planet.

O Festival de Tihar é um evento de cinco dias que acontece no outono e faz parte das celebrações da festa religiosa hindu de Diwali. No Nepal, o segundo dia do festival, conhecido como Kukur Tihar, é devotado exclusivamente à celebração dos cães.

No festival de Tihar, os cães são venerados como representações da divindade hindu Bhairav

Foto: Imgur

Eles são enfeitados com guirlandas de flores como sinal de respeito pela bonita relação que compartilham com os humanos.

Foto: Imgur

Marcas vermelhas são feitas na testa dos cães, simbolizando o seu caráter sagrado.

Foto: Imgur

Além dos lindos adornos, os cães recebem toneladas de petiscos e comidas deliciosas.

Foto: Imgur

Um festival devotado a encher os cães de amor.

Foto: Imgur

Lembre-se, você não precisa estar no Nepal para fazer parte deste festival. Você pode celebrar a grandeza do seu cão todos os dias, sendo um tutor responsável e amoroso, e auxiliando também a outros cães em perigo ou em necessidade.

Foto: Imgur

Fonte: ANDA