CONTEÚDO ANDA Bebês focas são golpeados até a morte enquanto lutam em desespero para sobreviver

Bebês focas foram golpeados até a morte enquanto tentavam fugir desesperadamente para o oceano. É o que mostram imagens brutais divulgadas por ativistas pelos direitos animais

Filmagens divulgadas por ativistas registram o momento em que focas são cercadas e agredidas por caçadores que matam seus filhotes por causa de suas peles. Algumas também são atingidas com ganchos gigantes e têm o sangue drenado.

Focas são golpeadas até a morte

Os filhotes desesperados – alguns ainda muito dependentes das mães e em fase de amamentação – tentam escapar para o oceano, mas não conseguem ser rápidos o suficiente. É o que revelou a reportagem do Mirror.

As cenas foram capturadas na Namíbia, na África, onde as colônias de focas são muitas vezes caçadas em nome do lucro, de acordo com a PETA. A organização afirma que mais de oito mil focas de pelo do Cabo são massacradas na Namíbia todos os anos.

https://www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/08/fo2.jpg

“A maioria das vítimas é apenas bebê – ainda mamando em suas mães e desamparada para se defender sozinha ou fugir da morte bárbara. As colônias de focas são cercadas nas praias da Namíbia e contidas em grupos enquanto alguns filhotes são liberados de cada vez e violentamente atingidos quando tentam fugir para o oceano”, ressaltam os ativistas.

“Os caçadores usam tacos e ‘hakapiks’ (bastões longos com um gancho de metal na extremidade) para bater nos animais antes de esfaqueá-los ou cortá-los para drenar o sangue. Esse tormento é tão violento e aterrorizante que os filhotes de focas muitas vezes vomitam o leite de suas mães na areia”, acrescentam.

https://www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/08/fo3.jpg

A Namíbia é o único país do Hemisfério Sul aonde o massacre de focas é permitido. A África do Sul proibiu a horrível prática há quase 30 anos e a PETA quer que a Namíbia faça o mesmo.

O grupo afirma que “a força motriz por trás de toda essa carnificina é a ganância, já que um punhado de pessoas se beneficia massivamente com a exportação das peles das focas. Milhares de focas machos adultas também são mortas todos os anos para que suas genitais sejam comercializadas como afrodisíacos em partes da Ásia”.

A PETA incentiva as pessoas a se posicionarem contra esse horror enviando um e-mail ao Alto Comissário da Namíbia para o Reino Unido condenando a prática.

Fonte

CONTEÚDO ANDA Ursa tem reação emocionante ao ser liberta após 30 anos de cativeiro

Ursa é resgatada e levada a santuário após ser explorada em zoológico durante 30 anos.

A ursa Fifi foi mantida em cativeiro e explorada como entretenimento durante 30 anos em um zoológico de beira de estrada na Pensilvânia, Estados Unidos. Ela foi obrigada a realizar truques contra a sua vontade para gerar lucro aos seus exploradores. A ursa não recebeu cuidados médicos, tampouco foi alimentada adequadamente no cativeiro.

Depois de 20 anos, o zoológico fechou. Ao invés de libertarem a ursa, trancaram-na dentro de uma jaula, local no qual ela permaneceu durante os 10 anos seguintes, segundo o We Love Animals.

Veja o vídeo do resgate de Fifi:

Ativistas souberam da situação de maus-tratos em que a ursa vivia e organizaram seu resgate. Quando a PETA encontrou Fifi, ela estava desnutrida e com a saúde debilitada. A ursa estava severamente abaixo do peso e quase não se parecia com um ser vivo. Além disso, Fifi tinha artrite e nunca recebeu tratamento para a doença.

A ursa ficou emocionada e agitada ao ser liberta da jaula onde vivia, e foi levada imediatamente, pela PETA, ao The Wild Animal Sanctuary no Colorado (EUA), onde recebeu todo o tratamento necessário. Atualmente, Fifi recuperou sua saúde e vive em liberdade.

Fonte:

CONTEÚDO ANDA Japão aprova legislação que defende a liberação da caça às baleias

O Governo do Japão aprovou novas leis que podem resultar na liberação da caça de baleias pela primeira vez, desde a promulgação global em 1985.

Apesar do Japão defender a morte de baleias somente para pesquisas científicas, grande parte da carne desses animais é vendida no comércio local. Somente em 2016, a caça às baleias, segundo o governo motivada por pesquisas, matou 333 baleias minke, sendo que dessas, 200 estavam grávidas.

Baleias sendo caçadas por navios japoneses

Contudo, agora o Parlamento do país aprovou uma legislação que pode abrir caminho para liberação da prática cruel no país. A caça para consumo desses mamíferos marinhos pode acarretar diversos problemas para a conservação global das baleias.

Uma das medidas garantidas pela legislação aceita é o financiamento de “pesquisas de caça às baleias”, garantidas no orçamento nacional japonês.

O governo da Austrália já se posicionou contra a criação dessas novas medidas, que podem permitir que o Japão proteja suas frotas de caça contra ONGs de proteção as baleias, como a Sea Shepherd.

Todavia, grupos de defesa da causa animal tem surgido no Japão em oposição às novas leis. Uma coalização de grupos de bem-estar animal, como o Greenpeace Japão e o Centro de Direitos dos Animais, emitiu uma declaração criticando a legislação que permite a caça às baleias.

“O projeto de lei foi criado apenas para continuar pesquisando a caça às baleias, não importa o custo – seja para as baleias, para a reputação internacional do Japão ou para o contribuinte japonês”, afirmou no texto. “Os nossos impostos serão revestidos em programas desperdiçados todos os anos, prejudicando nosso relacionamento com outras nações de forma amigável ​​e acabando com a nossa reputação a nível internacional”, criticou.

Fonte: ANDA

CONTEÚDO ANDA Crueldade na TV: emissora transmite caça de leões e elefantes

O acionista maioritário do clube de futebol Arsenal, Stan Kroenke, foi criticado após lançar de uma nova emissora de tele

visão no Reino Unido que transmitirá programas regulares de caça que incluem o assassinato de elefantes, leões e outras espécies africanas vulneráveis

My Outdoor TV [MOTV] foi revelado no Reino Unido na Game Fair e descrito como a “Netflix do mundo da caça “.

Um dos canais mostra um elefante sendo baleado

Serão exibidos programas que seguem caçadores em todo o mundo, principalmente na África, onde há viagens de caça que geram uma grande lucratividade, nas quais são usadas várias maneiras para matar animais selvagens, como arco e flechas e armas.

A emissora é propriedade do Outdoor Sportsman Group, parte do Kroenke Sport Entertainment, e já foi exibido ao vivo nos Estados Unidos. O lançamento do Reino Unido visa difundir a audiência do extremo horror em países de língua inglesa.

Um dos programas mostra um apresentador atirando em um elefante africano criticamente ameaçado antes que o animal avance sobre ele. Mais dois tiros são ouvidos antes que o elefante caia no chão e morra.

Outro show, chamado Dark Continent Quest, retrata a caçadora Jana Waller matando animais com arco e flecha em viagens ao redor do mundo. Um episódio mostra Waller assassinando um antílope na África do Sul e a flecha atinge o animal antes que ele possa escapar. Waller e seu guia, John Faul, esperam que ele sangre até morrer antes de se aproximarem.

“É um bom tiro. Definitivamente, alguns fígados e alguns pulmões atingidos “, diz Faul em uma declaração completamente cruel e covarde enquanto o animal ainda está vivo. Em seguida, ele segura os chifres do animal.

O canal ficará disponível por US$ 9,99 ao mês e despertou intensa revolta devido ao seu conteúdo. Ativistas pelos direitos animais têm pressionado por sua proibição.

Vários animais são vitimas dos caçadores

Um porta-voz da MOTV defendeu os programas argumentando que eles só mostrarão “caças éticas”, como se houvesse alguma ética em exterminar vidas inocentes.

Muitos dos apresentadores que participam das caças também se descrevem como “conservacionistas”, apesar dos métodos brutais e gráficos de assassinar os animais. Os críticos classificaram as transmissões iniciais como doentias. Ainda assim, Barr afirmou que não ocorrerá censura, conforme informa o Independent.

Philippa King, diretora de operações da League Against Cruel Sports, explicou que o dinheiro gerado pela caça de “troféus” não é para a proteção de espécies ameaçadas de extinção.

“Estamos vivendo em um mundo aonde a maioria das pessoas pode ver o quão brutal e vergonhosa é a caça de ‘troféu’, mas o líder do Arsenal escolhe lançar seu canal de TV doentio no Reino Unido”, disse King ao The Times.

“A maioria das pessoas não concorda que a caça de ‘troféu’ é ética de alguma forma e os estudos desconsideraram as alegações de que a maior parte do dinheiro sangrento se destina a apoiar a proteção. Não tenho certeza de como um idiota com uma arma contra um elefante é uma perseguição justa. O Sr. Kroenke poderia fazer um grande favor ao mundo ao parar de vender esse tipo de TV doentia e concentrar-se em ajudar os animais que ele aparentemente gosta de ver mortos”, concluiu.

Para agravar o horror, o canal terá vários programas de tutoriais de caça e tiroteio e programas de culinária com receitas com os animal mortos, assim como programas de pesca e armas.

Fonte: ANDA

CONTEÚDO ANDA Famosa pista de corrida da Flórida anuncia fim da exploração de galgos

As corridas de cães galgos escondem uma realidade trágica. Como os cavalos explorados em corridas, os cães são descartados como objetos quando não ganham mais as competições e não geram lucro

Além disso, a indústria de corridas está repleta de corrupção, incluindo o doping de cães com cocaína.

Corrida de galgos

Reconhecendo as corridas como cruéis e desumanas, a maioria dos estados nos EUA não realiza mais a prática. Na realidade, de acordo com o Care2, seis estados norte-americanos – Iowa, Alabama, Arkansas, Texas, West Virginia e Flórida – ainda perpetuam a exploração, sendo que a Flórida possui 12 das dezenas de pistas de galgo que ainda restam no país.

Segundo o Care2, 383 galgos morreram nas pistas da Flórida nos últimos quatro anos, mas a prática ainda é permitida.

Porém, há um vislumbre de esperança para os cães, pois uma das pistas de corrida mais antigas do país, no Magic City Casino, em Miami, Flórida, anunciou que irá acabar com a crueldade.

Em seu lugar, serão realizadas competições jai-alai com humanos. Esta é a primeira vez que uma instalação para de promover corridas de animais enquanto ainda tem permissão para realizar outros tipos de jogos, segundo informado pelo One Green Planet.

Está é uma notícia incrível e pode sinalizar mais vitórias. Este tipo de “entretenimento” tem perdido o apoio das pessoas, já que a verdade por trás da indústria foi revelada, e, segundo notícias, o público das corridas de galgos na Flórida caiu 50% entre 2006 e 2014.

Fonte: ANDA

CONTEÚDO ANDA Grupo de cães protege bebê abandonado em estação de trem

Um grupo de cães salvou um bebê de seis meses de idade que havia sido abandonado em uma estação de trem em Hawrah de Kolkata, na Índia.

De acordo com o jornal Indian Express, a criança havia sido deixada em um banco na área de espera de uma das estações mais movimentadas da região de Bengala.

Cão protegendo bebê

Centenas de pessoas passaram pelo bebê que chorava, sem se importar. Até que um grupo de cães abandonados na estação, notou que a criança chorava e ficou de guarda protegendo-a por horas, até que alguém a resgatasse.

Um funcionário do local notou a movimentação dos animais e, ao se aproximar, percebeu que eles estavam protegendo um bebê e rapidamente acionou as autoridades. Os cães só saíram do lado da criança quando policiais chegaram para resgatá-la e levá-la ao hospital.

Infelizmente, os jornais locais não divulgaram qual foi o destino dos cães, que provavelmente permaneceram abandonados mesmo com a atitude heroica.

Fonte: ANDA

CONTEÚDO ANDA Touro incendiado em festival espanhol morre após tentar fugir em desespero

Um touro sofreu uma morte terrível em uma festa espanhola depois que os organizadores do evento amarraram tochas em chamas em seus chifres em frente a uma multidão

O touro aterrorizado de meia tonelada ficou confuso e correu em desespero, batendo a cabeça em um poste de madeira e morrendo instantaneamente com a colisão.

Touro tem os chifres incendiados

Ele faleceu no festival do touro em chamas na pequena cidade de Foios, a 16 quilômetros ao Norte de Valência, no Leste da Espanha.Inicialmente, ele foi amarrado a um poste de madeira no centro de uma praça de touros improvisada diante de uma multidão de centenas de espectadores.

Seus chifres foram incendiados antes que ele fosse solto. Desorientado e extremamente angustiado, ele correu uma curta distância antes de se virar e bater diretamente no poste em alta velocidade.

Centenas de pessoas assistiram à crueldade

Testemunhas disseram que o animal, do rancho Salvador Domecq, morreu imediatamente, de acordo com o Daily Mail.

No início do dia, o touro feriu a perna de um homem durante o festival ‘bous al carrer’, durante o qual os animais são forçados a perseguir moradores por ruas estreitas e pela praça da cidade.

O morador local, de 20 anos, foi tratado por paramédicos. Um vídeo do falecimento do touro foi postado online por ativistas pelos direitos animais.

Touro amarrado a poste

Um leitor comentou em um site de um jornal local: “Torturar animais não é divertido, é bárbaro”.

Os apoiadores dos festivais ainda possuem a ousadia de alegar que os touros não sofrem e que a tradição ocorre há mais de 400 anos.

Grupos espanhóis de direitos animais alertam que, infelizmente, existem centenas de festas similares que envolvem touros queimados em todo o país.

Fonte: ANDA