CONTEÚDO ANDA Ursos e pumas são sentenciados à morte nos EUA

https://i0.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2016/12/cer-e1482152321219.jpg

A Comissão de Parques e Animais Selvagens do Colorado (EUA) aprovou um plano terrível que é uma verdadeira sentença de morte para ursos e leões da montanha (também conhecidos como pumas).

Eles estão tentando entender por que as populações de veados-mula (uma espécie norte-americana) caíram. Por isso, o órgão decidiu autorizar a captura e a morte de ursos e pumas para que a população de veados-mula se restabeleça.

O plano permitiria que os caçadores usassem armadilhas para pegar pumas e ursos que seriam baleados.

Muitos cientistas e ativistas estão indignados com a decisão infundada que extermina a vida dos animais e desperdiça dinheiro – US$ 4,5 milhões em dólares de impostos.

“O total fracasso da comissão em atender as advertências de dezenas de cientistas líderes de nossa nação sobre as muitas falhas nos planos de matar pumas e ursos propostos é assustador”, disse Bethany Cotton, diretora do Programa de Vida Selvagem da WildEarth Guardians e uma das apresentadoras na reunião da comissão.

https://i2.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2016/12/tig-e1482152387531.jpg

Dezenas de moradores locais se uniram a ela para expressar sua oposição ao plano de matar ursos e leões da montanha.

De acordo com Cotton, há preocupações também de que outros animais sejam apanhados pelas armadilhas, o que também ameaça a proibição anterior de usar esses dispositivos.

Em 1996, os eleitores do Colorado proibiram a armadilha por uma emenda constitucional, devido à preocupação com a crueldade contra animais e seus bebês. “A aprovação da Comissão … demonstra seu desprezo total pela vontade pública, pelo tratamento humano da vida selvagem e pela integridade científica”, disse Cotton.

As armadilhas ameaçam outras vidas além dos animais capturados. A natureza indiscriminada da prática mata até mesmo mães de outras espécies, privando seus bebês das necessidades de que precisam para sobreviver.

https://i1.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2016/12/urso-2-e1482152452375.jpg

O plano permitiria que 15 leões da montanha e 25 ursos negros fossem mortos a cada ano – não contabilizando os filhotes que poderiam não sobreviver sem a presença materna.

A medida também ignora os principais fatores que afetam a vida selvagem de todos os tipos, predadores e presas, como a falta de habitat por causa da perfuração de gás e desenvolvimento e construção de estradas.

“Os fatores de grande escala que influenciam o veado-mula e causa quedas [em seu número] não são predadores nativos”, disse David Steen, professor assistente de pesquisa do Museu de História Natural da Universidade de Auburn.

“Se o Colorado quiser manter uma grande população de veados-mula, eu encorajaria uma visão holística de como as espécies nativas persistem na natureza, reconhecendo o importante papel ecológico dos predadores e concentrando tempo e dinheiro nos principais fatores que contribuem para a diminuição da população de animais selvagens , ou seja, o nosso uso do meio ambiente”, acrescentou

Fonte: ANDA

 

Anúncios

CONTEÚDO ANDA Cerca de 300 ursos são assassinados por caçadores em apenas 2 dias nos EUA

Born Free USA, Twitter

Pelo menos 281 ursos negros já foram assassinados nos dois primeiros dias da caça aos ursos de New Jersey (EUA) e eles morreram após serem atingidos com flechas.

Pela primeira vez em décadas, a temporada de caça que ocorre entre os dias 10 e 15 de outubro (há também uma caça anual em dezembro) permitiu o uso de arcos e flechas para matar os animais.

O Departamento de Proteção Ambiental de New Jersey (DEP) anunciou que durante os três primeiros dias, a caça é realizada apenas dessa forma. Nos últimos três dias, os assassinos estão autorizados a atirar nos ursos com rifles.

Ativistas pelos direitos animais criticam essa prática repugnante e perturbadora: “Permitir que os ursos sejam mortos com arcos e flechas tem um potencial ainda maior do que as armas de fogo de provocar  lesões dolorosas e mortes lentas e agonizantes”, disse ao The Dodo Jennifer Place, associada a um programa da Born Free dos EUA.

Born Free USA, Twitter

“No início desta temporada de caça, mais de 200 ursos foram mortos em apenas um dia por meio deste método brutal. Ursos gravemente feridos podem sofrer por dias ou até mesmo semanas antes de morrerem”, acrescentou.

Ainda assim, o DEP argumentou em um comunicado para a imprensa que a “adição da temporada de caça no outono irá ajudar a alcançar a meta de população sustentável de ursos e reduzir o potencial de interações com pessoas.”

Porém, os ursos negros quase nunca atacam as pessoas. “A maioria dos encontros com ursos negros que terminaram mal ocorreram dessa forma porque os ursos foram surpreendidos ou as pessoas agiram de forma ameaçadora”, declarou a Born Free.

Infelizmente, o DEP acredita que há apenas uma maneira de lidar com os ursos negros: assassinando-os. Além disso, os regulamentos da caça, aparentemente, não oferecem regras ou proteções para as mães e seus filhotes.

“É simplesmente inconcebível que os caçadores recebem autorização para matar filhotes e ursas com filhotes. Matar uma mãe apenas condena seus filhotes à predação ou à fome, a menos que eles sejam mortos por caçadores também”, declarou Place.

Nota da Redação: A caça é uma das formas mais brutais e escancaradas de especismo e crueldade contra animais não-humanos. É abominável ver ursos sendo perseguidos e assassinados de formas tão primitivas e hediondas sob o pretexto de controle populacional para supostamente evitar conflitos com humanos. O responsável pelas interações negativas é o próprio homem que invade os habitats dos animais e continua agindo de maneira desumana ao incentivar esta covardia.

Fonte: ANDA

Desrespeito ao seu direito à vida Ursos estão sendo mortos com iscas de chocolate por caçadores e autoridades

Foto: Greg Hume/Wikimedia

Quatro ursos foram encontrados mortos em New Hampshire, no Reino Unido, após uma overdose de chocolate. As informações são do Daily Mail UK.

Um exame pós-morte confirmou que os animais – duas fêmeas adultas e dois filhotes – morreram de falência cardíaca causada pelo envenenamento por teobromina.

A teobromina é um alcalóide encontrado no chocolate e que pode ser tóxico para alguns animais. Há altos níveis do ingrediente no chocolate, principalmente no escuro (amargo) e no usado para confeitaria.

Biólogos de vida selvagem não estão exatamente certos quanto a até que ponto o chocolate é fatal para os ursos, mas alguns afirmam que é algo similar aos níveis de toxicidade para os lobos.

O Departamento de Recursos Naturais e Meio Ambiente de Michigan (DNR) estimou previamente que uma quantidade entre 500 gramas a 1 kg de chocolate seriam suficientes para matar um lobo de 9 kg.

No caso de New Hampshire, os ursos foram encontrados mortos a uma distância de 15 metros de onde um caçador havia colocado 40 kg de chocolate e donuts como isca, no mês de setembro.

Andrew Timmins, líder do projeto de ursos do Departamento de Caça e Pesca, disse em um encontro da comissão na última quarta-feira que a melhor forma de evitar que isso aconteça de novo é removendo o chocolate das florestas.

A possibilidade de ursos poderem ir a óbito comendo chocolate chamou a atenção do departamento em 2011, após a morte de um filhote de urso negro em Michigan ter sido relacionada à teobromina.

Timmins disse que a quantidade de teobromina varia conforme o tipo de chocolate usado, mas todos são tóxicos dependendo de quanto o animal venha a ingerir.

“Nós vemos a isca de ursos como uma importante ferramenta de gerenciamento”, disse ele ao The Concord Monitor.

“Não é algo do qual queremos abrir mão, mas talvez algumas modificações precisam ser feitas para determinar práticas de iscas a ursos, no sentido de eliminar as chances do chocolate envenenar a nossa vida selvagem”.

Dave Nickerson, que esteve no encontro, disse ter dúvidas quanto à causa das mortes. Ele afirmou que o chocolate já foi usado em muitos locais, e em muitos estados.

“Essa foi a primeira vez que tivemos quatro ursos mortos em um só local”, disse’ Nickerson. “Isso mostra uma alta probabilidade do envenenamento ter ocorrido”, acrescentou ele, que também acredita que as mortes parecem ter sido “não intencionais”.

O caçador, cuja identidade não foi revelada, disse às autoridades que ele usou armadilhas durante 15 anos, e que usou a isca de chocolate em outros locais na última temporada.

Enquanto os animais estão morrendo vítimas de uma ação torpe, às vezes por parte até mesmo do departamento de gerenciamento da vida selvagem, algumas associações de caçadores estão chamando a prática de “jogo sujo”, considerando-se “prejudicadas”, segundo reportagem da Public News Service.

“Nossos caçadores de ursos estão dizendo que há cada vez menos ursos nas florestas, e nós trabalhamos voluntariamente com o departamento para reduzir nossas ‘cotas de ursos’ (sic), reduzindo nossa ‘colheita’ (sic) ano após ano”, diz Amy Trotter, vice diretora da Michigan United Conservation Clubs.

Outras organizações de caça também estão requerendo ao DNR que “estude o assunto”, incluindo a Michigan Hunting Dog Federation, a Michigan State United Coon Hunters Association e a Upper Peninsula Sportsmen’s Alliance.

Foto: Alamy

Fonte: ANDA

Conteúdo ANDA Caçadores pretendem matar 800 ursos em Nova Jersey

Protesto-contra-caça-de-ursos

Mais de 390 ursos já foram mortos na nova temporada de caça em Nova Jersey. O massacre que começou na última segunda-feira (7) está programado para durar até este sábado (12), podendo se estender até a próxima quarta-feira (16).

Oficiais do estado estimam que há agora cerca de 3.500 ursos em Nova Jersey. A desculpa utilizada para o assassinato em massa é o controle populacional. Mas os ativistas de direitos animais ressaltam que isso é desumano e desnecessário. “Isso não é sobre segurança pública, trata-se de caça premiada”, disse Angi Metler, da Animal Protection League ao CBS. “Isso não faz nada para proteger a segurança pública. Existem outras medidas que fazem um trabalho melhor.”

Os ativistas realizaram protestos contra a caça durante a semana. “Nós precisamos apreciar a natureza em vez de destruí-la”, disse um manifestante. O estado recentemente expandiu as áreas onde a caça será permitida durante o evento. É permitida este ano em todo ou em partes dos condados de Hunterdon, Passaic, Morris, Somerset, Sussex, e Warren, e porções de condados de Bergen e Mercer. Cerca de 8.200 das 11.000 licenças do Estado foram comprados por caçadores.

Caçadores mataram 272 ursos durante a caça do ano passado. O objetivo este ano é de 800.

*É permitida a reprodução total ou parcial desta matéria desde que citada a fonte ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais com o link. Assim você valoriza o trabalho da equipe ANDA formada por jornalistas e profissionais de diversas áreas engajados na causa animal e contribui para um mundo melhor e mais justo.

Fonte: ANDA