Stop Stealing and Torturing Baby Elephants for Tourism

Target: General Prayuth Chan-Ocha, Leader of the National Council for Peace and Order

Goal: Outlaw stealing elephants from the wild and using abusive training methods to get them used to people.

Baby elephants are taken from their mothers, tied to a tree for a week, kept in isolation, locked in cages where they cannot move, and severely beaten in an effort to get them ready for tourists who will later ride them. Such abuse needs to end in order to ensure that these animals are able to live out their lives as wild elephants instead of slaves to the general populous. Training techniques used are better known to locals as the training “crush” because the elephant endures treatment designed to break its spirit. It is solely because of these techniques that an elephant allows a human to approach it, as a wild elephant would fight anyone who tried to ride it.

Sadly, baby elephants are said to cry throughout the time they are tied up, likely because they usually live with their mothers their entire lives. Additionally, although baby elephants should drink milk until they are at least two years old, they are only given bananas and water to eat.

Demand Thailand outlaw using elephants to entertain tourists and that anyone caught abusing elephants in this manner be held accountable under law. Animals don’t deserve to be abused for entertainment.

PETITION LETTER:

Dear General Chan-Ocha,

Elephants in your country endure gruesome training methods in order to get them used to humans. Something other than riding elephants needs to be found to entertain tourists, as elephants do not deserve to experience such abuse.

As you likely know, wild elephants do not allow people to get near them. Therefore, tying an elephant to a tree for a week, locking it inside a cage that is too small, and beating it for the purpose of making it used to humans riding it is a barbaric, sick and cruel practice. Furthermore, taking an elephant away from its mother when these animals typically stay with their mothers their whole lives is also a disturbing practice, as is feeding them bananas and water when they are supposed to specifically drink milk until they are at least two years old.

For the above reasons, I urge you to speak out against such cruelty, to demand that elephants no longer be taken from the wild, and to further insist that anyone found to be mistreating them be given a harsh sentence under law. These beautiful animals deserve better.

Sign the Petition/ assinar esta petição

Stop Stealing and Torturing Baby Elephants for Tourism

Anúncios

Mais de 500 mil animais selvagens são explorados pela indústria do turismo

Foto: Reprodução/AFP Lakruwan

Em um mundo que respeite plenamente os direitos animais, é certo que os animais selvagens viverão livres em seu habitat, sem qualquer intervenção humana. Mas o caminho ainda é longo até que toda exploração animal seja abolida, e um dos grandes obstáculos para a liberdade da vida selvagem é a indústria do turismo.

Quase um quarto dessa indústria de trilhões de dólares é movido pelo chamado “turismo da vida silvestre”, segundo a World Tourism Organisation, e a maioria das pessoas desconhece o abuso que os animais usados em atrações turísticas sofrem.

Se você já pensou em montar um elefante, nadar com golfinhos, posar ao lado de um tigre acorrentado ou assistir a um encantador de serpentes, provavelmente não faz ideia da crueldade envolvida na exploração desses animais, que são submetidos a treinamentos violentos e degradantes para entreter turistas e gerar lucro aos seus captores.

Uma pesquisa realizada pela Unidade de Pesquisa e Conservação da Vida Silvestre da Universidade de Oxford (WildCRU), revelou o sofrimento global causado a 550.000 animais silvestres devido a atrações turísticas irresponsáveis.

As atrações foram avaliadas por especialistas em vida silvestre e comparadas com mais de 50 mil avaliações feitas por turistas no TripAdvisor. Isto revelou que 80% das pessoas fizeram críticas positivas a atrações que, na verdade, exploram animais selvagens.

Recentemente, ativistas pressionaram o TripAdvisor para vetar a divulgação de atividades turísticas que exploram animais, e cada vez mais denúncias surgem para conscientizar o público sobre a crueldade de aprisionar animais selvagens em nome do entretenimento.

Abaixo estão algumas das principais formas de turismo que exploram a vida selvagem, reunidas pela World Animal Protection, que jamais devem ser financiadas por qualquer pessoa que se preocupe com os direitos animais.

Foto: Reprodução/World Animal Protection

Passeio em elefantes

Para tornar elefantes submissos o bastante para serem montados por turistas, eles são levados de suas mães quando filhotes e forçados a passar por treinamento cruel. Os treinadores usam ganchos pontudos de metal para agredir os animais e eles são mantidos acorrentados na maior parte do tempo. O polo turístico mundial que explora elefantes em passeios é a Tailândia.

tigre

Fotos com tigres

Filhotes de tigre são separados de suas mães em suas primeiras semanas de vida para que possam servir de aderços para turistas tirarem suas “selfie”, por horas a fio. Embora a Tailândia seja um centro de turismo cruel com tigres, a prática também é comum em partes da Ásia, Austrália, México e Argentina.

tartarugas

Segurar tartarugas marinhas

Segurar uma tartaruga marinha faz com que ela sofra uma grande quantidade de estresse, o que pode
enfraquecer seu sistema imunológico e aumentar a sua vulnerabilidade a doenças. O principal destino que explora tartarugas está nas Ilhas Cayman.

golfinhos

Apresentação de golfinhos

Milhões de turistas visitam tanques de golfinhos, mas eles não têm conhecimento da crueldade e abusos que estes animais suportam ao serem obrigados a executar truques diariamente. Eles passam a vida inteira em um espaço não muito maior do que uma piscina – completamente antinatural e restritiva em relação ao seu ambiente natural em mar aberto -, e são submetidos a treinamentos estressantes que os tornam depressivos e até violentos.

Fazendas de crocodilos

As fazendas de crocodilos existem, originalmente, para explorar e matar os animais para consumo e uso de suas peles. Mas agora, infelizmente, há uma experiência bastante comum de turismo em que as pessoas pagam para ver os crocodilos nessas terríveis condições.

Para ajudar a mudar essa triste realidade, assine a petição criada pela World Animal Protection para impedir que empresas de turismo como a TripAdvisor, Viator, Musement e GetYourGuide lucrem com o sofrimento e exploração animal.

Fonte: ANDA