CONTEÚDO ANDA Ativismo é o caminho para acabar com a exploração animal na indústria do turismo

turismo

Muitas pessoas ainda desconhecem a exploração de animal praticada pela indústria do turismo. É comum que os viajantes não se sintam mal por montar em elefantes, posar ao lado de animais selvagens e outras atividades semelhantes.

Porém, vale questionar se as pessoas se sentiriam da mesma forma se conhecessem o processo brutal de domesticação e abusos pelo qual passa um elefante explorado, oprimindo o animal a ponto de permitir que as pessoas montem em suas costas, diz o One Green Planet.

Os elefantes vítimas da indústria são obrigados a carregar milhares de turistas em jornadas extremamente exaustivas durante o resto de sua vida. Além disso, os animais são acorrentados e impedidos de andar ou interagir uns com os outros.

Assim como passeios de elefante, outra atividade popular é tirar fotos com tigres. Porém, será que as pessoas fariam isso se soubessem que o tigre foi separado de sua mãe logo após o nascimento? Ou que ele sofre abusos para se manter dócil e fica preso em uma jaula apertada, passando a vida toda confinado?

Por isso, é necessário conscientizar o público sobre essa exploração e pressionar as empresas para que ofereçam viagens éticas e sensibilizem seus clientes a respeito das “atrações” que abusam de animais.

Mais de 100 empresas já assumiram o compromisso de não promover locais que oferecem atividades como passeios de elefante e shows com animais, e esse número está aumentando rapidamente.

E é justamente o público que pode contribuir para mudar esse cenário, tomando partido, denunciando  empresas que promovem a exploração animal como no recente caso do TripAdvisor e, principalmente, jamais financiando essas práticas cruéis que desrespeitam os direitos animais.

Fonte: ANDA

 

Anúncios