O QUE É A TOURADA???!!!

A tourada, é a mais execrável prática psicopata, para entreter outros psicopatas, de um país à beira mar plantado, chamado Portugal.

A tourada, é uma prática bárbara.
É uma prática assassina.
É uma prática monstra, que suja o nome de Portugal, pelo mundo fora.

Só um sádico, pode gostar de assistir a um ser sensível, ser brutalmente atacado. E desse modo, esse sádico, mostra que no seu coração, não existe compaixão, e nem empatia. Mostra, que não passa de um reles ser humano.

A tourada, é uma prática que não tem algum sentido existir, em Portugal, ou em qualquer outro país, que quer ser civilizado!

Por isto, grito, alto e em bom som; ABOLIÇÃO!

Mário Amorim

Anúncios

É A ISTO QUE CHAMAM FESTA, ARTE E CULTURA????

Cambada de anormais!!!!!!

Perante esta imagem não tenho de ser politicamente correcta.

Tenho direito a indignar-me. Tenho direito a protestar. Tenho o dever de defender estes infelizes animais herbívoros, biologicamente iguais a mim, que também sou um animal e sofreria as mesmas dores se me fizessem o mesmo.

Como gostaria de poder enterrar umas bandarilhas nos costados dos anormais que fazem isto, para que soubessem o que é ser animal!

Cambada de ignorantes!!!!!

20431459_10203439793551518_4618868274541719129_n[1
Fonte da imagem:

Os tauricidas e criaturas afins, manifestando uma descomunal ignorância, dizem por aí, à boca rota, que os Touros não sofrem e o que lhes acontece nas arenas serve para os fazer crescer, como se tivessem vida depois da tortura…

E dizem isto como se estivessem a rezar o Pai-Nosso, que é o que mais causa repulsa.

Mas a culpa desta estupidez não é dos estúpidos.

A culpa desta estupidez é dos governantes que a apoiam e promovem e têm-na legislada.

As Ciências Biológicas não dizem nada a esta “gente” desprovida de uma incapacidade nata para a Literacia e o Raciocínio.

Não sei como conseguem chegar ao alto cargo de governar uma nação. Chegam, porque existe um povo acrítico que também deve milhares de euros à sapiência.

Se trazemos o tema à discussão, os únicos argumentos que apresentam para “defender” esta prática sangrenta é chamar-nos de fundamentalistas e mandar-nos ao psiquiatra, como se fôssemos nós os psicopatas e sádicos que deliram com o sofrimento alheio; é rotular-nos de comunistas, como se os comunistas fossem a favor da abolição desta selvajaria; é falar em “tradição”, como se isto fosse tradição; é chamar esta barbárie de cultura portuguesa, como se a tortura tivesse alguma coisa a ver com cultura; é chamar “arte” ao sangramento de um ser vivo.

É que nem para discernir algo que até um lagarto sabe, que é a diferença entre o que é bom e o que é mau, eles têm capacidade.

É triste termos governantes assim tão malformados e deformados, humanamente, moralmente, culturalmente…

Há que penalizá-los nas próximas eleições autárquicas.

Isabel A. Ferreira

Fonte: Arco de Almedina

VOTE: “Cultura Para Todos”! Tortura Não é Cultura e Não Merece Dinheiros Públicos! [OPP]

POR FAVOR NÃO IGNORE ESTA MENSAGEM!

 

Não podemos permitir que a tauromaquia seja “elevada” a Património Cultural Imaterial de Portugal, ainda para mais com 175 a 200 mil euros provenientes de verbas dos orçamentos públicos!

 

Se é cidadão/cidadã nacional ou reside legalmente em Portugal, VOTE (SMS Grátis) no Orçamento Participativo de Portugal, seguindo as instruções da imagem abaixo ou as do evento no Facebook. 

 

Sendo-lhe ou não permitido votar, não deixe de convidar amigos/as Portugueses/as para o eventoou de partilhar a publicação a respeito. 

 

Muito obrigado! 

Via: Marinhenses Anti-tourada

A CIDADE QUE SE DECLAROU “AMIGA DOS ANIMAIS” (PÓVOA DE VARZIM) VAI TORTURAR SEIS IMPONENTES TOUROS

Para os autarcas locais, os Touros não são animais…

TOURADA PÓVOA.jpg

Este é o cartaz que conspurca as ruas de uma “cidade” que, enquanto tiver activa a arena de tortura, e por mais que tente tapar o sol com peneiras, mais ou menos douradas, não conseguirá entrar para o rol dos municípios evoluídos.

O lema da terra «é bom viver aqui» é atirado ao chão pela triste realidade que todos os anos se repete: seres vivos são barbaramente torturados para encher os bolsos a energúmenos, e divertir os poucos sádicos poveiros e excursionistas, que chegam à Póvoa em camionetas, cujo transporte é pago com dinheiros públicos, pelas autarquias tauricidas. Sempre os mesmos, sedentos do sangue de animais indefesos.

Não, não é bom viver aqui, numa “cidade” a cheirar ao mofo. É triste, muito triste. E vergonhoso também.

A existência de touradas numa determinada localidade só demonstra que essa localidade vive mergulhada em tempos medievalescos, que mágica nenhuma poderá transformar em modernidade.

Uma vez mais os autarcas poveiros demonstram a sua verdadeira face: a face do obscurantismo, da incultura, da subserviência, da falta de coragem para se libertarem deste jugo medieval.

Aires Pereira, presidente do município poveiro, num golpe pouco credível, declarou (salvo erro, no ano passado) a cidade da Póvoa de Varzim como “amiga dos animais”.

Todos os que conhecem a realidade poveira, no que diz respeito aos maus-tratos a animais (em circos, batidas à raposa, tiro aos pombos, corridas de galgos, touradas) riram-se desta tentativa de enganar o povo. Foram poucos os que caíram no logro.

O inferno está cheio de boas intenções. Não basta dizer “somos amigos”. É preciso demonstrá-lo.

Acreditaremos nessa “amizade” quando do município forem banidas todas estas práticas violentas, cruéis e inimigas dos animais não humanos, mas também dos animais humanos. Porque nós, que somos humanos, sensíveis e compassivos, sofremos ao ver animais como nós a sofrer atrozmente, para que um bando de sádicos e psicopatas possam dar azo aos seus maus instintos.

Quanto à RTP, organizadora desta selvajaria, só temos a dizer que está a afundar-se. É desprezível o modo como esbanja o dinheiro que somos obrigados a pagar à força de ficarmos sem electricidade dentro das nossas casas, se n os recusarmos a pagar as malditas taxas.

Repugnante, é a palavra mais adequada para adjectivar o que vai acontecer na Póvoa de Varzim, no próximo dia 21 de Julho.

Evoluam, senhores autarcas, porque só assim poderão colocar a Póvoa de Varzim num patamar mais elevado da civilização.

Isabel A. Ferreira

Fonte: Arco de Almedina

Tourada, a “cultura” da violência, da crueldade!

A tourada, é uma pagina negra, de um pequeno país, à beira mar plantado, chamado Portugal.

A tourada, é uma pagina violenta e cruel, de um país, que se quer moderno e civilizado.

A tourada, fica, lado a lado, das crueldades, do homem, contra o próprio homem. Não há diferença alguma.

Violência, crueldade, morte, é sempre violência, crueldade, morte, independentemente, se é contra o homem, ou contra um animal não-humano.

Quem aceita, quem defende, a tauromaquia, aceita e defende a violência, a crueldade, a morte, seja contra um animal não-humano, ou contra o animal-humano. E esta verdade, embora seja violenta e cruel, é uma verdade. E como verdade que é, tem de ser dita.

Este país, à beira mar plantado, chamado Portugal, só será verdadeiramente, um país moderno e civilizado, quando todas as práticas para divertimento humano, violentas e cruéis contra animais não-humanos, forem abolidas!

Mário Amorim

TOURADA: NEM FESTA, NEM BRAVA

Tourada é simplesmente uma prática medievalesca assente na cobardia, na psicopatia e na mais profunda ignorância.

Felizmente está a perder espectadores vertiginosamente.

E já este ano foram canceladas várias touradas

De que estão à espera, senhores governantes, para darem o golpe final a esta actividade que só os muiiiiiito ignorantes (felizmente poucos) praticam, aplaudem e apoiam?

PP.png
Fonte:

Fonte: Arco de Almedina

Exclusivo Edição Impressa Público de tourada cai para metade em sete anos

Relatório sobre tauromaquia aponta para uma diminuição da atividade em 2016. Setor desmente cenário traçado e realça impacto positivo na economia.

No ano passado, os espetáculos tauromáquicos registaram o mínimo histórico dos últimos 20 anos. Entre corridas de touros, novilhadas e festivais de norte a sul do país, os espectadores não foram além dos 362 mil. De acordo com a Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC), a quantidade de festas taurinas também nunca foi tão reduzida. Perante estes números, o setor contrapõe com os seus próprios dados: a média de espectadores está a aumentar e o que existiu ao longo de duas décadas foi uma inflação de valores.

Leia mais na versão e-paper ou na edição impressa.

Fonte: JN


Os defensores da tauromaquia, estão mesmo desesperados.
Estão tão desesperados que contrapõem estes dados, como é habitual, mentindo.
Aliás; os defensores da tauromaquia, como Psicopatas, Sociopatas que são, mentem. 
Por exemplo, veja-se o caso do Campo Pequeno, que nem com bilhetes de borla, nem com bilhetes oferecidos, enche de publico.
E o mesmo acontece nas outras praças de touros.
Mas é bom os defensores da tauromaquia mentirem. Pois, quanto mais mentirem, mais mostram que estão desesperados.
Por tanto; venham daí as mentiras dos Psicopatas, Sociopatas tauromáquicos!

Mário Amorim