A RTP1 DESCE AO MAIS BAIXO NÍVEL CULTURAL, MORAL E SOCIAL

(No passado dia 13 de Outubro) «a televisão pública portuguesa, que todos pagamos, mostrou “tradições! antigas em directo, tal como a da imagem. A ideia é massacrar touros e sangrá-los para mostrar bravura, segundo dizem, tal como há 300 anos. Além disso, viram-se adultos a picar uma mula para fora da arena (parece que eram os forcados de então). Como classificar este comportamento em pleno século XXI.

Até tenho medo de pensar que outras “tradições” antigas portuguesas a RTP possa decidir passar, sei lá, aquelas da inquisição, da expulsão de homens, mulheres e crianças, ou tão só o famoso ‘água-vai’ janela fora, do tempo do saudoso penico. Didáctico e cultural, pois então…»

(Adélia Gominho)

PICA MULA.jpg
Dez cobardes adultos picam uma pobre mula, em directo na RTP, já denominada reles televisão portuguesa num Blogue…

Fonte:

 

Para cúmulo, ouvimos que 53 %, do orçamento do Ministério da Cultura (ou devemos dizer da Incultura? vai uma vez mais para a RTP.

A contribuição audiovisual, que os portugueses são obrigados a pagar à força de ficarem sem electricidade em casa, também aumentou.

E para quê? Para transmitirem estes tristes programas terceiro-mundistas numa televisão que se diz ser de serviço público, dirigido a uma sociedade que se diz ser civilizada, num país que se diz ser europeu.

Que mais este governo tem na manga para insultar a inteligência dos portugueses e esbanjar dinheiros públicos?

Fonte: Arco de Almedina

Anúncios

🐂 Anti-Tourada promove manifestação junta à RTP

A organização não governamental Anti-Tourada promove amanhã, quinta-feira, uma manifestação junto à sede da RTP, em Lisboa, em defesa do fim das transmissões de touradas pelo canal público de televisão.

Na opinião dos promotores da iniciativa, não constitui serviço público “a promoção de uma atividade violenta em que a maioria dos cidadãos não se revê”.

A Anti-Tourada espera juntar no protesto cerca de duas centenas de manifestantes.

A organização lembrou que “em 2015, mais de 15.000 queixas foram apresentadas ao provedor do telespetador da RTP, afetas à transmissão de espetáculos tauromáquicos”.

O protesto conta ainda com a participação de outras organizações não governamentais, designadamente Acção Directa, actiVismo, e LX Anti-Tauromaquia. O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) e o Bloco de Esquerda estão entre os apoiante das iniciativa.

Fonte: SOL

TRANSMISSÃO DE TOURADAS NA RTP NÃO É SERVIÇO PÚBLICO

«O Provedor do Telespectador voltou este fim-de-semana a advertir a RTP que a transmissão de touradas não devia acontecer na televisão pública, depois de milhares de queixas dos espectadores. A cidadania faz-se ouvir, e aguarda que a Administração da RTP retire as touradas da sua programação».

BASTA RTP.jpg
Fonte: https://www.facebook.com/Basta.pt/photos/a.472890756075069.108951.143034799060668/1099778256719646/?type=3&theater

***

É lamentável que o Provedor do Telespectador esteja na RTP apenas como um ornamento, uma jarra de flores.

O que ele diz e nada é a mesma coisa, para administradores que têm a espinha dorsal vergada ao grupo de pressão tauromáquico.

Precisamos que o HOMO ERECTUS evolua para HOMO ERECTUS SAPIENS

Fonte: Arco de Almedina

Ciberação – Mensagem ao Provedor do Telespectador da RTP

Pelo fim da emissão televisiva de touradas, por favor participe nesta ciberacção:

Foto de Marinhenses Anti-touradas.

Se concordar com a mensagem abaixo sugerida, por favor copie-a e cole-a em http://www.rtp.pt/wportal/grupo/provedor_tv/enviarmensagem.php

Exmo. Sr.,

Tomei conhecimento de que durante uma tourada recentemente transmitida pela RTP1, um cavalo foi violentamente colhido (https://youtu.be/RUT_LksL_14).

Tudo se passou na sequência da cravagem de um ferro, com bandeira RTP, numa zona do corpo de um touro que, nas palavras de um dos comentadores da tourada, é um daqueles “sítios mais dolorosos que o habitual” e tem “vasos e nervos nada apropriados”.

Esse touro, acabado de ser ferido por um ferro RTP, avançou sobre o cavalo e provocou a queda deste, bem como a do cavaleiro. O cavalo bateu violentamente contra uma barreira e levou muitas marradas. No entanto, o comentador afirmou, vezes sem conta, em português repreensível, “não passa nada”, “não passou nada”, rematando que o touro “quando tem oportunidade colhe e pode matar”.

Este triste episódio, exibido várias vezes durante o programa em causa, revela bem a crueldade, violência e perigosidade da tauromaquia – atividade tão contestada socialmente mas que a RTP insiste em apoiar.

Deixo, pois: a minha crítica à postura da RTP; os meus agradecimentos ao Sr. Provedor por, em inícios de época, ter assumido publicamente que não concorda com a emissão de touradas; e o meu apelo para que seja a voz dos cidadãos e cidadãs que, tal como eu, não aceitam que a RTP continue a emitir touradas.

Na expectativa de que, em breve, a empresa pública de televisão se dissocie da tauromaquia,
Com os melhores cumprimentos,

Fonte: Marinhenses Anti-touradas