Conteúdo anda Incêndios criminosos ameaçam animais não-humanos na Indonésia

Orangotango tenta fugir das chamas (Foto: Divulgação)
Orangotango tenta fugir das chamas

O mundo vive no momento a maior tragédia ambiental do século XXI. Fogos nas ilhas de Sumatra e Borneo na Indonésia estão devastando florestas onde vivem orangotangos, rinocerontes e elefantes, além de incontáveis espécies de animais não-humanos de menor porte. Dez pessoas já morreram na Indonésia e as cidades estão encobertas por uma película tóxica de fumaça.

As florestas da Indonésia estão sendo destruídas para dar lugar à várias plantações, sendo a mais comum a de o óleo de palma, que é usado em uma quantidade enorme de produtos e se tornou um símbolo da degradação do meio ambiente. O Greenpeace chegou a fazer uma campanha específica focando no Kit Kat da Nestlé e seu impacto no habitat dos orangotangos.

Os incêndios não são acidentais. Eles são o método mais barato de desflorestamento que as empresas que atuam na região usam. Normalmente eles ficam fora das reservas florestais, mas esse ano, com um El Nino mais forte e clima muito seco, os incêndios se espalharam para as reservas onde se encontram espécies já ameaçadas de extinção. A quantidade diária de fumaça emitida já ultrapassada o nível de emissões de toda a economia americana.

Especialistas em vida selvagem dizem que um terço dos orangotangos estão correndo risco por causa dos incêndios. Muitos morreram queimados e ativistas trabalham para resgatar bebês e animais desnutridos, que já não conseguem encontrar comida nas florestas dizimadas.

Um estudo da Columbia University para a ONG OuTrop constatou que em uma área da floresta de Sabangau entre 55 e 60 por cento da população de orangotangos tinha sido perdida em apenas um ano depois que mais de um milhão de hectares de floresta pantanosa foi eliminada para dar lugar a plantações de arroz. Atualmente, cerca de 7 mil orangotangos vivem na floresta.

A OuTrop diz que o parque nacional de Sabangau na ilha de Borneo é o lar de pelo menos 68 espécies de mamíferos, 167 pássaros e 218 espécies de árvores, todas ameaçadas pelo fogo.

Em entrevista para o jornal The Guardian, o diretor da OuTrop Mark Harrison disse que para os orangotangos e outras espécies vivendo na Indonésia, a situação é horrenda e deteriora a cada dia. Mesmo os animais que não morrerem em incêndios ou perderem seus habitats estão ameaçados pelo enorme volume de fumaça.

Como consumidores, temos a obrigação ética de evitar produtos que tenham o óleo de palma, um dos grandes vilôes ambientais. O Greenpeace também tem uma petição pedindo o fim dos incêndios na Indonésia. Na página da ONG, ela compila uma série de sugestões do que pode ser feito para evitar fogos dessa proporção. Recentemente, o presidente Obama se encontrou com o presidente da Indonésia Joko Widodo para falar sobre mudança climática e os incêndios entraram na pauta.

Com a severidade da situação deste ano e as perdas econômicas de $14 bilhões para a Indonésia, pode ser que finalmente a inércia política se torne insustentável. Essa é a única esperança para os orangotangos e outras espécies que estão tendo seus habitats destruídos pela ganância humana.

*É permitida a reprodução total ou parcial desta matéria desde que citada a fonte (ANDA) com o link. Assim você valoriza o trabalho da equipe ANDA formada por jornalistas e profissionais de diversas áreas engajados na causa animal e contribui para um mundo melhor e mais justo.

Fonte: ANDA

Anúncios