EXPLORAÇÃO E MORTE Zoo sueco admite ter matado nove filhotes saudáveis de leão

A justificativa do local para o massacre é ​​porque os animais havia se tornado “excedentes”

Um zoológico da Suécia assumiu ter matado nove filhotes de leão saudáveis ​​porque não podia mais mantê-los. Bo Kjellson, executivo-chefe do Boras Djurpark, disse que “animais saudáveis ​​às vezes precisam ser assassinados por seu comportamento ou não poderem ser remanejados para outros cativeiros”.

quatro filhotes de leão no zoo sueco
Apenas dois dos 13 filhotes nascidos de três ninhadas separadas, sobreviveram nos últimos cinco anos. Dois leões morreram de causas naturais e os restantes foram assassinados.

“Acho que eles foram mortos depois de dois anos”, disse Kjellson à emissora sueca SVT.

“Naquela época, tentamos vendê-los ou mudá-los para outros zoológicos, mas infelizmente nenhum podia recebê-los. Então quando as agressões se tornaram muito grandes, tivemos que remover alguns animais, e eles foram escolhidos”, disse com naturalidade sobre a carnificina promovida pelo local.

Ele ainda afirmou que as práticas cruéis nunca foram segredo, e que não tinha a intenção de escondê-las. Também disse que matar filhotes em zoos seria “um caminho natural para grupos de leões”.

Kjellson disse que o zoológico ainda não tem certeza do que acontecerá com os leões que restaram . “Isso vamos ver no futuro. Atualmente tudo funciona bem, mas alguns deles podem se tornar animais excedentes, e então vamos tentar colocá-los em outro lugar. Pode ser que tenhamos que matá-los.”

Helena Pederson, pesquisadora em estudos com animais na Universidade de Gotemburgo, disse que o constante assassinato de animais em zoológicos levantou a questão se tais instituições deveriam continuar funcionando, ou sequer serem abertas.

“É claro que há um contraste com a percepção do público sobre o que é um zoológico”, disse ela. “Mas matar animais indiscriminadamente como parte da rotina da organização talvez cause um grande incômodo no público”.

Nota da redação: além dos massacres de espécies por falta de estrutura, zoos em todo o mundo frequentemente submetem os animais a diversos abusos e maus tratos. Esse tipo de estabelecimento lucra com a crueldade e exploração animal. Não financie essa crueldade.

Fonte: ANDA

Anúncios

CONTEÚDO ANDA Zoológico mata nove filhotes de leão para diminuir gastos

Crédito: IB Times
Apenas dois dos 13 filhotes de leões que nasceram nos últimos cinco anos sobreviveram.

O zoológico sueco Boras Djurpark matou nove filhotes de leão saudáveis ​​desde 2012 alegando que o preço para mantê-los vivos era caro demais.

O diretor-executivo, Bo Kjellson, acredita que assassinar os animais é justificável nos casos em que os animais são rejeitados por suas famílias ou quando não podem ser realocados.

Apenas dois dos 13 filhotes de leões que nasceram nos últimos cinco anos sobreviveram.

Dois morreram de causas naturais, e os outros foram mortos pela administração do zoo.

A instituição, aberta pela primeira vez ao público em 1965, atualmente tem de cerca de 600 animais de 65 espécies diferentes, a maioria nascidos em cativeiro.

Kjellson afirmou ainda que, apesar do grupo de leões que vive no zoo se dar bem, é possível que haja discórdia no futuro e, caso isto aconteça, alguns membros serão mortos.

A bióloga especialista, Helena Pedersen, questionou a validade dos zoológicos como instituições de entretenimento.

“Será que os zoológicos valem o preços que os animais em cativeiro pagam”, perguntou ela.

Para ela, a crueldade infligida nos animais presos espantas cada vez mais o público que não os enxerga como uma forma de entretenimento adequada.

Fonte: ANDA

Conteúdo ANDA Caçadores suecos estão prestes a começar assassinato em massa de lobos

Foto: Getty Images

Caçadores na região central da Suécia começaram a matar lobos em uma caça controversa para reduzir a população e proteger a vida selvagem. Sob uma decisão provisória, caçadores foram dados uma licença temporária para matar os animais de 2 de janeiro antes do Super Tribunal Administrativo da Suécia – a mais alta corte do país – proferir a decisão final sobre se licenças de caça existentes estão em conformidade com as diretivas europeias em 15 de fevereiro.

Na semana passada, três tribunais regionais votaram para proibir temporariamente a caça em uma vitória para os manifestantes pelos direitos animais, mas vários outros decidiram ir em frente, relata o Swedish Local. A Agência de Proteção Ambiental da Suécia estima que a população de lobos atual é de 400 animais. Esta é uma notável volta para uma espécie que era considerada quase extinta no país durante a década de 1970.

Caçadores terão permissão para matar 14 lobos durante o período – dos 46 originalmente solicitado. A decisão da Suécia para retomar a caça dos lobos provocou uma reação adversa pela Comissão Europeia em 2011 – que supervisiona a proteção dos lobos e outras espécies ameaçadas de extinção. Segundo a comissão, a população sueca de lobos era “pequena, ameaçada por isolação geográfica e endogamia.”

*É permitida a reprodução total ou parcial desta matéria desde que citada a fonte ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais com o link. Assim você valoriza o trabalho da equipe ANDA formada por jornalistas e profissionais de diversas áreas engajados na causa animal e contribui para um mundo melhor e mais justo.

Fonte: ANDA