Situação preocupante Denúncia aponta matança de tartarugas em Angola

Divulgação

Várias tartarugas têm sido mortas, nos últimos tempos, em praias do município do Nzeto, província angolana do Zaire, fato que preocupa as autoridades, que estão a estudar as causas desses atos, dos quais há muito não havia registro.

A situação foi alertada pelo diretor nacional da Biodiversidade e Áreas de Conservação do Ministério do Ambiente, Joaquim Manuel, citado hoje pela agência noticiosa angolana, Angop.

De acordo com Joaquim Manuel, ainda não há detalhes sobre a situação porque, disse, se está a trabalhar “no levantamento de dados no terreno, para se saber quais as causas reais que estão na matança das tartarugas e (consumo) dos seus ovos”.

“Precisamos saber se as mesmas foram mortas para serem consumidas pelos caçadores ou comercializadas para outros fins”, disse Joaquim Manuel.

A Faculdade de Ciências da Universidade Agostinho Neto promove o projeto de proteção das tartarugas marinhas, desde 2003, que cobre apenas quatro praias das províncias de Luanda, Zaire, Cuanza Sul e Namibe, o equivalente a 3,4% cento da costa angolana.

O projeto, denominado ‘Kitabanga’, conseguiu proteger, desde o seu arranque há 12 anos, mais de 3.500 ninhos e devolver com segurança 322 mil novas tartarugas.

*Esta notícia foi escrita, originalmente, em português europeu e foi mantida em seus padrões linguísticos e ortográficos, em respeito a nossos leitores.

Fonte: ANDA

Anúncios