CONTEÚDO ANDA Série “The Walking Dead” usa computação gráfica para não explorar animais

Reprodução/The Walking Dead, Trailer Oficial

A série de televisão “The Walking Dead” lançou o trailer da sua sétima temporada nesta semana, dando aos ativistas pelos direitos animais motivos para comemoração.

De maneira semelhante ao momento em que o elenco e a equipe do programa de tornaram-se vegetarianos, as cenas divulgadas mostram um enorme passo em uma abordagem mais humana, relata o Care2.

O trailer apresenta o Rei Ezequiel com o animal doméstico, a tigresa Shiva, que ruge para a câmera. Porém, os defensores dos direitos animais não devem se preocupar, pois Shiva não é uma tigresa real.

Ela é feita com animatrônica e recursos de computação gráfica, pois o produtor executivo da série, Scott M. Gimple, não quis explorar um tigre real no set de filmagem.

“Perguntei a Scott como faríamos isso e ele ressaltou que não é humano usar um tigre vivo no set”, disse o criador da série Robert Kirkman ao CinemaBlend.

A decisão adotada pela equipe é um alívio dentro da indústria de entretenimento. Investigações sigilosas têm mostrado que o treinamento dos animais utilizados em filmagens pode envolver espancamentos e até mesmo a retenção de alimentos para incentivá-los a exibir um determinado comportamento.

Os animais são mantidos em jaulas durante longos períodos de tempo e, quando não estão participando das filmagens, não são mantidos em condições adequadas, como se tornou evidente no caso do filme “O Hobbit”: 27 animais morreram durante a produção.

“Esses animais não são propriedades, e forçá-los a fazer algo para o nosso entretenimento não é humano ou seguro principalmente quando as inovações tecnológicas podem tão facilmente substituí-los”, declarou Adam Roberts, CEO do grupo de proteção animal Born Free.

 Fonte: ANDA
Anúncios