Qualquer actividade que necessite de receitas

Praça de Touros - Portugal hahahahaha

Uma actividade para se financiar por si própria, tem de ter gerar receitas para se poder financiar. E este não é o caso da tauromaquia.
Quer em Portugal, quer em Espanha, a tauromaquia, não gera lucros para se financiar. E esta é uma verdade que quem defende a tauromaquia não aceita, por mais verdade que seja.

Como é que uma actividade que em Portugal e Espanha está num cada vez maior declínio de publico. Que nem de perto e nem de longe, gera receitas suficientes se pode auto-financiar? 

A tauromaquia em Portugal, em Espanha e no Sul de França é financiada pelos Estados, pelas Câmaras Municipais e também pela União Europeia. E sem esse financiamento, em virtude de não gerar lucros suficientes para se financiar, morre. É tão simples quanto isto.

Nos últimos 10 anos, vários euro-deputados, de várias nacionalidades, têm denunciado aberta e publicamente o financiamento da tauromaquia, por parte da União Europeia. E a decisão ontem tomada que partiu da bancada dos verdes, é aprovação do fim desses subsídios!

Por muito que os pró-touradas tentem fazer das pessoas parvas, a verdade, relativamente a Portugal e Espanha é esta:
Portugal: 16 Milhões de Euros anuais, do Estado, da União Europeia e das Câmaras Municipais.
Espanha: 152 Milhões de Euros anuais da União Europeia.

Por tanto; a melhor atitude que os pró-touradas podem ter é o silêncio total. É que cada vez que abrem a boca MAIS SE ENTERRAM, tal como aconteceu na reacção à decisão de ontem no Parlamento Europeu!

Mário Amorim

Anúncios