Progresso Projeto de lei pede a proibição de espetáculos com animais em circos em Santa Catarina

02-17-768x500

Deputada estadual Ana Paula Lima (PT) quer ver o circo pegar fogo. Calma, calma; é no bom sentido. Está pronto para votação no plenário da Assembleia Legislativa o projeto de lei de autoria dela que proíbe a utilização de animais em espetáculos circenses realizados em Santa Catarina. Entende a parlamentar que os animais são submetidos a maus-tratos nas apresentações.

Se a matéria for aprovada, pelo menos uma dezena de circos praticamente terão que abandonar as atividades, porque têm nos animais as principais atrações.

Fonte: ANDA

***

Mais uma vergonha para Portugal.

Isto pode não ter a ver com Portugal. Mas tem. O Brasil avança para a proibição total de espectáculos com animais não-humanos.
Aqui ao lado, em Espanha, quer a tauromaquia, quer os circos com animais não-humanos, vão sendo abolidos, Município após Município.
E Portugal. Em Portugal, nada. Nada acontece. E isso me envergonha profundamente. Por isso, não poderia estar calado.
Não dá mais para ver Brasil e Espanha, a avançar, rumo à evolução, rumo ao progresso, e ver que Portugal está absolutamente parado no tempo, e ficar calado!

Mário Amorim

Anúncios

Progresso Taiwan proíbe testes de cosméticos em animais

protecao-animal

Taiwan aprovou uma legislação que proíbe os testes de cosméticos, tanto dos produtos finais como dos seus ingredientes, em animais. A legislação entrará em vigor em 2019.

Com esta medida, o país junta-se à União Europeia, Noruega, Israel, Índia, Nova Zelândia, Coreia do Sul, Turquia e a vários estados do Brasil, que já decretaram proibições totais ou parciais destes testes.

“Este é um momento para celebrar, agora que Taiwan se junta ao movimento internacional crescente (…) para acabar com a crueldade nos cosméticos no sudeste da Ásia, tornando-se o primeiro país na região a banir os testes de cosméticos em animais”, declarou Claire Mansfield, da campanha #BeCrueltyFree da Humane Society International (HSI).

Joy Liou, da organização Taiwan SPCA, que juntamente com a HSI tiveram um papel decisivo para a aprovação da legislação, felicitou esta medida, salientando que o próximo passo é a proibição da venda de produtos de beleza importados que tenham sido testados em animais. “Testar cosméticos em animais causa-lhes dor e sofrimento para se obterem resultados dos ensaios que nunca se provaram que garantissem a segurança das pessoas e que não representam a ciência moderna”, disse.

Fonte: ANDA