O QUE É A TAUROMAQUIA II?

Resultado de imagem para Adivinha

Vou começar este segundo texto com umas adivinhas!

1- Qual é coisa qual é ela, que se julgam sete homens valentes, mas que na verdade, não passam de sete grandes cobardes?
– Acertarammmmm; são ossssss forcadosssss.
2- Qual é coisa qual é ela, que são homens que se dizem homens, mas que enfrentam o touro, fazendo movimentos, e tregeitos afiminados, também reveladores da frustração sexual que sentem?
– Mais uma vezzzzz, acertarammmm; são ossssss toureiros a pé.
Aqui fica demonstrado, que além de ser uma prática selvagem, a tauromaquia, é cobarde, e é uma prática, onde se colocam frustrações. E o touro leva com a culpa. Eles são “homens” frustrados(sexuais), e o touro é que paga.
E os outros; os grandes cobardes dos forcados. Esses; enfim. Se fossem os valentes que dizem ser, enfrentariam o touro, sem os chifres embolados, e sem bandarilhas cravadas no dorço do touro. Uma coisa é enfrentarem o touro com as suas faculdades físicas e psicologicas intactas. E outra, é enfrentarem o touro estando mais morto do que vivo e que tem os chifres embolados. Por isso; não caio, quando ouço, ou leio: não gosto de touradas. Só gosto da valentia dos forcados. Forcados, valentia; hahahahaha? – Cobardiaaaa, isso sim!
E aqui vai a última adivinha!
3- Qual é coisa qual é ela, que são uns grandes mentirosos, que falam, falam, falam, mas não provam nada do que dizem? – Acertarammmm zzzz; são osssss zzzz, prooooooo-touuuuuuuuuuraaaaaadassssss zzzz!
Por tudo isto, e por muitas outras coisas que todos nós, que lutamos contra a tauromaquia, sabemos, a tauromaquia, só tem um caminho; a ABOLIÇÃO!

Mário Amorim

Anúncios

Este blog, é um blog Anti-tourada. Como tal, mensagens de pró-touradas, não são aprovadas e não são lidas. São logo apagadas!

Resultado de imagem para proibido

De quando em vez, recebo, aqui no meu blog, mensagens de pró-touradas, por exemplo de um pró-tourada sobejamente conhecido, chamado Carlos Gonçalves.
Mas este meu blog, é um blog Anti-tourada. Como tal, não aprovo, não leio e apago logo, todas as mensagens vindas de pró-touradas.
Por tanto; os pró-touradas que não enviem mensagens aqui no meu blog. Não perco sequer um minuto com elas.
Se os pró-touradas querem enviar mensagens em blogs, guardem o paleio deles para os blogs pró-touradas.
Deixem este blog em paz.
Este blog, é Anti-Tourada, e não pró-tourada!

Mário Amorim

QUANDO OS AFICIONADOS NASCEM COM O CÉREBRO DESCIDO…

Aqui há dias, foi a Maria Alzira Seixo, professora catedrática na Universidade de Lisboa, a descer o nível, numa publicação que lhe valeu monumentais críticas. Mas Maria cresceu na Moita e estudou o básico na Moita. Não conseguiu sair da cepa torta.

Agora é um professor da Universidade Nova de Lisboa, que nasceu e cresceu em Angra do Heroísmo (não ficará tudo dito?), e já foi deputado pelo Partido Socialista e Secretário da Educação dos Açores!!!!

PASMEM!

PROF.png

Reparem no primeiro comentário. Foi dirigido a uma amiga minha. Mas a mim também estão constantemente a dirigir estes “mimos”.

Que baixaria!

Que ordinarice!

Ao que parece, os aficionados de tauromaquia nascem com o cérebro descido, entre as pernas, daí, tudo o que “pensam” é a este nível.

São estes os argumentos que usam para nos atacarem e exorcizarem a invirilidade de que sofrem.

Precisam ATACAR um inofensivo e indefeso animal para se sentirem “machos”.

E como se isso não bastasse, atacam as senhoras deste modo abjecto, como se não tivessem sido paridos por uma senhora também.

E não há ensino superior que lhes valha.

Aliás, a tauromaquia é uma doença incurável, do foro psiquiátrico, que ataca indiscriminadamente ricos e pobres, letrados e analfabetos, governantes e governados, deputados de partidos da direita e da esquerda, toldando-lhes, por completo, a capacidade de raciocinar.

E então quando nascem com o cérebro descido…!!!!!

É o que se vê!

Fonte: Arco de Almedina

 

VERDADES SOBRE AS TOURADAS QUE OS TAURICIDAS DIZEM SER MENTIRAS

Andam por aí a circular umas mentiras que os tauricidas querem converter em verdades.

Acontece que está mais do que provado que aquilo a que os tauricidas chamam mentiras dos anti-touradas, são verdades das mais verdadeiras.

Está mais do que provado.

Só os cegos mentais recusam aceitar o óbvio.

Tourada.jpg
(Origen da imagem: Internet)

Eles dizem, por mera ignorância e conveniência, e por andarem séculos a repetir mentiras que acham ter transformado em verdades (mas apenas para os que não evoluíram) que «muitos são os mitos, mentiras e fraudes inventados por aqueles que se opõem às corridas de touros com o objectivo de tentarem atacar esta actividade querida por um grande número de portugueses»…

Mas os que evoluíram, leram, estudaram, se informaram não inventaram nada. Apenas comprovaram que:

Os portugueses são contra as touradas – apenas uma minoria inculta, bronca, inútil, antiga e marialva aplaude, pratica e promove a selvajaria tauromáquica. Verdade.

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/303482.html

As touradas não são uma tradição, nem do Ribatejo, nem do Alentejo, são simplesmente um costume bárbaro introduzido em Portugal, nos finais do século XVI, pelos reis de Espanha, os Filipes I, II e III de Portugal. Verdade.

As touradas são um costume bárbaro maioritariamente da dita direita (fascista) e da aristocracia (que ficou parada no tempo). Verdade.

Os touros ficam mais de 24 horas dentro do camião de transporte, às escuras, sem água, sem comida, por isso quando são atirados para a arena eles, quase cegos pela luz, saem em fúria… Verdade.

Os touros ficam vários dias à espera de serem abatidos depois das corridas, num sofrimento atroz, não se cumprindo o estipulado no regulamento tauromáquico em vigor. Verdade.

Os Touros antes do “espectáculo” (leia-se função) são alvo de cruéis maus-tratos para lhes retirar força, cortam-lhes os cornos, deixam-nos sem comer e sem beber, às escuras, durante várias horas. Verdade.

Depois da lide as bandarilhas são arrancadas do lombo dos touros, barbaramente e sem anestesia, utilizando-se uma faca para escavar a carne, para as retirar mais facilmente. Verdade.

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/572988.html

Os touros não se extinguem se acabarem as touradas. Não se extinguem, porque os Touros são bovinos maltratados para a lide, e mais depressa se extinguirá a “raça” dos tauricidas do que os touros, porque acabando as touradas, acaba-se a tortura dos bovinos, e estes poderão viver em paz e reproduzir-se livremente. Verdade.

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/98835.html

A tauromaquia recebe anualmente 16 milhões do estado português, fora os subsídios europeus, fora os subsídios das autarquias. Verdade.

A tauromaquia é financiada pela União Europeia. Verdade.

A tauromaquia é financiada camufladamente pelos apoios agrícolas da União Europeia e pelo Ministério da Agricultura. Verdade.

As touradas estão em franca decadência e dependem de subsídios do Estado. Se não fossem esses subsídios a selvajaria tauromáquica já teria desaparecido. Verdade.

A tauromaquia é prejudicial para as crianças. Todos os estudos realizados apontam nesse sentido. E nem sequer eram necessários estudos. A violência, a crueldade e a maldade nunca foram benéficas nem para as crianças, nem sequer para os adultos, transformando-os em monstrinhos e monstros. Verdade.

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/como-se-faz-um-aficionado-de-touradas-586564

UNESCO condena as touradas, só um anormal não condena a tortura de seres vivos. E sendo a UNESCO uma organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura Culta condena tudo o que vai contra a Educação, a Ciência e a Cultura Culta, atributos da essência humana. Verdade.

Os aficionados são sádicos e perversos e vão à praça divertir-se com o sofrimento atroz de um ser vivo, que é um animal senciente e tão animal como nós. Verdade.

As touradas são tortura e uma barbaridade, uma crueldade, uma aberração, uma monstruosidade. Verdade.

As touradas não são Cultura, porque a Cultura eleva o Ser Humano, e a selvajaria tauromáquica coloca-o abaixo do nível habitual da natureza humana, coloca-o ao nível de uma criatura inferior ao homem das cavernas que não se divertia a torturar animais. Verdade.

O Touro “bravo” é tão manso como um cão, e o que o faz ficar “bravo” são as crueldades praticadas contra ele, desde que nasce até ser atirado a uma arena para ser barbaramente torturado. Verdade.

A tourada gera violência e é uma marca de subdesenvolvimento das populações, um sinal de atraso de vida, de incultura, de estupidez no seu grau mais elevado. Verdade.

A tourada é uma luta desleal e injusta entre um Touro indefeso, inocente e inofensivo, previamente enfraquecido com todo o género de maus tratos, ao qual cortaram os cornos (as suas defesas), e uma besta armada de bandarilhas, espadas e muita vontade de exorcizar sobre o animal indefeso todo o ódio, toda a frustração, toda a iniquidade que lhe queima as entranhas mal-amanhadas. Verdade.

A tourada incentiva a violência e insensibiliza o público bronco que aplaude tamanha carnificina. Verdade.

A tourada tem por único objectivo torturar e infligir sofrimento aos Touros, para que um bando de sádicos possa divertir-se e masturbar-se mentalmente. Verdade.

A tourada é um “espectáculo” medieval, anacrónico e atrasado, que só demonstra o nível primitivo de quem a pratica, a aplaude e a promove. Verdade.

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/o-video-que-os-pro-touradas-nao-querem-584837

As praças de touros são redondas não para confundir o Touro, mas porque redondas eram as arenas da tortura dos gladiadores romanos. O círculo dá possibilidade de maior visibilidade ao que se passa no centro das actuações: o redondel da tortura. Desse modo, os sádicos podem ver em pormenor todos os detalhes da tortura. Verdade.

***

Estas são as verdades verdadeiras. Tudo o resto são mentiras, que por mais que os tauricidas as repitam até à exaustão, nunca se transformarão em verdades, porque nós, anti-touradas, jamais o deixaremos.

Farei minhas as palavras de Carlos Loures:

«Não há tolerância que possa ser invocada para desculpar o gosto pelas touradas, aquilo que em bom português se designa por afición. Como, a não ser por uma tara, ou por uma perversão do carácter, pode alguém gostar de ver um animal a ser torturado? Se o aficionado professa a fé católica, está a pecar, se pensa que é boa pessoa, desiluda-se, é um monstro, se se julga culto, um intelectual, por assim dizer, não pense uma coisa dessas, porque é uma besta. Se é nobre e usa um brasão num anel, nesse caso, está certo – a nobreza diz bem com a tourada – em termos de fé, no plano da ética, no da cultura…

Não há nada para compreender. Quem se diverte com a tortura de um animal é um sádico. Quem procura esconder o sadismo sob uma capa de mística, a não ser que seja nobre, é um estúpido

Fonte: Arco de Almedina

***

É isso mesmo, Isabel. Não falaria melhor!

Os pró-touradas sempre se recusaram e se recusam a provar o que dizem, com provas concretas, sérias, cientificas e éticas. Os pró-touradas sempre se refugiaram e refugiam a traz de pessoas que em momento algum, apresentaram provas cientificas e éticas e que tenham sido publicadas numa publicação cientifica, como por exemplo a revista cientifica Nature!

Tudo o que nós Anti-tourada dizemos é verdade. E quanto mais os pró-touradas dizerem que o que nós dizemos é mentira, sem o provarem publicamente, com dados concretos, sérios, éticos e com a indicação publica, quando e em que revista cientifica alguns desses dados foram publicados, mais se enterram!

Está na altura de perceberem isto, de uma vez por todas!

Tal como disse ontem, os argumentos dos pró-touradas, saíram de uma antiquíssima arca, cheia de teias de aranha. E os pró-touradas repetem esses argumentos como um disco riscado.

Depois, quando confrontados com o dever de apresentarem provas cientificas e éticas, fazem o que fazem sempre; fogem, como se estivessem estado no meio de uma floresta e encontrado um lobisomem. Os pró-touradas têm pavor que lhes falem de apresentarem provas cientificas e éticas. E por essa razão, ano após ano, fogem de as apresentar.

Está na altura de perceberem de que não chega repetirem e repetirem e voltar a repetir os mesmo argumentos, vezes e vezes sem conta. É preciso apresentarem-nos provas cientificas, elaboradas por científicos não ligados à tauromaquia, directa ou indirectamente, científicos que cumpram o código profissional, e não por pseudo cientificos ligados à tauromaquia, como por exemplo o Joaquim Grave!

Mário Amorim