Intolerância Ativista interrompe tourada e é brutalmente agredido em Lisboa, Portugal

Peter Janssen foi detido e levado pela polícia ao hospital depois de ter sido agredido por aficionados

t-1-2

A corrida de touros realizada no Campo Pequeno, em Lisboa, ficou marcada pela interrupção do ativista holandês Peter Janssen. Em tronco nu, mostrava as mensagens “Basta de tortura” e “Respect for animals”. Os aficionados responderam com insultos e, alega o grupo Vegan Strike no Facebook, com agressões. O ativista foi detido pela PSP e notificado para comparecer ao tribunal.

Segundo este grupo, o ativista passou a noite no hospital, tendo realizado vários exames, entre os quais rais-X e uma TAC. No texto publicado no Facebook, o Vegan Strike Group alega que Peter Janssen foi agredido de forma “brutal e selvagem” por um grupo de sete indivíduos. “A violência com que estes covardes cercaram o nosso colega foi terrível. Pontapés, murros e até dentadas. Não há uma zona do seu corpo que não tenha nódoas negras, arranhões ou marcas de dentes”, lê-se.

t-2-2

A agressão terá acontecido frente à polícia, diz o mesmo texto, em que também se lê que a organização tem um vídeo para denunciar os agressores.

O intendente Hugo Palma, da Direção nacional da PSP, esclarece que “a polícia tentou protegê-lo”, mas admite que até conseguir retirá-lo da praça de touros este tenha sofrido agressões, possíveis de comprovar pelas marcas que tinha no corpo.

O intendente admite que a polícia não conseguiu, até, ao momento, identificar nenhum agressor e confirma a ida ao hospital de Santa Maria, levado pela própria polícia, depois de se ter queixado de algumas dores.

t-3-1

Hugo Palma esclarece que o ativista foi detido porque o promotor do espetáculo, uma corrida de touros da Flash Vidas e Correio da Manhã, apresentou queixa. Peter Janssen foi notificado para comparecer hoje em tribunal. Tem seis meses para apresentar queixa pelas agressões que sofreu.

O exterior da praça do Campo pequeno costuma se palco de vários protestos antitouradas, no entanto, o intendente Hugo Palma não tem memória de um incidente como este.

*Esta notícia foi escrita, originalmente, em português europeu e foi mantida em seus padrões linguísticos e ortográficos, em respeito a nossos leitores.

Fonte: ANDA

Anúncios

Ativista holandês agredido na arena do Campo Pequeno

Amigos do holandês, que invadiu a arena do Campo Pequeno na noite da passada quinta-feira, dizem que o ativista foi brutalmente agredido por um grupo de sete indivíduos, após ter protestado “pacificamente” contra as touradas.

Peter Janssen saltou para a arena do Campo Pequeno, em tronco nu, com mensagens escritas no corpo “Basta de tortura” e “Respect for Animals (respeito pelos animais). Um momento que pretendia ser um protesto pacífico contra a corrida de touros que ali decorria. 

No entanto, amigos de Peter Jansen escreveram um publicação no Facebook, na página “Vegan Strike Group” dando conta de que o ativista, que estava a protestar “pacificamente”, foi severamente agredido por sete indivíduos, que julgam tratar-se de membros de gangues. As agressões de que o holandês foi alvo obrigaram-no a passar a noite no hospital, de acordo com os amigos.

Na mesma publicação, lê-se que a violência com que os atacantes se dirigiram a Peter foi “assustadora”. Envolveu, segundo o relato dos amigos, pontapés, murros e até mordidas, até perder a consciência. Os amigos do holandês dizem ainda que todas as agressões foram cometidas em frente à Polícia.

O grupo refere que filmou a cena e promete usá-lo para denunciar aquilo que consideram ser um ato de “psicopatas loucos”.

Fonte: Notícias ao Minuto

***

“O grupo refere que filmou a cena e promete usá-lo para denunciar aquilo que consideram ser um ato de “psicopatas loucos”.

Quem pratica a selvajaria chamada tauromaquia, é Psicopata Louco.
Quem defende a selvajaria chamada tauromaquia, é Psicopata Louco.
Por isso, os amigos do Peter Jansen estão cobertos de razão!

Mário Amorim

MAIS UMA PROVA…

O que se passou no Campo Pequeno com o activista holandês, Peter Jansen, que pode ser lido AQUI, é mais uma prova da maneira de ser da maioria dos defensores da tauromaquia.
A maioria dos defensores da tauromaquia, são gente sem princípios, são gente mal-educada, são gente que não tem limites nas suas acções. São gente perigosa. O mundo que gira em torno da tauromaquia, é um mundo onde impera a Máfia.
E toda essa maneira de ser vem ao de cima, quando um herói, como o Peter Jansen, faz o que fez. Nesses momentos a maneira de ser deles vem ao de cima de forma clara.

Mas a maneira de ser dos defensores da tauromaquia, tem uma causa. E essa causa, é a falta de argumentos científicos e éticos. É o não poderem provar cientifica e eticamente o que dizem. E como não podem provar o que dizem cientifica e eticamente, agem como agiram para com o Peter Janssen.

Quem tem argumentos sérios e válidos. Quem tem argumentos éticos e científicos, não precisa de agir da forma como o fizeram no campo pequeno, para com o activista holandês.

Depois, este acto, as imagens, vai correr mundo, e vai e muito bem, afastar, milhares e milhares de pessoas de Portugal. Com este selvático acto, o nome de Portugal, vai ficar ainda mais sujo, pelos quatro cantos do mundo. O mundo Mafioso da tauromaquia, suja o nome de Portugal, pelos quatro cantos do mundo!

Mário Amorim