Uma península. Dois países. Num age-se e no outro não!

iberian_peninsula

Dois países vizinhos.
Um age contra a tauromaquia.
Enquanto o outro, vê o país do lado a agir, e age como se não fosse nada com ele.
Em Espanha a luta contra a tauromaquia obtém resultados.
Enquanto que em Portugal, o único resultado é Viana do Castelo.

A verdade é que os Anti-tourada espanhóis, são corajosos, são aguerridos. Eles arriscam. Eles fazem o que tem de ser feito contra a tauromaquia. E estou convencido de que eles farão muito mais, no futuro. Estou convencido de que eles irão arriscar muito, muito mais, no futuro.

O risco faz parte da luta contra a tauromaquia.
Como diz o ditado; quem não arrisca não petisca.

O risco na luta contra a tauromaquia começa nas ruas.
É também na capacidade de arriscar, nas ruas, e vencer o risco, que se consegue vencer, na luta contra a tauromaquia.

Em Portugal, não existe coragem alguma.
Não existe risco algum.
A bem da verdade. A luta contra a tauromaquia, como ocorre em Portugal, não irá lá.

A luta contra a tauromaquia em Portugal só irá lá, quando existir coragem, fibra. Só irá lá, quando arriscar, sem receio, sem medo.
Só irá lá, quando nenhum motivo impedir que se arrisque, para se fazer ouvir, a voz do touro, como nunca até hoje se fez, em Portugal.

E enquanto em Portugal não se perceber isto, a luta contra a tauromaquia, não irá ser uma luta ganha!

Mário Amorim

Anúncios