CONTEÚDO ANDA Zoológico do Canadá enfim é fechado após denúncias de crueldade

pi-1

Um zoológico em Ontario, no Canadá, irá fechar suas portas neste outono depois do público ter caído “catastroficamente”, após imagens de crueldade animal no local serem divulgadas pela PETA em dezembro. A história ganhou as manchetes ao redor do mundo.

O zoológico de Bowmanville tornou-se famoso por fornecer animais para serem explorados em filmes de Hollywood e é propriedade de Michael Hackenberger, que aparece no vídeo da PETA, no qual é visto golpeando com um chicote um tigre chamado Uno durante uma sessão de treinamento, relata o World Animal News.

O zoológico declara ser o mais antigo zoológico particular na América do Norte, e foi criado em 1919. Será necessário cerca de um ano para encontrar novos lares para os animais que vivem no local.

“Nós sentimos que este é um trágico exemplo de julgamento público antes mesmo do julgamento em um tribunal real”, disse o porta-voz do zoológico Angus Carroll.

“As alegações falsas feitas pela PETA no que diz respeito a um incidente com um tigre criaram um clima em que o zoológico não pode mais operar. As pessoas estão se afastando porque acreditam nessas alegações”, disse Carroll em uma declaração escrita.

Hackenberger recebeu quatro acusações pela Sociedade para Prevenção da Crueldade Contra Animais de Ontário, por causar sofrimento aos animais – além da crueldade óbvia do confinamento.

Um vídeo no qual Hackenberger aparece xingando um macaco ao vivo na televisão também gerou impacto nas mídias sociais.

“O fechamento do zoológico ocorre tarde demais para as centenas de animais que sofreram lá durante 100 anos”, afirmou a porta-voz da PETA Brittany Peet.

“Toda vez que um zoológico fecha as suas portas é um momento de celebração. Nenhuma dessas pessoas deve se envolver com essa espécie de negócio que abusa de animais. É hora de todos eles encontrarem outros empregos e também melhores casas para os animais.”

Jonas, um dos tigres que vivem no zoológico, foi explorado no filme “A vida de Pi”. O zoológico também ‘aluga’ animais para eventos privados, de acordo com seu website.

Recentemente, Justin Bieber provocou controvérsia depois de postar fotos de si mesmo no Instagram acariciando um tigre ‘alugado’ pelo zoológico para um evento.

Hackenberger pode passar dois anos na prisão e ser multado em 60 mil dólares. Ele também terá de enfrentar uma proibição vitalícia de viver com animais caso seja condenado.

Fonte: ANDA

Anúncios

Guerra contra a vida selvagem Governo autoriza e incentiva massacre a lobos e coiotes no Canadá

Foto: Ottawa Sun

Assim como diversas decisões controversas são tomadas pelos governos quando não há ninguém olhando, foi anunciado pela Premier Kathleen Wynne que terá início a caça aos lobos e coiotes no norte de Ontário, no Canadá. As informações são da Care2.

Tendo postado o anúncio no Registro de Leis Ambientais de Ontário (EBR #012-6073) no dia 17 de dezembro, o governo de Ontário está propondo remover os requerimentos anteriores que exigiam que os caçadores comprassem uma licença especial para matar lobos, e também sugere a remoção da restrição segundo a qual cada caçador podia matar apenas um lobo por temporada.

Segundo a reportagem, o governo da primeira ministra aprovou um massacre ainda pior que das outras vezes. Isso porque irá permitir que qualquer caçador portando uma pequena licença de caça possa matar dois lobos a cada estação, e remove todas as restrições para a caça aos coiotes.

Para colocar isso em perspectiva, em 2010 – que é o último ano do qual se tem estatísticas disponíveis, Ontário vendeu mais de 28.000 pequenas licenças. Quando se consideram as pequenas licenças de duração de três anos, no entanto, esse número aumenta para mais de 100.000 caçadores. Se essa proposta for aprovada, cada caçador de posse de uma pequena licença poderá matar dois lobos por temporada e quantos coiotes desejar.

Dessa forma, o massacre de Ontário permitirá que milhares de lobos sejam mortos a cada ano.

O governo argumenta que essa liberação se dá devido ao rápido declínio da população de alces que se tem observado na capital.

Mas, ao invés de colocar um fim à caça aos alces adultos e filhotes, e/ou proteger o habitat dos alces da silvicultura intensiva, cujos herbicidas fazem murchar as plantas que servem de alimento aos alces durante os meses de inverno, é simplesmente mais fácil matar mais lobos e coiotes.

Além disso, a caça aos lobos e coiotes ainda visa abastecer o mercado de luxo dos produtos de peles. Esse é, inclusive, um ponto abertamente apoiado e comentado por caçadores na página da federação de caçadores de Ontário no Facebook.

Esse é o segundo grande massacre de animais anunciado pelo governo de Ontário nos últimos dois meses. O primeiro foi o de ursos negros, através da aprovação de uma temporada de caça.

Por favor, assine a petição que será endereçada ao governo do Canadá, apelando para que os animais sejam poupados e para que o mesmo cesse essa guerra contra a vida selvagem.

Foto: Care2

Fonte: ANDA