QUASE HUMANOS O nascimento de dois novos bebes de gorila-da-montanha são uma vitória para a espécie

Entre a República Democrática do Congo, Ruanda e Uganda existem apenas 1.063 gorilas-da-montanha e essa é população total da espécie em todo o planeta

Seminame deu à luz em Janeiro a uma menina.

Um beb

Um bebé nascido em Janeiro de 2020 e outro em Setembro do ano passado no Parque Nacional de Virunga, na República Democrática do Congo (África), fez a população de gorilas-da-montanha subir para 1063 indivíduos. Ainda é pouco, afinal, em poucos metros andando pelas ruas de uma grande cidade cruzamos com mais pessoas do que o número total de gorilas-da-montanha existentes no planeta. Mesmo assim, esses dois novos bebes são uma vitória para uma espécie que é vítima da caça, do desmatamento, da agricultura, da guerra civil, extracção de carvão e doenças humanas como o Ebola.que é vítima da caça, do desmatamento, da agricultura, da guerra civil, extracção de carvão e doenças humanas como o Ebola.

Seminame é a gorila que deu à luz ao primeiro bebé de 2020 no início de Janeiro. Uma menina! Semminame tem 8 anos de idade e essa foi sua primeira gravidez.  A família de Seminame conhecida como “Munyanga” tem agora 10 indivíduos. As gorilas tornam-se sexualmente maduras entre 8 e 10 anos e então deixam a família para serem aceitas em outro grupo porque os gorilas não se reproduzem com parentes. O tempo de gestação é semelhante aos humanos, por volta de oito meses e meio.


Jicho deu à luz a um menino em Setembro de 2019. Ela tem 33 anos e é seu sétimo filho.

 

Em Setembro de 2019, a gorila Jicho deu à luz a um menino. Bem mais velha que Seminame, Jicho tem 33 anos e esse é seu sétimo filho. Ela é da família de gorilas conhecida como “Mapuwa” que aumentou para 25 membros. Uma curiosidade é que Jicho nasceu na família “Rugabo” que foi uma das primeiras a habitar o Parque Nacional de Virunga em 1984.

Existem hoje no Parque Nacional de Virunga 604 gorilas-da-montanha monitorados e protegidos por guardas florestais. Outros 459 gorilas dessa espécie habitam florestas de Uganda e Ruanda formando um complexo que conecta os três países por meio de suas fronteiras. Esse é o único lugar do mundo onde existem gorilas-da-montanha que ficaram conhecidos com o clássico “Na Montanha dos Gorilas”, estrelado por Sigourney Weaver  e que conta a vida da já falecida primatologista Dian Fossey, a maior responsável por essa espécie continuar viva até hoje.


Cena do filme “Na Montanha dos Gorilas”.

Muita gente confunde o gorila-da-montanha (Gorilla beringei beringei) com o gorila-da-planície (Gorilla gorilla gorilla), mas eles são muito diferentes. Na verdade, ambos são subespécies de gorilas. O da planície, além de não ser tão peludo quanto o da montanha e ter uma coloração mais amarronzada, conta com uma população muito maior (de milhares de indivíduos) e, infelizmente, já se tornou atracão de alguns zoológicos espalhados pelo mundo. Ainda não há nenhum gorila-da-montanha vivendo em zoo. Os gorilas não caçam e os únicos animais que comem são os cupins e alguns outros pequenos isentos. A alimentação é praticamente de folhas, brotos e bambus.

Para conhecer melhor o corajoso trabalho realizado no Parque Nacional de Virunga em defesa dos animais que lá habitam, acesse AQUI

Veja também fotos e notícias sobre os gorilas-das-montanhas pelo Instagram ou Facebook

Fátima ChuEcco é jornalista ambientalista e actuante na causa animal

Fonte: ANDA