Até quando esta barbaridade anual no Artico, da Nuruega continuar na Noruega?! CONTEÚDO ANDA Noruega estimula assassinato de baleias grávidas durante caça anual

https://i1.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/03/b-6-e1490974003536.jpg

Uma baleia minke emergiu para tentar conseguir um pouco de ar quando um arpão atingiu seu corpo. Ela se contorceu, mas não conseguiu fugir. Morreu lentamente e de maneira dolorosa conforme seu sangue tingia o oceano de vermelho.

O navio que a atingiu pegou seu corpo. Uma vez que ela estava a bordo, os pescadores a cortaram para que pudessem vender sua carne.

Isto é exatamente o que a Noruega planeja começar a fazer em abril, quando  inicia sua caça anual de baleias no Ártico. Neste ano, o objetivo é matar 999 baleias minke, um número maior do que a cota de 880 de 2016.
Enquanto outros países como o Japão e a Islândia receberam muita atenção da mídia por suas caças de baleias, a Noruega é atualmente a nação que mais mata baleias no mundo, assassinando mais indivíduos anualmente do que a Islândia e o Japão juntos.

A prática possui uma extrema crueldade. Caçadores atiram nas baleias com granadas acopladas a arpões que possuem “garras” nas pontas.

Quando o arpão atinge a baleia, ele se encaixa profundamente na carne do animal – e isso não apenas as mata lenta e dolorosamente, mas é usado para transportar seu corpo para o convés do navio. Se as baleias não morrem imediatamente, os caçadores usam rifles.

Em alguns casos, de acordo com Michael Tenten, da International Marine Mammal Conservation Society (IMMCS), as caçadas podem continuar por horas antes de a baleia finalmente morrer. De fato, há registros de uma caça que supostamente durou quase seis horas, da qual Tenten soube depois que ele e um colega embarcaram em um navio norueguês em 2016.

“A granada atinge o corpo da baleia e detona, causando um trauma enorme. Acreditamos firmemente que não há maneira humana de matar uma baleia e que a caça comercial é inerentemente cruel”, explicou Kate O’Connell, uma consultora da fauna marinha do Animal Welfare Institute.

Outra faceta deplorável da matança é que os caçadores costumam perseguir as fêmeas e a maioria delas está grávida. De fato, 90% das baleias caçadas são fêmeas grávidas, de acordo com um novo documentário sobre a caça de baleias na Noruega.

“As baleias grávidas são nadadoras mais lentas. Elas são fáceis de atingir e os caçadores não podem distinguir uma baleia grávida de uma baleia não grávida, muito menos um macho de uma fêmea porque geralmente você só vê a ponta das costas e não todo o animal”, disse Astrid Fuchs, líder de programas de Conservação de Baleias e Golfinhos (WDC).

Atualmente, a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) lista as baleias minke como uma espécie de “menor preocupação”. No entanto, Fuchs acredita que a captura de fêmeas grávidas, ou de qualquer baleia, ainda pode ter efeitos devastadores sobre a população da espécie.

A remoção de baleias do oceano também pode gerar prejuízos para o ambiente marinho, de acordo com Paul Watson, presidente da Sea Shepherd Conservation Society, que se opõe ativamente às caças de baleias globais.

“Quanto mais baleias, mais saudáveis são os oceanos porque as baleias fornecem o nitrogênio e o ferro necessários para uma população vital de fitoplâncton. Populações de fitoplâncton diminuíram 40% em 1950, principalmente devido à redução da população de baleias”, apontou.

Apesar da oposição de ativistas e cientistas, as caçadas norueguesas continuam, embora não esteja claro o motivo. Poucas pessoas na Noruega realmente querem comer carne de baleia, então a demanda é baixa e o país exporta a maior parte da carne para o Japão.

“Estamos chocados com o fato de a Noruega, como uma líder na proteção da natureza, matar a maioria das baleias em todo o mundo – a maioria delas fêmeas grávidas”, disse Nicolas Entrup, consultor do OceanCare, um grupo de proteção da vida marinha.

“Esperamos que esta prática termine muito em breve diante do crescente protesto internacional. Não há necessidade e não há lugar para a caça comercial de baleias no século XXI”, completou.

Embora impedir a Noruega de caçar baleias pareça uma tarefa colossal, organizações como a OceanCare, a AWI, a WDC e a Sea Shepherd Conservation Society estão trabalhando duro para chamar a atenção para isso e acabar com a matança. Há também grupos menores que lutam para proteger as baleias, como o German chapter do IMMCS, que tem trabalhado para filmar e fotografar as caças norueguesas de baleias.

Fonte: ANDA

Anúncios

CONTEÚDO ANDA Baleia encontrada com mais de 30 sacos plásticos no estômago tem morte induzida

Pesquisadores da Noruega entraram em choque quando descobriram mais de 30 sacos plásticos e outros resíduos de plástico dentro do estômago de uma baleia.

A baleia de Cuvier, que teve a morte induzida por guardas da costa oeste do país, tinha claramente consumido uma enorme quantidade de resíduos não biodegradáveis.

Apesar das terríveis descobertas, os pesquisadores dizem que os plásticos encontrados na baleia não são “surpreendentes”, já que a quantidade de resíduos nos mares continua a crescer.

A baleia estava em mau estado e tinha ficado encalhada em águas rasas da ilha de Sotra, por isso teve sua morte induzida. Seu estômago foi examinado por pesquisadores da University of Bergen.

https://i1.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/02/76-1.jpg

Terje Lislevand, um zoólogo que examinou o mamífero, disse: “O estômago da baleia estava cheio de sacos de plástico e embalagens com rótulos em dinamarquês e inglês”.

Ela também estava extremamente magra provavelmente devido à desnutrição. Lislevand disse que os intestinos da baleia foram bloqueados provavelmente pela acumulação do plástico, causando uma dor severa.

As baleias de Cuvier possuem até 22 pés de comprimento e geralmente se alimentam de lula e peixes de profundidade. Os mamíferos normalmente não vagam pelas águas norueguesas.

https://i2.wp.com/www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/02/34-1.jpg

Infelizmente, o plástico é encontrado regularmente nos estômagos das baleias encalhadas em todo o mundo. Especialistas estimam que existam cinco trilhões de pedaços de plástico flutuando nos oceanos do mundo e que matam inúmeros animais por ano.

Acredita-se que até 2050 haverá mais plástico no mar do que peixes. Calcula-se que 100 bilhões de sacos plástico sejam usados todos os anos na Europa, sendo que oito bilhões se tornam lixo, informou o Daily Mail.

Fonte: ANDA

Stop Hunting Whales to Feed Fur Farm Animals

whale_meat_by_patrick_müllerTarget: Elisabeth Aspaker, Minister of the Royal Norwegian Ministry of Fisheries and Coastal Affairs

Goal: Stop hunting whales simply to use as feed in fur industry.

Whale meat is in such low demand in Norway that it is ending up as feed for animals on fur farms, yet the cruel practice of whale hunting (and fur farming) continues in the country. According to a new study by the Environmental Investigation Agency and the Animal Welfare Institute, more than 113 metric tons of minke whale products were bought by the largest manufacturer of feed for animals in Norway’s fur industry.

There are only three countries that still have a whaling industry and Norway is one of them. Their government has claimed the practice needs to continue because whale meat is an important food source for people. Clearly, this is not the case if so much whale meat is being used as animal feed. Consumption of whale meat in Norway has been steadily declining, and as a result the country has increased its exports to Japan despite an international ban on the trade. Yet even Japan has rejected the whale meat in the past due to high levels of toxic pesticides.

The Norwegian government can no longer defend the whaling industry by citing the need for whale meat. Evidence of the decreasing demand is clear from the amount of whale products being exported, and the new discovery of its use as animal feed for the fur industry is the final proof. Continuing whale hunts despite the obvious low demand for whale meat would be both inhumane and unnecessary. Sign the petition below to urge the Norwegian government to withdraw its support of the whaling industry in light of this new evidence and to end the harmful practice of hunting and killing minke whales.

PETITION LETTER:

Dear Minister Aspaker,

The Norwegian government has claimed in the past that the whaling industry is necessary because whale meat is an important food source for the country’s people. Yet new evidence has shown that whale meat is in such low demand that it is ending up in the feed manufactured for animals on fur farms. Given the decreasing demand for whale meat, it would be both cruel and unnecessary to continue hunting and killing minke whales in Norway.

According to a document released by the Environmental Investigation Agency and the Animal Welfare Institute, more than 113 metric tons of minke whale products were used by Rogaland Pelsdyrfôrlaget, the largest manufacturer of animal feed for Norway’s fur industry. There has also been an increase in the exportation of whale meat to Japan, despite an international ban.

I am urging you to withdraw your support of the whaling industry in response to this new evidence of the low demand for whale meat. Please take action to end the inhumane and unnecessary practice of whale hunting in Norway, and join the many other countries that have already outlawed the whaling industry.

Sincerely,

[Your Name Here]

Sign the Petition/Assinar esta petição

https://forcechange.com/155234/stop-hunting-whales-for-use-as-feed-for-animals-in-fur-farms/?utm_source=ForceChange+Newsletter&utm_campaign=8528b966e8-632FC4_2_2016&utm_medium=email&utm_term=0_600a6911b9-8528b966e8-298979501

Abominável Por que a caça à baleia ainda é permitida

Alguns países, como Islândia e Japão, ainda permitem a caça à baleia
Alguns países, como Islândia e Japão, ainda permitem a caça à baleia

O grupo ativista-hacker Anonymous derrubou recentemente diversos sites do governo da Islândia em protesto contra a caça de baleias no país.

“As baleias não têm voz. Seremos a voz delas. É hora de falar sobre essa iminente extinção de uma espécie. É hora de deixar a Islândia saber que não vamos ficar assistindo enquanto eles levam esse animal à extinção”, disse o Anonymous.

A Islândia não é o único país que ainda pratica a caça de baleias: a Noruega e o Japão também fazem isso, assim como algumas comunidades menores.

Isso muitas vezes choca e aterroriza pessoas de outros lugares do mundo. Mas, se tanta gente se opõe, por que esses países ainda caçam baleias?

Em 1986, em resposta à redução da população de baleias e ao crescente repúdio pela prática, a Comissão Internacional de Baleias (International Whaling Commission, ou IWC) determinou uma moratória global na caça comercial dos animais.

A Islândia assinou a moratória, mas “com reservas”. Isso significa que não é ilegal que a Islândia continue caçando baleias, desde que cumpra determinadas regras.

Fonte: ANDA

ISTO PASSOU-SE NA NORUEGA…

Se fosse cá em Portugal os patinhos eram atropelados e levados para fazer arroz…

As autoridades policiais na Noruega protegem não só os animais humanos como também os animais não humanos.

Uma atitude a louvar e a seguir pelas autoridades portuguesas, na sua maioria, INSENSÍVEIS ao que se passa ao redor do mundo dos animais ditos não humanos…

Fonte: Arco de Almedina

Mulher que abandonou gato em aeroporto responderá por crime de crueldade contra animais

Informada de que não poderia embarcar com o animal, mulher abandona gato em aeroporto e volta para fazer check-in

Na foto, o gato que foi abandonado em aeroporto

Gato abandonado em aeroporto (foto) foi encaminhado para um abrigo na Noruega (Foto: Reprodução/Daily Mail)

Uma mulher abandonou seu gato no aeroporto de Oslo, na Noruega, logo após ser informada de que não poderia embarcar com o animal.

A mulher estava se preparando para embarcar em um voo para Londres, quando foi notificada de que não era permitido embarcar com o seu gato na cabine do avião. Segundo informações do Daily Mail, a Norwegian Air Shuttle, companhia aérea responsável pelo voo, não permite embarcar com animais na cabine dos passageiros em voos internacionais. Ao invés de levar o gato de volta para casa, a mulher, para não perder o voo, simplesmente deixou o animal num canto do aeroporto e voltou para fazer o check-in.

Os funcionários, desconfiados com o comportamento da mulher, acionaram uma busca no terminal e acabaram encontrando o gato abandonado numa área do aeroporto, dentro de uma caixa de transporte. O caso foi então informado à polícia.

Quando questionada pela polícia, a mulher afirmou que teria acionado um amigo para buscar o animal, no entanto as imagens gravadas provam que ela simplesmente abandonou o gato antes de voltar para fazer o check-in.

Segundo informações da polícia local, a mulher responderá por crime de crueldade contra animais e o animal foi levado para um abrigo em Lillestrom, onde ficará disponível para adoção.

Nota da Redação: É absolutamente lamentável que algumas companhias aéreas ainda proíbam o embarque de animais domésticos junto à cabine dos passageiros. Grandes empresas como a Air France, Delta Air Lines, American Airlines, Gol, Azul, Avianca e TAM, entre outras, já permitem a presença de animais junto a seus tutores durante o voo. É também sempre bom ressaltar que nem todo animal pode viajar de avião, sendo sempre recomendável que o estado de saúde do animal seja avaliado por um veterinário antes de considerar a possibilidade de embarcar em uma longa jornada aérea. Gostaríamos ainda de deixar claro que nada disso justifica o ato criminoso da mulher, que se aproveitou de uma circunstância totalmente contornável para praticar um ato de crueldade.

Fonte: ANDA

***

Enquanto que cá em Portugal, continua-se a abandonar cães e gatos, continua-se a maltratar, a torturar, cães e gatos, touros e cavalos, animais nos circos, continua-se a caçar, que nada acontece. Cá em Portugal, todo este maltrato, toda esta tortura, não é punida. Quanto à Noruega, é outro mundo. A Noruega, ao contrário de Portugal, é um país, realmente civilizado, e esta notícia é um claro exemplo disso!

Mário Amorim