Golfinhos surpreendem banhistas a Norte

Nos últimos dias têm sido conhecidos vários relatos de avistamentos entre Vila Nova de Gaia e Vila do Conde. Investigadora pede às pessoas que evitem tocar nos golfinhos.

Um grupo de golfinhos foi avistado junto à praia da Meia Laranja, em Leça da Palmeira. O momento foi filmado por uma banhista e partilhado nas redes sociais.

O vídeo publicado esta terça-feira mostra vários golfinhos a poucas dezenas de metros da costa, para lá da zona de rebentação.

O momento foi presenciado por centenas de banhistas que se encontravam a desfrutar de um dia de sol na praia da Meia Laranja.

Nos últimos dias têm sido registados vários de avistamentos de golfinhos no Norte do país, entre Vila do Conde e Vila Nova de Gaia.

A investigadora Catarina Eira considera, em declarações à agência Lusa, que o aparecimento destes mamíferos junto à costa é algo “perfeitamente normal” e pede às pessoas que evitem tentar o contacto.

Depois de assistir a imagens nas redes sociais identificadas como sendo dos avistamentos de segunda-feira, esclarece que um dos grupos em causa parecia ser um conjunto “familiar de roazes e parece haver crias, o que é bastante engraçado”.

“É o que nós chamamos de uma escola: um grupo de fêmeas com as crias e nalgumas filmagens parecem estar em alimentação porque concentram-se numa determinada zona e fazem natação não direccional”, explica a investigadora do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) da Universidade de Aveiro.

O comandante da Zona Marítima do Norte, Teixeira Pereira, também descreve o avistamento de golfinhos como um fenómeno normal e reconhece não haver um registo, excepto quando envolvem acidentes ou quando os animais dão à costa.

Teixeira Pereira lembrou ainda que as condições do mar no Norte têm estado “muito favoráveis, com pouca agitação marítima”, o que faz com que seja “mais visível os animais virem à tona”.

Questionado sobre que indicações dar às pessoas quando em eventual proximidade dos golfinhos, o comandante sublinhou que os conselhos vão no sentido de não perturbar os animais, algo que vai ao encontro das declarações de Catarina Eira, que recorda que, caso um golfinho chegue à areia, deve ser contactada de imediato a Polícia Marítima.

Fonte: Renascença

Anúncios