CONTEÚDO ANDA Conheça cinco cães explorados em lutas que encontraram um final feliz

Os cães explorados em lutas são normalmente pit bulls e boxers. Eles sofrem abusos horríveis nas mãos dos adestradores, que muitas vezes os espancam, os amarram, os reproduzem repetidamente e os obrigam a ter uma vida miserável.

Cadela Jade

Os animais maiores e mais confiantes são ensinados a lutar e a matar enquanto o menor do grupo é usado como “isca” para treiná-los. Trata-se de uma indústria terrível.

Felizmente, há muitas organizações e indivíduos que lutam para acabar com essa prática e oferecer uma vida amorosa e feliz para os cães resgatados.

Muitos deles se beneficiaram da compaixão dessas pessoas que querem amá-los, curá-los e lhes dar lares seguros e saudáveis. Suas histórias nos dão esperança de que todos os cães sujeitos a essa vida cruel encontrarão um dia uma família amorosa e deixarão o sofrimento no passado. Veja alguns deles abaixo.

Handsome Dan
Cão Dan e sua família

alvez um dos cães mais conhecidos do grupo resgatado do ringue de luta de Michael Vick, Dan Dan foi adotado por um lar amoroso pouco depois de ser salvo pela Best Friends Animal Society. Ele ainda tem a distinção de ser um dos primeiros cães adotado do grupo chamado de “Cães Vitoriosos” que a organização salvou.

Sua família, que agora inclui uma irmãzinha humana, o trata muito bem. Segundo seu tutor, Handsome Dan começou a se transformar em um idoso temperamental, embora ainda seja muito feliz por ter sua família ao seu redor (incluindo outro cão e dois gatos). Talvez sua sabedoria de idoso o torne o cão babá perfeito para sua pequena irmã humana.

Pouco depois de o adotarem, seus tutores fundaram um grupo de treinamento de animais chamado Handsome Dan’s Rescue, que treina cães de abrigos que possuem problemas de comportamento para facilitar suas adoções. Este incrível trabalho não teria sido possível sem a inspiração do próprio Handsome Dan.

Normm
Cão Norm ao lado de tutor

Este pobre cãozinho foi resgatado de uma área muito conhecida por promover luta de cães em St. Louis, Missouri. A Stray Rescue, a organização que o resgatou, recebeu uma ligação informando sobre um cão gravemente ferido e, quando os ativistas chegaram ao local, Normm havia se arrastado para alguns arbustos para morrer sozinho.

Uma das suas pernas estava completamente dilacerada e cheia de larvas. De acordo com o One Green Planet, ele tinha grandes cortes e feridas causadas por mordidas em todo o corpo, mas especialmente na cabeça e em outra perna.

A equipe veterinária do abrigo fez uma amputação de emergência em sua perna infectada e deu muitos fluidos ao seu corpo desidratado para salvá-lo.

Ele sobreviveu e deve ter um futuro mais brilhante, cercado por pessoas que o amam. Quando ficar forte o suficiente, o cão estará a caminho de um lar definitivo onde poderá esquecer todos os horrores de seu passado.

Timmy
Cão Timmy deitado em sua cama

Timmy foi apresentado pela primeira vez ao mundo depois que a ASPCA invadiu um ringue de lutas de cães em 2013. O local estava envolvido em um anel de luta multiestatal e uma foto do pequeno Timmy com uma grande corrente foi divulgada pela ASPCA para ilustrar a crueldade da prática.

Embora o cão nunca devesse ter que sofrer esse abuso, graças à sua juventude, ele não ficou profundamente marcado pela experiência no ringue. Pouco depois do resgate, Timmy foi adotado por uma família amorosa e cresceu feliz e saudável.

Ele não se parece em nada com o cachorro faminto, amedrontado e amarrado a uma corrente pesada que já foi. Hoje, ele possui sua própria cama, brinca com o cachorro do vizinho e é muito feliz.

Grace
Cadela Grace

Grace foi resgatada por um grupo de bons samaritanos que a encontraram em um estado terrível e a levaram para o San Jose Animal Care Center. O veterinário imediatamente reconheceu seus ferimentos.

Ela não era apenas uma cadela abandonada que fora atacada por outro cachorro. Normalmente, os cães que são forçados a lutar atacam o pescoço, os ombros e os tornozelos de outro cachorro, ferimentos que a equipe veterinária identificou em Grace.

Além disso, a orelha direita da cadela tinha sido completamente arrancada, deixando uma grande ferida aberta que expunha os músculos ao redor de seu canal auditivo. O principal veterinário do grupo acredita que ela foi usada como uma isca ou que foi vítima de outros cães com quem foi forçada a acasalar.

Para curar a ferida, ela passou por um procedimento que removeu o que restava do seu canal auditivo direito (o que significa que ela não teria abertura ou capacidade de audição nessa orelha). Grace se recuperou o suficiente para ser transportada para o Arizona (EUA) pelo Mayday Pit Bull Rescue e agora vive no conforto de um abrigo que se esforça para que ela consiga uma casa amorosa.

Mamma Jade
Cadela Jade

Mama Jade foi salva pela recepcionista veterinária de 23 anos, Christianna Willis, há dois anos depois que seus amigos a encontraram ferida. Quando Willis verificou a pobre cadela, ela percebeu que Jade teve ferimentos consistentes com as lutas de cães.

Ela possuía marcas de mordida no focinho, carne exposta e descolorida no pescoço, sinais de cordas em todo o corpo e de que havia sido repetidamente explorada para reprodução. O veterinário que a examinou também descobriu que Mama Jade tinha câncer de mama.

A postagem de Willis no Craiglist: “O seu pit bull me encontrou e não vou devolver”, emocionou muitas pessoas que apoiaram seu desejo de ajudar Mama Jade e que queriam ajudá-la a pagar as despesas médicas do doce filhote para evitar que ela tivesse a morte induzida. Dois anos depois, Mama Jade está indo muito bem e está livre do câncer.

Fonte: ANDA

 

Anúncios