Como é que eu faria…!

Já estou afastado da luta contra a tauromaquia em grupo, desde 2013. Não estou envolvido em grupo, em organização, ou num movimento, qualquer.
A luta que faço, contra a tauromaquia, é uma luta individual.

Mas como faria, se decidisse recomeçar a lutar em grupo, criando um novo movimento?
– Seria um movimento para lutar unido, e não para querer protagonismo. A união seria, por tanto, a primeira condição dele, na luta contra a tauromaquia.
– Organizaria manifestações e marchas contra a tauromaquia, levando sempre em conta, as dificuldades de deslocação e monetária, de imensa gente, de todo o país, que não tem condições, para se deslocar a Lisboa.
. Essas manifestações e marchas, contra a tauromaquia, seriam organizadas por todo o país, para ter muito, muito mais gente a se manifestar.
É preciso levar em conta, que uma marcha, ou manifestação contra a tauromaquia, em Lisboa, tem, no máximo 10.000 pessoas. E que se realizadas por todo o país, não tem 10.000 pessoas, mas muitas dezenas de milhares de pessoas, no total.
Para essas manifestações e marchas, contra a tauromaquia, criaria um evento no Google+, e pediria a outra pessoa, para criar um evento idêntico, no Facebook. Nele, convidaria pessoas de todo o país e se juntarem e a juntarem organizações e movimentos animalistas das suas zonas, para em conjunto, em consonância, com o evento principal, organizarem essas manifestações e marchas, contra a tauromaquia, para o dia e para a hora, descrito, no evento principal.

O meu movimento, seria absolutamente exigente, na exigência, da abolição da tauromaquia.

Estaria, como uma carraça, a exigir ao Parlamento, o fim dos subsídios para a tauromaquia. E como uma carraça, não iria desistir, até o conseguir.

Seria também uma carraça, junto das Câmaras Municipais, para que mais Municípios, se declarem anti-tourada.

Agora; muitos de vocês, vão perguntar: então porquê que ele não cria esse movimento?
– Não o crio, porque acho que não há condições, em Portugal, para criar um movimento como este.
Se a luta contra a tauromaquia, fosse em Portugal, como é aqui em lado, em Espanha, haveria condições.
Mas como a luta contra a tauromaquia em Portugal, não é como é em Espanha, não há condições.

Mas caso houvesse condições para o criar, era assim que faria!

Mário Amorim

Anúncios

Exigência e Intransigência.

O que a luta contra a tauromaquia em Portugal precisa, é de ser exigente e intransigente.
Exigente, no ver resultados, em Portugal, contra a tauromaquia, para já, e não para mais tarde. E intransigente, no exigir que esses resultados, sejam uma realidade, para já.

É esta atitude que é necessária, existir em Portugal.
Esta atitude, é a única capaz de conseguir a abolição da tauromaquia em Portugal.

Sem exigência e intransigência, na luta contra a tauromaquia, não se é lutador, corajoso, perseverante.

A luta contra a tauromaquia em Portugal, tem de exigir para já a abolição da tauromaquia, e tem de ser absolutamente intransigente nessa exigência.

Esta é a atitude certa, em prol do touro, do cavalo e das crianças em jovens!

Mário Amorim

Em Portugal é assim!

Estou há muito, muito tempo com isto guardado dentro da minha garganta.
E agora chegou o momento de o dizer.

Vamos lá então!

Em Portugal é assim!

Em Portugal; outras organizações, mostram como em prol do bem-estar dos portugueses se luta, quando se quer obter resultados. E na luta contra a tauromaquia, olha-se e não se aprende, para se agir de igual modo.

Em Espanha age-se e consegue-se vitórias contra a tauromaquia. E em Portugal olha-se, e não se aprende, para se agir de igual modo.

Nos países Latino-americanos que têm tauromaquia, também se age como se deve agir, contra a tauromaquia. E em Portugal olha-se e não se aprende, para se agir de igual modo.

Noutros países, como por exemplo no Brasil, age-se como se deve agir, contra práticas tauromáquicas. E mais uma vez, em Portugal olha-se e não se aprende para agir de igual modo.

E agora pergunto: é assim que se age, quando se quer a abolição da tauromaquia em Portugal? – Não, não é assim que se age, quando se quer a sua bolição!

Nos países Latino-americanos que têm tauromaquia, e noutros países com práticas tauromáquicas, luta-se pela sua abolição. É que não basta querer-se a sua abolição. É necessário agir-se como se deve agir para o conseguir. E nestes países, isso já foi há muito assimilado.

Enquanto que em Portugal, não se faz o que deve ser feito, para se conseguir a abolição da tauromaquia.

Por exemplo; em Portugal, não se quer perceber, que todos os portugueses que são contra a tauromaquia, no Norte, no Centro, no Sul e nas ilhas, têm de ser chamados a agir contra a tauromaquia, não apenas assinando petições.

Em Portugal é assim!

E foi, principalmente, por ser assim em Portugal, que em 2013, resolvi continuar a lutar contra a tauromaquia, sozinho, tendo, então, abandonado a luta em grupo, como até aí fazia. Estava farto, de ver resultados, atrás de resultados noutros países, na luta contra a tauromaquia, devido à forte e aguerrida luta contra ela, e em Portugal não!

Mário Amorim

Pensem nisto!

imagem-3o-2

“Só é vencido quem desiste de lutar”
Mário Soares

***

É possível a luta contra a tauromaquia em Portugal levar à abolição da tauromaquia?
– Sim, é possível.
Mas para isso, é necessário que todos os movimentos e grupos anti-tourada, se unam num só movimento.
Pois não tem sentido algum não ser assim. Mais; não ser assim, só serve para desunir cada vez mais, o que deveria ser unido. Não ser assim, prejudica a própria luta contra a tauromaquia.

Depois, é necessário, que um verdadeiro e unido movimento contra a tauromaquia, faça o que se faz, em Espanha e noutros países.
Tudo aquilo que é bom, e que faz a luta contra a tauromaquia ser mais forte, e que é feito lá fora, deve ser replicado aqui. Se é bom lá fora, também vai ser bom aqui.

Seguidamente, é necessário que se ponha de lado as manifestações anti-tourada que se fazem.

É necessário mostrar com clareza aos grupos parlamentares, que a maioria dos portugueses são contra a tauromaquia. E isso só se faz, não com as manifestações que se fazem, mas com uma enorme manifestação simultânea, por todo o país, no inicio do próximo verão.
E só ela será capaz de ter os resultados pretendidos. Só ela envia uma mensagem clara e muito forte, aos grupos parlamentares. Só ela pode levar à abolição da tauromaquia.

Só depois de todos perceberem isto, e agirem em conformidade, é que a luta contra a tauromaquia em Portugal, será uma luta ganha!

Mário Amorim

Essa é uma luta que tenho há anos!

0o-imagem

Há anos, que sou da opinião, que as manifestações contra a tauromaquia que se realizam em Portugal, numa só cidade, não servem os interesses dos touros, e dos cavalos, por não terem a força de que eles desejam, por não terem o impacto publico de eles também desejam.

Perdi a conta, do numero de vezes que disse, que em termos de protesto de rua, só mesmo, um protesto em simultâneo, no maior numero possível de cidades, no continente e ilhas, serve os interesses do touro e do cavalo.

Há anos que luto por isso.

Sou coerente.
Mantenho a opinião que tenho há anos.

Em 2012 realizou-se no México, uma manifestação por todo o México, contra a tauromaquia. E tendo em conta, que México e Portugal, lutam contra a tauromaquia, em Portugal, não se fez o mesmo, em solidariedade com a luta no México, e também contra a tauromaquia em Portugal. Foi um erro!

Espero que em Portugal, se abra os olhos, de uma vez por todas, se olhe, de uma vez por todas, para os interesses do touro e do cavalo.
Espero que a Primavera, ou o inicio do Verão de 2017, seja, finalmente, o inicio, de uma verdadeira luta, nas ruas, pelos interesses do touro e do cavalo. E se tal não vier a acontecer, será a confirmação, de que em Portugal, não existe um verdadeiro movimento anti-tourada.

Estarei muito atento.

Quero ver, se em 2017, se vai cair no mesmo erro, de realizar uma manifestação, numa só cidade, que não resultará em nada, e que por tanto, não estará de acordo com os interesses do touro e do cavalo, ou se faz um verdadeiro protesto, de acordo com os interesses do touro e do cavalo, um pouco por todo o continente e ilhas!

Mário Amorim

Há muitos anos que falo…

imagem-1o

Há muitos anos que falo, como acho que deveria ser a luta contra a tauromaquia em Portugal.
Tanto, e tanto falei. Nunca me deram ouvidos. Depois desisti. E fiquei a aguardar.

E agora pergunto; assim como está é melhor?
Que resultados temos tido?
As manifestações anti-tourada que têm sido realizadas em Portugal, que resultados têm tido?
Então, o que há a fazer? – O que há a fazer, é lutar contra a tauromaquia, de outra maneira, e não como até aqui.
Por exemplo; se as manifestações que têm sido realizadas em Portugal, não têm resultado em nada, só há uma coisa a fazer. Realizar uma grande jornada de manifestações anti-tourada, no maior numero possível de cidades, no mesmo dia, e há mesma hora.
Se o que foi feito até hoje não resulta, para quê teimar, no que não dá resultados?

Tinha mesmo de dizer isto.
Devido ao facto de em Portugal, não se passar nada, porque a receita não resulta.
Pode-se continuar com a mesma receita, que tudo continuará na mesma.
O caminho é mesmo mudar a receita!

Mário Amorim

Mais uma vez em Espanha, e com toda a certeza, em Portugal, não se vai tirar a devidas elações…

manifestacao-contra-as-touradas-madrid

No passado dia 10 de Setembro, uma imensa multidão, encheu as ruas de Madrid, em protesto contra as touradas em Espanha.
Mais uma vez, em Espanha, mostra-se para Portugal, como se faz.

Há muitos anos que digo, que a luta contra a tauromaquia, em Portugal, deve ocorrer como em Espanha. Mas durante estes anos, em Portugal, não se aprendeu com a luta contra a tauromaquia em Espanha. E esse foi um dos motivos que me fez passar a lutar sozinho, contra a tauromaquia, a partir de um blog.

A realidade, é que a luta contra a tauromaquia em Espanha, tem coragem, tem garra, tem força. E em Portugal, não!

Em Espanha, luta-se a sério, pela abolição da tauromaquia, e em Portugal, infelizmente, não. E a prova, é que o movimento contra a tauromaquia em Espanha, consegue, que cada vez mais Municípios, se declarem contra as tourada. De referir, por exemplo, que em breve, as Baleares, graças à luta contra a tauromaquia, vai-se tornar anti-tourada.

Está mais do que na hora da luta contra a tauromaquia em Portugal, lutar exactamente da mesma forma como em Espanha. Dia 10 de Setembro de 2016, foi um muito grande exemplo, de como em Portugal, se deve agir!

Mário Amorim