Lucro sobre sangue Elefantes africanos podem ser extintos em 20 anos devido ao comércio de marfim

Dados mostram que um elefante é morto por suas presas a cada 15 minutos, o que equivale à perda de 100 elefantes por dia

Em outubro, será realizada a Conferência Ilegal de Comércio de Vida Selvagem em Londres, na Inglaterra. O evento reunirá líderes mundiais para discutir como o comércio de animais pode ser erradicado.

Para a população dos elefantes, os números preocupam. Segundo relatórios da African Wildlife Foundation, até 35 mil elefantes são mortos por suas presas a cada ano. Ainda, de acordo com um censo atual, 30% das populações de elefantes africanos foram perdidas apenas na última década.

Estima-se também que um elefante seja morto por suas presas a cada 15 minutos, o que equivale à perda de 100 elefantes por dia. Este fato, somado às taxas de reprodução lenta dos elefantes, faz com que muitos cientistas acreditem que os animais podem ser extintos nos próximos 20 anos.


A cada dia que passa, perdemos 100 elefantes para o comércio ilegal de marfim

O comércio de marfim está focado em apenas uma parte relativamente pequena do corpo do elefante – suas presas – e é só por essa parte que os animais estão sendo mortos.

A African Wildlife Foundation realizou uma petição pedindo aos líderes mundiais que tomem medidas urgentes para impedir a matança de elefantes por dinheiro, fechando os mercados de marfim em todo o mundo.

“Nas atuais taxas de caça, a extinção de elefantes é uma ameaça muito real”, afirma a African Wildlife Foundation na petição.

Alguns países já começaram a se mobilizar. No início de 2018, a venda de marfim foi proibida em Hong Kong.

Fonte: ANDA