DEPUTADOS PRESENTES EM REUNIÃO DA “Prótoiro”

Texto publicado por Prótouro Pelos Touros em Liberdade

https://protouro.wordpress.com/2018/12/04/deputados-presentes-em-reuniao-da-protoiro/

A “prótoiro” realizou no passado dia 29 uma reunião para discutir a estratégia para a tauromaquia e para a qual não convidou a imprensa tauromáquica.

REUNIÃO.jpg

Mas na dita cuja pasmem-se estiveram presentes representantes dos partidos que apoiaram a descida do IVA na Assembleia da República, ou seja deputados do CDS, PSD, PS e PCP.

O não terem convidado a imprensa foi propositado já que não queriam os mesmos revelassem o que foi discutido e postassem fotos dos deputados, portanto, sem fotos não sabemos quem foram os canalhas.

Os alarves que estiveram presentes não têm um pingo de vergonha na cara já que para além de terem votado para apoiar o lobby tauromáquico, agora também participam nas reuniões da “prótoiro”!

E se participam nessas reuniões é caso para perguntar em que outras coisas da “prótoiro” participarão?

Prótouro
Pelos touros em liberdade

Fonte: Arco de Almedina

Portugal, Espanha e França unem-se para defender touradas em Bruxelas e na ONU

Desespero a quanto obrigas.
A Gamorra Tauromáquica está mesmo desesperada.
Até me dá pena vê-los a chorar como estão a chorar. E como mais uma vez o provam!

“Os espectáculos tauromáquicos continuam a ser tema de amor e ódio, mas um estudo recente da Eurosondagem mostra que os aficionados representam cerca de 35% da população portuguesa, enquanto contra estão apenas 9%. Para os restantes é indiferente, embora entre 30% e 40% considerem que as touradas não deviam acabar por completo.” – Mais uma vez a Eurosondagem, que é uma empresa de sondagens pertencente ao lobby tauromáquico.
Porque será que sempre que querem um estudo, não o mandam realizar numa empresa de sondagens, completamente afastada do lobby tauromáquico?

Obviamente; mais uma vez, o resultado deste estudo foi combinado!

Mário Amorim


Chama-se Conselho Internacional de Tauromaquia e foi acabado de criar para fazer lobby a favor das corridas de touros junto do Parlamento Europeu e da ONU. Para já une Portugal, Espanha e França, mas em breve o México irá juntar-se ao grupo.
Portugal, Espanha e França unem-se para defender touradas em Bruxelas e na ONU

O objectivo é ter uma estrutura organizada, com peso mundial, e ganhar eficácia na defesa dos valores das touradas, disse o presidente da ProToiro, Paulo Pessoa de Carvalho, ao SAPO24.

Todos os membros do novo conselho têm tradição de touros, ainda que a lide seja diferente em cada um dos países, e “a troca de experiências permitirá descobrir caminhos comuns e criar uma dinâmica de fundo”.

Além da ProToiro (Portugal), assinaram o acordo para promover a tauromaquia a Fundación del Toro de Lídia (Espanha) e o Observatoire National des Cultures Taurines (França). Para já o Conselho Internacional de Tauromaquia vai apoiar os países na candidatura das touradas a património cultural imaterial da humanidade.

O responsável da ProToiro admite que nesta altura do politicamente correcto as vozes contra as corridas de touros têm falado mais alto. O PAN e o Bloco de Esquerda já apresentaram na Assembleia da República vários projectos de lei para acabar com as touradas, sem êxito. Da mesma forma, o ex-secretário de Estado da Cultura Francisco José Viegas tentou tirar da gaveta uma proposta para animar uma actividade que já teve melhores dias.

Os espectáculos tauromáquicos continuam a ser tema de amor e ódio, mas um estudo recente da Eurosondagem mostra que os aficionados representam cerca de 35% da população portuguesa, enquanto contra estão apenas 9%. Para os restantes é indiferente, embora entre 30% e 40% considerem que as touradas não deviam acabar por completo.

Negócio perdeu 2,5 milhões

O negócio das corridas de touros perdeu qualquer coisa como 2,5 milhões de euros nos últimos cinco anos. Se em 2012 a actividade gerava quase 10 milhões por ano, hoje ela não ultrapassa os 7 milhões.

Em 2012 realizaram-se 274 corridas de touros no país, de acordo com dados da Associação Portuguesa de Criadores de Toiros de Lide. Este número tem vindo sempre a diminuir de ano para ano e em 2017 realizaram-se perto de 200 corridas. A uma receita média de 35 mil euros por corrida, é fácil fazer as contas.

A questão é que este dinheiro é diluído por diversas entidades, que vão desde os empresários ao Estado, passando pelo criadores de touros ou pelos cavaleiros. Se com uma boa corrida – numa das melhores praças, com bons cavaleiros e touros das melhores ganadarias – é fácil ganhar 50 mil euros, também é fácil perder uma boa fatia deste montante.

Para dar uma ideia, organizar e montar a festa brava tem custos: praça de touros (4 mil euros), reses (10 mil euros), cavaleiros (5 mil euros), forcados (mil euros), licenças da Inspecção-Geral das Actividades Culturais (mil euros), sindicato dos toureiros (350 euros), bandarilhas/embolação (400 euros), banda (500 euros), bombeiros (400 euros), polícia (350 euros), transporte (1€/Km). Ou seja, uma média de 25 mil euros.

Além disso, as touradas têm vindo a perder espectadores, segundo números oficiais, e hoje não ultrapassam as 500 pessoas. O preço dos bilhetes é o equivalente àquele que é pago para assistir a uma partida de futebol: entre 10 e 50 euros.

Existem em Portugal 66 praças de touros e uma boa parte delas não pertence aos municípios, mas sim à Santa Casa da Misericórdia, que lança os concursos de exploração a cada três anos, sensivelmente. Os valores pedidos dependem das dimensões da praça, da localização e até das condições do edifício. Depois, cabe à empresa ganhadora pagar a luz, a água e a manutenção do edifício.

A praça de touros de Vila Franca de Xira, que está entre as maiores do país, com uma capacidade para 3500 lugares, rendeu à Santa Casa cerca de 40 mil euros. O Campo Pequeno, a maior praça do país, é um caso à parte e está concessionado por 100 anos.

Viana do Castelo foi o primeiro concelho a assumir-se anti-touradas, depois de em 2009 ter aprovado uma declaração para obrigar qualquer organizador a ter de pedir autorização para realizar um espectáculo com animais.

Fonte: SAPO24

A REALIDADE É ESTA!

Imagem relacionada

Há muitos anos que digo isto, e vou voltar a dizer!

A realidade é que os pró-touradas, têm gente no PS, no PSD, no CDS/PP e no PCP.
O lobby tauromáquico é enorme no Parlamento.

O PAN entregou ontem no Parlamento o projecto lei para o fim das touradas em Portugal.
E com toda a certeza que o lobby tauromáquico, já está a mexer-se.
E agora pergunto: é possível, fazendo lobby, vencer o lobby tauromáquico e conseguir que o projecto lei seja aprovado?
– Não. Não é possível. A realidade é que o lobby tauromáquico é muito poderoso, no Parlamento.
O Parlamento está controlado pelo lobby tauromáquico!

Só há um lobby que o lobby tauromáquico não consegue controlar; a força do povo.
Só a força do povo consegue derrubar a força do lobby tauromáquico no Parlamento.

Então; o que há a fazer, para que o projecto lei do PAN seja aprovado?
– Ontem disse e volto a repetir, mas de forma mais clara. Só trazendo para as ruas de um pouco por todo o continente, de norte a sul, do interior ao litoral, e das ilhas, milhares, milhares e milhares de pessoas em protesto contra as corridas de touros, em apoio ao projecto lei do PAN, ele será aprovado.

Não será, com toda a certeza com uma manifestação, apenas em Lisboa, com 3, 4, ou 5 mil pessoas, contra as corridas de touros, e em apoio ao projecto lei do PAN, que irá surtir efeito, no Parlamento e o projecto lei do PAN ser aprovado.

Para que o projecto lei do PAN seja aprovado, o Parlamento tem de ver que a vontade maioritária do povo, a partir das ruas, é que as touradas sejam abolidas. E para que isso possa acontecer, o Parlamento tem de ver muitas dezenas de milhares de pessoas nas ruas, a exigir o fim das corrias de touros, em Portugal. E não é só apenas a partir de Lisboa, que tal irá suceder.
Temos de trazer para as ruas, já, o mais possível, contra as corridas de touros e de apoio ao projecto lei do PAN, o seguinte; https://www.esquerda.net/dossier/maior-manifesta%C3%A7%C3%A3o-desde-o-1%C2%BA-de-maio-de-74/26024

E agora; há uma oportunidade de ouro, para se agir desta maneira.
De outra forma, o projecto lei do PAN, não tem qualquer hipótese de ser aprovado, pois o lobby tauromáquico no Parlamento, não o irá permitir!

Mário Amorim

O GOVERNO DE PORTUGAL ACABA DE APROVAR A VIOLÊNCIA E A CRUELDADE TAUROMÁQUICAS COMO ADEQUADAS A MENORES DE IDADE

O Plenário estava completo. Foram 64 deputados do PS a votar contra.

PCP/PSD/CDS/PS (64); Abstenção PS (11)/CDS(1). A favor: PAN/PEV/BE/PS (11)

Não é inacreditável? Não é uma vergonha?

O projecto-lei n.º 181/XIII/1ª do PAN que visava afastar os menores de idade dos “espectáculos” tauromáquicos acabou de ser chumbado.

O projecto do PAN era RACIONAL, mas a IRRACIONALIDADE dos deputados da Nação, a serviço do lobby tauromáquico, venceu.

Portugal perdeu uma oportunidade de EVOLUIR.

PAN.jpg

Origem da imagem:

https://www.facebook.com/PANpartido/photos/a.920439104683852.1073741876.890462117681551/1096759793718448/?type=3&theater

Fonte: Arco de Almedina