Dezasseis linces-ibéricos vivem livres em Portugal após libertação de mais três


A 1.ª época de reintrodução da espécie em Portugal ocorreu entre Dezembro de 2014 e Maio de 2015.

Alentejo, subindo para 16 o número de exemplares da espécie que vivem livres na natureza em Portugal, segundo o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Num comunicado enviado à agência Lusa, o ICNF explica que os três linces libertados esta sexta-feira, no Parque Natural do Vale do Guadiana, no concelho de Mértola, no distrito de Beja, são as fêmeas Mesquita e Malva e o macho Mel, cujos nomes foram escolhidos pela população e homenageiam o património local.

Os três animais nasceram na Primavera de 2015 e têm nomes iniciados pela letra “M” por uma razão de identificação e um emissor que permite segui-los e monitorizar os seus movimentos no terreno, explica o ICNF.

Com a libertação de Mesquita, Malva e Mel subiu para 16 o número de linces-ibéricos a viverem livres na natureza no concelho de Mértola desde Dezembro de 2014, quando começou a libertação de exemplares da espécie em território português, no âmbito do Projecto de Recuperação da Distribuição Histórica do Lince-Ibérico em Espanha e Portugal LIFE+Iberlince.

No âmbito da 2.ª época de reintrodução da espécie em Portugal, que prevê a libertação de um total de nove linces-ibéricos este ano no concelho de Mértola, já foram libertados sete animais, ou seja, Mesquita, Malva e Mel, esta sexta-feira, as fêmeas Myrtilis e Mirandilla e o macho Monfragüe, no dia 25 de Janeiro, e a fêmea Macela, no dia 8 de Fevereiro.

No âmbito da 1.ª época de reintrodução da espécie em Portugal, que arrancou em Dezembro de 2014 e decorreu até Maio de 2015, foram libertados, no concelho de Mértola, dez linces-ibéricos, mas só nove estão vivos, já que, em Março do ano passado, a fêmea Kayakweru, que tinha sido libertada no mês anterior, foi encontrada morta por envenenamento.

Segundo o ICNF, o Projecto de Recuperação da Distribuição Histórica do Lince-Ibérico em Espanha e Portugal LIFE+Iberlince reuniu esforços de parceiros institucionais e da sociedade civil para “conseguir o retorno da espécie a várias áreas da Península Ibérica” e também “novas oportunidades de revitalização destes territórios”.

Actualmente, o lince é “uma espécie-emblema e chave dos ecossistemas” e a sua conservação “beneficia muitas outras espécies selvagens e potencia actividades humanas, que conciliam o uso e a preservação de habitats naturais”, refere o ICNF, frisando que “a reintrodução é um programa de longo prazo, que requer um reforço regular de animais e apoio da sociedade”.

Fonte: PUBLICO

Anúncios

Notícia fantástica e maravilhosa! Projeto LIFE+Iberlince prevê libertar 47 linces ibéricos no próximo ano

O projeto LIFE+Iberlince prevê libertar no próximo ano 47 linces ibéricos em várias zonas da Península Ibérica, alguns em Portugal, para incrementar e consolidar as populações existentes.

Projeto LIFE+Iberlince prevê libertar 47 linces ibéricos no próximo ano

Segundo dados divulgados pela agência de notícias Efe serão libertados 28 fémeas e 19 machos, a partir de fevereiro e até completar a meta para cada zona de reintrodução.

Em Portugal está prevista a libertação de seis fémeas e três machos no Vale do Guadiana, em Mértola, onde já estão nove exemplares, cinco machos e três fémeas.

Em Espanha serão libertados os restantes exemplares. Em Guadalmellato, na zona de Córdova, que tem agora 45 exemplares, vão chegar mais quatro fémeas e um macho, e aos 41 exemplares da região de Guarrizas (Jaén) juntam-se um macho e cinco fémeas.

Para Valle de Matachel, Badajoz, a população atual de 10 linces (sem contar com os seis já nascidos) vai ser reforçada com oito novos exemplares, três machos e cinco fémeas. A zona de Toledo receberá mais 10 linces, e a Sierra Morena (Ciudad Real) mais nove.

No mês passado um exemplar do lince ibérico, um macho, foi encontrado morto, por atropelamento, na autoestrada 23, próximo de Vila Nova da Barquinha, distrito de Santarém.

Na altura, em declarações à Lusa, Sofia Castel-Branco, do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, considerou ainda assim como “um sucesso” o processo de reintrodução do lince em Portugal, desde finais de 2014, “uma vez que permitiu a existência de 11 linces em território nacional”, nove dos quais com comportamentos de fixação no território, no Vale do Guadiana, Mértola, e os outros dois com postura dispersante em termos territoriais.

Fonte: SAPO24