CONTEÚDO ANDA Leões brancos africanos são mortos e decapitados para uso em rituais de magia negra

Reprodução/DailyMail

Dois leões brancos foram mortos por caçadores na África do Sul que, em seguida os decapitaram e cortaram as suas patas.

Os animais foram mantidos em cativeiro em uma fazenda em Limpopo e acredita-se que foram alvejados por caçadores durante assassinatos múltiplos, que visam retirar as partes dos corpos de animais, usadas posteriormente em rituais de magia negra, informa o Daily Mail.

A polícia local disse que tinha encontrado alguns suspeitos do crime perto da fronteira de Stockpoort com Botswana. Um porta-voz da polícia disse que uma investigação estava em curso.

Estima-se que oito mil leões são confinados em cativeiro em África do Sul.

“Os leões são muitas vezes vendidos a instalações que os exploram como atrações. Muitas vezes, o destino final da maioria deles é o urso como um troféu que é colocado na parede de um caçador”, disse uma fonte disse ao Daily Express.

Ativistas afirmam que dizem a caça e o cativeiro dos animais são populares na África do Sul e atendem o mercado de turistas, que enxergam os animais apenas como “troféus”.

Uma investigação infiltrada para a produção de um novo filme sobre esse comércio revela que as empresas enviam um catálogo a futuros caçadores para que eles possam escolher o animal exato que querem matar.

O preço varia 5,4 mil dólares e 48 mil dólares, dependendo do tamanho e das condições do animal.

A África do Sul é um destino conhecido de turistas ricos que querem adicionar mais animais às suas coleções e, por isso, mil leões são mortos todos os anos.

Ian Michler, um antigo militante contra o comércio de leões, ressalta que, apenas em 2015, cinco animais em estado selvagem foram mortos.

Fonte: ANDA

Anúncios