Report: Cecil’s Brother Jericho Possibly Killed Saturday – Take Urgent Action

Report: Cecil's Brother Jericho Possibly Killed Saturday - Take Urgent Action

CNN reports that a poacher may have illegally killed Jericho, the brother of beloved Zimbabwe lion Cecil.

The alleged killing comes on the heels of continued outrage around the world about the killing of Cecil and increasing awareness of the African lion’s rapid decline.

Jericho has reportedly been watching over Cecil’s cubs following his brother’s death. Now the fate of these young lions — and an entire bloodline — is far from certain. For the sake of the cubs, we can only hope that the initial reports of Jericho’s killing are incorrect.

But this isn’t just about Jericho, Cecil, or the lion cubs. Since 1975, the number of African lions has declined by as much as 80 to 90 percent.

At the moment, Zimbabwe has banned big-game trophy hunting outside its national parks. To protect the future of lions, this ban should be expand to more areas and made permanent.

Please take action to honor Zimbabwe’s fallen lions and protect their future. Urge Zimbabwe’s president to permanently ban all big-game trophy hunting of lions and the export of lions or lion parts.

Sign Petition!

http://www.thepetitionsite.com/takeaction/610/392/435/?z00m=25376018&redirectID=1760213983

Anúncios

Mais uma notícia muito triste e bastante revoltante! Irmão do leão Cecil foi morto por caçadores furtivos

Irmão do leão Cecil foi morto por caçadores furtivos

Governo de Harare interditou a caça a espécies de grande porte nas imediações do parque onde os dois animais foram abatidos.

O leão Jericho foi atingido e morto por atiradores em um parque no Zimbábue, na tarde de ontem. Jericho protegia as crias de Cecil quando foi abatido, informaram os serviços de proteção da natureza do Zimbabwe através da sua página no Facebook.

“É com grande desgosto e tristeza que acabamos de ser informados que Jericho, irmão do leão Cecil, foi morto às 16.00 horas. Estamos de corações partidos”.

A morte de Jericho sucede cerca de um mês após a morte do irmão às mãos do dentista americano Walter Palmer. A morte de Cecil causou uma vaga de indignação no mundo inteiro.

Após a morte de Cecil havia a preocupação de que Jericho não conseguisse manter o território das crias de Cecil e que o grupo poderia ser expulso por rivais e as crias mortas por estes.

Depois destes dois acontecimentos, o Zimbabwe anunciou ontem que vai fazer restrições imediatas à caça de animais de grande porte como leões, elefantes, leopardos, nas cercanias da reserva de Hwange, onde sucederam as mortes.

Sexta-feira, o governo de Harare já havia exigido a extradição do americano Walter Palmer, que matou o leão Cecil, considerado um símbolo nacional, no começo de julho, depois de atraí-lo para fora dos limites do Parque Nacional Hwange.

Palmer encontra-se neste momento em parte incerta e, perante as repercussões da morte de Cecil, divulgou um comunicado em que afirmava desconhecer a fama do animal e lamentou ter tirado a sua vida.

“Eu acreditei na experiência dos guias profissionais locais para ter certeza de uma caça segura. Mais uma vez, lamento profundamente que o exercício de uma atividade que amo, pratico com responsabilidade e dentro da lei, tenha resultado na morte desse leão”,lê-se na nota do dentista, que é considerado um caçador experiente.

Os Estados Unidos abriram um inquérito sobre a morte do felino. O leão Cecil tinha 13 anos e liderava um bando de três fêmeas e seus descendentes.

Neste momento, uma petição que pede o julgamento de Palmer pela morte do leão Cecil tem mais de 700 mil assinaturas e a associação americana de defesa dos direitos dos animais PETA defende que caçador deveria ser enforcado. Ao mesmo tempo, está a aumentar a pressão sobre EUA para proteger leões africanos e interditar a entrada no país de troféus de caça de exemplares de espécies mortos no estrangeiro.

Fonte: http://www.dn.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=4711279&page=-1