◕_◕ BoycottKerala Cães em situação de rua estão sendo mortos em massa no sul da Índia

Foto: Divulgação

No Sul da Índia, tem havido um crescimento massivo no número de cães em situação de abandono vagando pelas ruas. Recentemente, alguns deles atacaram pessoas, provocando reações de ira de humanos em relação a eles.

O problema dos cães que vivem nas ruas é tão grave que a maior parte dos moradores concorda com o seu extermínio, de acordo com a BBC. As informações são da Care2.

Ao contrário do que ocorre em países como a China, onde os cães são mortos para consumo humano, o ato de matar esses animais na Índia vai contra os preceitos de sua religião proeminente, que é o hinduísmo.

Em Kovalam, uma cidade próxima a Chennai em Tamil Nadu, o presidente do conselho, Sr. Janakiraman, teria emitido uma ordem para que todos os animais em situação de rua da região fossem mortos. A autorização resultou no assassinato inadvertido de um cão que tinha tutores.

Janakiramam argumenta que não foi ele quem ordenou a matança dos cães nas ruas, e que esta teria sido uma decisão coletiva dos moradores da vila. Segundo a reportagem, estima-se que 15 cães já foram mortos a tiros, e seus corpos foram jogados no mar.

A respeito destas mortes, o grupo ativista de direitos animais Blue Cross imediatamente registrou um boletim de ocorrência contra Janakiraman e o homem suspeito de ter cometido os crimes.

O processo, no entanto, deverá ser descartado, graças a cerca de 200 moradores que apareceram na delegacia pedindo que o mesmo fosse arquivado. Eles alegam que o governo falhou em atender às suas queixas, e então eles “fizeram justiça com as próprias mãos” e deram a alguém a ordem de atirar nos cães.

As autoridades estão alinhadas com os moradores com relação aos cães. Eles  têm números para defender a matança dos animais: no ano passado, só em Tamil Nadu, 100 mil residentes teriam sido mordidos por cães em situação de rua. Neste ano, mais de 60 mil pessoas alegam terem sofrido mordidas de cães.

Um voluntário da Blue Cross afirma entender a preocupação das pessoas quanto ao número crescente de cães nas ruas, mas observou que as pilhas de lixo na área são o motivo desse aumento.

“As enormes quantidades de lixo significam abundância de comida para os cães, e é por isso que eles se multiplicam tão rapidamente”, disse Dawn Williams.

Para combater o “problema”, o governo disse que irá disponibilizar 500 centros de esterilização no estado.

Em Kerala, após diversas pessoas terem sido supostamente mordidas por cães, os residentes contrataram homens para matá-los. Acredita-se que eles tenham matado 40 cães, injetando-lhes veneno.

Apesar dos grupos ativistas afirmarem o contrário, as autoridades alegam não ter participação nas mortes.

A população de humanos no distrito de Kannur é de aproximadamente 39.000; a população de cães em situação de abandono é de 4.000 animais, conforme informado pelo presidente do conselho local, N. Ramakrishnan, à BBC.

“Os moradores reagiram após oito estudantes, todos menores de 12 anos, terem sido atacados”, disse ele.

Em Kerala, há um milhão de cães, dentre os quais um terço está em situação de rua. Das 23.000 pessoas que alegam terem sido mordidas em 2014, afirma-se que metade contraiu raiva por conta dos ataques, de acordo com uma clínica.

Para conter o aumento da população de cães, as autoridades dizem que 50 esquadrões serão empregados para esterilizar os animais das ruas nos próximos três anos.

Se as autoridades regionais terão a permissão legal para ordenar a matança dos cães que são considerados um “incômodo”, isso será decidido pelo Supremo Tribunal da Índia neste mês, de acordo com a NDTV.

Como todas as questões controversas dos dias atuais, esse caso ganhou uma campanha nas redes sociais chamada “Boycott Kerala” (“Boicote Kerala”).

O esforço tem como alvo o ponto mais vulnerável, do qual o estado é dependente: a sua indústria do turismo.

Exibindo uma foto de alguns cães que foram mortos, um post diz: “Venha visitar Kerala e veja como o melhor amigo do homem é tratado”.

Mas o departamento de turismo não parece perturbado.

“A temporada turística ainda está para começar, mas nós temos testemunhado chegadas crescentes, comparadas às do ano passado na mesma época”, disse Anil Kumar, ministro de turismo do estado, à BBC. “Eu não acredito que campanhas isoladas terão qualquer impacto sobre os turistas”, e acrescentou, “Nós somos pessoas que amam os animais de companhia”.

Embora a oposição mais veemente às matanças tenha origem na Índia, ela não conseguiu escapar do radar mundial.

De acordo com o The Times of India, protestos contra as mortes dos cães de Kerala foram realizados em diversas cidades do mundo, incluindo Londres, Chicago, Houston, Nova York, Berlim e Paris, no dia 26 de Julho.

Nas manifestações de Mumbai, grupos ativistas denunciaram que não foram apenas “poucos cães assassinados” a despertarem o clamor público, e sim um número total de 400 mil, em três distritos de Kerala.

Fonte: ANDA

Anúncios