CONTEÚDO ANDA Documentário denuncia o massacre de milhões de cangurus na Austrália

Os cangurus são os animais oficiais da Austrália e estão intrinsecamente ligados à cultura do país.  Apesar da admiração pelo marsupial, a Austrália guarda um segredo obscuro

Durante a noite, de três a quatro milhões de cangurus são mortos anualmente no maior massacre mundial em áreas terrestres. Graças ao documentário “Kangaroo” (Canguru), milhares de pessoas conhecerão a verdade.

Mick McIntyre e Kate McIntyre Clere, os produtores, escritores e diretores de “Kangaroo”, queriam mostrar esse relacionamento de amor e ódio e entrevistaram pessoas proeminentes de ambos os lados da questão.

Para os fazendeiros, os cangurus são vistos apenas como pragas porque eles acreditam que os animais competem com as ovelhas. É comprovado que isso não ocorre, porém, todos os anos, os fazendeiros recebem licenças do governo australiano para matar até mil cangurus (a qualquer momento que desejem) no que é chamado de “mitigação de pragas”. Eles também conseguem licenças comerciais para caçadores de cangurus profissionais que entram nas fazendas para assassinar os animais.

Muitas vezes, o canguru é deixado para sofrer uma for agonizante, às vezes durante semanas, antes de morrer. No caso das fêmeas, depois que a mãe é te atingida, o bebê é arrancado da bolsa e os caçadores às vezes os matam esmagando suas cabeças.

“Nós temos um animal icônico, que é um dos animais mais valiosos da Austrália e defendemos a destruição de seus cérebros contra uma rocha. Isso não pode ser correro no século XXI “, declarou o professor Clive Phillips, da Animal Welfare University of Queensland.

O governo sancionou o massacre anual de cangurus usando o pretexto do controle de pragas, mas, na realidade, as caças de cangurus sustentam uma indústria de milhões de dólares.

A carne dos marsupiais é usada em alimentos para animais domésticos, para consumo humano, assim como para produtos de couro, como bolas de futebol e sapatos de atletismo. A indústria também vende a carne e o couro de canguru em todo o mundo. Há alguns anos, Gucci lançou uma série com pele de canguru que gerou a revolta de ativistas.

Além da crueldade, a carne representa riscos elevados para a saúde. Segundo o One Green Planet, há diversas pesquisas que comprovam que a carne é frequentemente contaminada com altos níveis de E. coli e Salmonella.

Graças às indústrias da carne e do couro, aos assassinatos e à caça recreativa, esses animais estão em perigo. As populações de cangurus cinzentos orientais, por exemplo, tiveram uma queda de 90% nos últimos anos devido ao desmatamento nas florestas da região.

“Os dados da pesquisa do governo mostram que as vastas paisagens agora estão significativamente empobrecidas de cangurus. Agora é o momento de avaliar cuidadosamente o que está ocorrendo com os cangurus”, disse o senador Lee Rhiannon, do Greens Party, no documentário.

Em apenas alguns anos, a Austrália conseguiu exterminar seis espécies de cangurus, sendo que 17 são classificadas como ameaçadas ou vulneráveis. Os seres humanos possuem a obrigação de proteger as espécies com quem dividem o planeta. A Austrália precisa reconhecer isso.

Fonte: ANDA