O MATADOR DE TOUROS JIMÉNEZ FORTES COLHEU O QUE PLANTOU

O touro que ele cobardemente torturou, e que legitimamente se defendeu ao cornear o matador, que ficou gravemente ferido, teve menos sorte: depois de barbaramente torturado, foi brutalmente matado.

MATADOR CORTES.jpg

Foto de reforma.com

Ao primeiro touro, que este matador torturou e matou, cortou-lhe a orelha.

Pretendia brilhar na arena.

Mas o feitiço virou-se contra o feiticeiro.

O sexto touro não esteve para brincadeiras e colheu-o em cheio.

Gravemente, dizem.

Quem semeia ventos, colhe tempestades.

Nem todos os Touros aceitam ser torturados gratuitamente.

Este, que colheu o matador Cortes, antes de morrer cumpriu uma missão.

Esperemos que o matador Cortes tenha aprendido a lição: se com ferros matas, com ferros poderás morrer.

A Lei do Retorno é infalível e implacável. Não me canso de repetir, por ser uma verdade, que todos, por conveniência, renegam.

Mas esta lei é como as bruxas, para os espanhóis: «yo no creo en las brujas, pero que las hay, hay», ou seja, eu não acredito em bruxas, mas que elas existem, existem…

Fonte: http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/o-matador-de-touros-jimenez-fortes-544120

 

Anúncios