BASTA DESTE MASSACRE NO JAPÃO!!! – ENOUGH OF THIS MASSACRE IN JAPAN!!!

Anúncios

CONTEÚDO ANDA Milhares de golfinhos estão prestes a ser assassinados durante caça anual no Japão

Depois de alguns meses de pausa, a terrível caça de golfinhos na baía de Taiji (Japão) recomeçou neste mês

Golfinhos sangram no mar de Taiji

Milhares de golfinhos ficarão presos entre os barcos antes que a maioria deles seja assassinada. Os sobreviventes serão vendidos para aquários onde passarão o resto de suas vidas em minúsculos tanques.

Este imenso massacre é aprovado pelas autoridades japonesas e continua ocorrendo com a indiferença geral da população. O governo do país proibiu que qualquer interferência da baía vizinha, em um esforço para impedir que ativistas se aproximem e interrompam a caçada.

Novos métodos de execução são menos sanguinários, mas igualmente violentos

Os métodos usados pelos pescadores para matar os animais são particularmente brutais. Depois de reunir um grupo de golfinhos, as embarcações os forçam a ir para a baía bloqueando qualquer rota de fuga com redes para que os mamíferos fiquem completamente presos.

Eles lançam arpões de metal nas colunas vertebrais dos animais, que ficam juntos para impedir a grande perda de sangue na água.

Até 2009, os caçadores perfuravam os animais com arpões. O sangue dos golfinhos tingia as águas de vermelho. O lançamento de “The Cove”, um documentário de Ric O’Barry, ex-adestrador de golfinhos famoso pelo filme “Flipper”, despertou ultraje internacional quanto ao massacre de animais em Taiji.

Método usado na caça

Ainda que os pescadores tenham mudado seus métodos, as consequências trágicas são as mesmas. O corte da coluna vertebral nem sempre provoca uma morte instantânea e alguns golfinhos são arrastados ainda vivos para os barcos antes de serem cortados. Outros se afogam ou colidem contra as rochas, sofrendo uma morte lenta e dolorosa.

Aqueles que perpetuam essa barbaridade tentam justificar suas ações citando a “tradição ancestral”. Porém, se a caça de baleias e de golfinhos não é um fenômeno novo e tem sido documentada ao longo da história, a maneira com que eles são mortos hoje só foi inventada na década de 1970.

Cumplicidade do governo japonês

As cotas para a caça são estabelecidas anualmente e determinam o número de animais que serão assassinados. Oficialmente, a carne dos animais deve ser vendida para o consumo e destinada a diversos supermercados e restaurantes, às vezes sem que o cliente conheça a sua origem.

Essa distribuição é orquestrada pelo poderoso sindicato de pesca japonês, a Japan Fisheries Association, que é responsável pela caça em Taiji.

Porém, a realidade sobre a carne dos cetáceos no Japão não corresponde às declarações oficiais da organização. Poucos japoneses consomem a carne de baleias e golfinho, pois elas possuem altas concentrações de mercúrio, um metal perigoso para a saúde dos humanos. A Organização Mundial da Saúde publicou um relatório em 2008 que cita as populações em perigo devido à substância.

O ministro da Saúde do país está ciente dessa informação, pois recomendou que crianças, mulheres grávidas e idosos não consumam a carne de baleias e golfinhos.

O verdadeiro custo da indústria do entretenimento

O verdadeiro motivo por trás do assassinato desses animais é a lucrativa indústria de aquários e parques marinhos. Nem todos os animais são capturados e alguns são escolhidos para serem vendidos a preços exorbitantes. Um golfinho morto tem o custo de US$ 500 enquanto um animal destinado ao cativeiro em um aquário pode ser vendido por até US$ 30 mil.

Golfinho explorado para entretenimento

Os aquários que decidem adquirir animais da baía não são controlados pela WAZA (World Association of Zoos and Aquariums), uma organização que supervisiona zoológicos e aquários a nível internacional. Ela proibiu a compra de animais de Taiji, mas isso ainda ocorre e as organizações chinesas são as maiores contribuintes da prática.
Em 2015, a JAZA, o braço japonês da WAZA, se desvinculou dos pescadores de Taiji, proibindo a venda de cetáceos da baía para aquários no Japão. Infelizmente, isso não acabou com os assassinatos, revela o The Holidog Times.

Crescem os protestos internacionais

Porém, a revolta contra a caça começou a crescer em todo o mundo. Se o Sea Shepherd não irá para o Japão durante esta temporada, os ativistas alertam o público que os golfinhos capturados e vendidos para a indústria do entretenimento são drogados e forçados a realizar truques em troca de alimento.

O público, portanto, inconscientemente e involuntariamente, participa desse círculo vicioso, que só poderá ser quebrado quando as pessoas se recusarem a financiar a exploração animal.

Protestos como o Japão Dolphin Day são organizados anualmente no início de Setembro para denunciar a matança em Taiji. Em seu site, Ric O’Barry oferece alguns conselhos importantes sobre como acabar com a brutalidade.

A possibilidade de mudança está nas mãos do público. Enquanto as pessoas frequentarem esses parques, a baía de Taiji será tomada pelo sangue dos golfinhos e eles passarão o resto de suas vidas em tanques estreitos e sendo forçados a realizar truques para entreter o público.

Fonte: ANDA

Onde fica a liberdade do touro e do cavalo de não serem torturados, física e psicologicamente para gáudio de alguns?

(Alerto, que as pessoas demasiado sensíveis, não devem ver este artigo, pois vou utilizar nele imagens muito fortes)

***

Dizem os defensores da tauromaquia, que têm liberdade de ir às praças de touros. Então pergunto: onde fica a liberdade do touro e do cavalo de não serem torturados física e psicologicamente, para gáudio deles?

***

Já de seguida por vou colocar aqui no artigo imagens muito fortes, para tentar, que pelo menos alguns defensores da tauromaquia, percebam o que significa defenderem o maltrato a animais não-humanos. Conforme forem vendo as imagens, comecem a reflectir, se existe ou não o direito; se existe ou não liberdade, de se gostar e de se assistir à barbaridade; à dor, ao sofrimento, e a morte de animais não-humanos!

**

ILHA DINAMARQUESA

dAmoVIKRSyYSFNY-556x313-noPad grintedrab Inhabitants of Faroe Islands catch and slaughter pilot whales during the traditional 'Grindadrap' near Sandur on Sandoy island images Slaying2 tumblr_lzw3l0Gkh71r65z2o whale-hunting-11[2]

***

CANADA

6a00d8341c630a53ef01156eb1b267970c-500wi 6a00d8341c630a53ef01156eda48da970c 6a00d83451c1c569e200e551b100338833-800wi 0020qxp7 1040 150998_472332663448_588053448_5447731_7854344_n 323517-4753-cp 3703248_640px 3991569_orig 20100413-9-184813_copy1 seal hunt 2011 pre-hunt 200453142-001 576408219_4d1a77c63f 507017964001_985432263001_first-baby-seals-slaughtered Baby Harp Seal Baby%20harp%20seal baby_harp_seal baby_seal_b3c21 caça as focas caca_focas_canada_4.1 canada_seal-200x0 Canada-seal-hunt-007 Digital Grey Seal Hunt 2011 denuncian-muerte-masiva-crias-foca-baltico2 e18fe7cc eUEh0MC ew090417b foca 2 foca-1 foca2_300_225_thumb focas-matança-wildlifetrustofindia.org_-440x410 fpsphotos001264-SEAL-HUNT grey_seal_hunt_270x224 Harp_Seal_Pup_On_Ice_Of_The_White_Sea__600 HarpSeal09 image_3_375 img-06 Killer pfoca Picture-of-the-Day-Baby-Harp-Seal-Reveals-Its-Thoughtful-Philosophical-Side-2 seal 3 seal_clubbing_4 seal_hunt_1 sealcullREX0304_468x543 sealmn002-cu3 spottyseal y209505349742284

***

JAPÃO – Taiji

Dolphin harvest Futo Harbor Izu Peninsula Japan 2014-01-24-Taijidolphins bloodbath dolphin_slaughter_taiji_japan_the_cove_brooke_mcdonald_19 dolphin_slaughter_taiji_japan_the_cove_brooke_mcdonald_25 Oceana/Carlos Suarez dolphinwater japan-dolphin-cove-slaughter-1 taiji5 thecove5 The-Cove-5

***

Qual é a diferença das imagens que acabei de colocar aqui e estas imagens(?):

_8275465_orig 0 111 877x658 1311195_370 3669754_370 9587922_E5VHd 13096650_C056L 15254479_drKku 15560325_ZaEZB 15560364_lSPYq Anti-bullfight protest bull Bullfight bullfighting-banned bullfighting-dead-bull dyingbull.png IMAGEM PARA VER E REFLECTIR! images (2) joao moura la puya legacy-of-bullfighting-cruelty MADRID%2026-07-09%20039%20A phpThumb.php   tourada10 tourada11 tourada33 touro2

2014-06-07115445_961f1e4c-aef8-4f3d-8935-154a61e36164$$2066B98B-1131-4DFF-8A54-59CDCD6190D9$$70C8E4F9-CDE1-43D0-8967-BC7E8D1E3A54$$img_674X370$$pt$$1 Grupo de forcados Amadores do Aposento da Moita durante uma pega. Touro. Arena. 6709947_orig Amory83-2323140 ap_bullfighting_080314_ssh Bull(pain) corrida04 death fb7af2186aa75f8da73da7ddd6cef4c0 VtUwNEbZSVGgvLW-556x313-noPad

Não há diferença absolutamente nenhuma, entre a Matança de Baleias na Ilha Dinamarquesa; a Matança de focas no Canada, a Matança de Golfinhos em Taiji, no Japão e a barbaridade sobre o Touro e o Cavalo, na Tauromaquia. Todos estes belíssimos seres sensíveis, têm em comum, serem todos todos animais não-humanos. E todos têm connosco o mesmo direito ao bem-estar e à felicidade. Têm todos, em comum connosco, o mesmo direito à vida, que nós, animais-humanos temos.

***

E agora pergunto: existe o direito; existe a liberdade destes e de muitos outros seres sensíveis, serem torturados, física e psicologicamente; serem vítimas de barbárie, para gáudio de alguns? – Não, não existe. Repito: não; essa liberdade, não existe, pois a liberdade, não pode colidir, com o direito ao bem-estar; à felicidade; o direito à vida, de outros seres sensíveis. E se a liberdade colidir com o direito ao bem-estar; à felicidade; o direito à vida, de outros seres sensíveis, não é liberdade, é CRIME!

***

Este artigo, que agora estou a terminar tem como objectivo fazer com que pelo menos alguns defensores da tauromaquia, comecem a pensar, e interrogarem-se se de facto têm o direito de gostar de uma barbaridade, como é a tauromaquia, depois das imagens que viram e do que escrevi.

E se no fim deste artigo conseguir que alguns dos actuais defensores da tauromaquia, percebam, que de facto, não têm o direito de gostar e muito menos de ir a uma praça de touros, ver a dor, o sofrimento, e a tortura, física e psicológica do touro e do cavalo, por isso colidir com o direito ao bem-estar; à felicidade; o direito à vida deles, e passarem a lutar contra a tauromaquia, já terei atingido o objectivo que pretendia ao te-lo criado!

Mário Amorim