«INTOLERÂNCIA?»

Mais um magnífico texto de Teresa Botelho.

Faço minha cada palavra aqui transcrita.

TOURO.jpg

Texto de Teresa Botelho

A democracia dá-nos o prazer do eterno orgasmo, sentido através das palavras que não precisamos de esconder!

Fornece-nos também os espelhos que reflectem a razão e a intolerância que nos torna “leões” na defesa das crias mais vulneráveis!

A defesa dos sem voz é minha missão e a de cada vez mais gente por esse mundo fora e o selo da evolução humana, bem como a negação dos erros de um passado cavernícola.

SOU INTOLERANTE PARA COM ASSASSINOS E ABUSADORES!

Serei eternamente extremista, porque a razão não me consegue encobrir a índole justiceira e a capacidade de reagir.

SOU ANTI “FESTA BRAVA”!

Porque de “festa” não tem nada e de bravura muito menos…

E do “dejá vu” de argumentos, resta-me apenas o nojo por quem aplaude a morte e com ela se masturba em fugazes orgasmos de prazer sanguinário, revendo-se depois nos espelhos sujos dos seus mais baixos sentimentos.

SER PELA PAZ E PELA NATUREZA, É SER MAIOR, SEM EMBARCAR EM LUTAS DESIGUAIS, MAS ENFRENTANDO OS SEUS PRÓPRIOS SENTIMENTOS, COMO PILAR INDESTRUTÍVEL DO SEU PROJECTO DE VIDA!

E se quem mata não é assassino, ou doente, então abram-se as prisões, prescinda-se de carcereiros e aposentem-se os psiquiatras!

No entanto, parece que em sociedades normais, ou quase, em que se pretendem diagnosticar doenças e as origens dos “transtornos comportamentais“, conforme diz a Associação Americana de Psiquiatria e cujo conteúdo já transcrevi neste blog, a crueldade para com os animais, é o 1º dos sintomas, iniciado na infância e que evolui com a idade para patologias mais graves e que são sintomas de negligência familiar ou outras frustrações afectivas.

No entanto, mesmo não tendo sido a minha infância um mar de rosas afectivo, aproveitei o que outros não conseguiram nos seus percursos:

COMPREENDER SEM REVOLTA E PREFERIR O AMOR E O RESPEITO AO PRÓXIMO, QUANDO ELE O MERECE…

Teresa Botelho

Fonte: Arco de Almedina

***

Texto realmente fantástico da Teresa Botelho.
Faço também minhas cada palavra deste texto!

**

Mas não vou deixar de dizer que quem está na arena de uma praça, como quem está nas bancadas a aplaudir, é Assassino, é Criminoso, é Psicopata, é Sociopata!

Mário Amorim

Anúncios

Intolerância Ativista interrompe tourada e é brutalmente agredido em Lisboa, Portugal

Peter Janssen foi detido e levado pela polícia ao hospital depois de ter sido agredido por aficionados

t-1-2

A corrida de touros realizada no Campo Pequeno, em Lisboa, ficou marcada pela interrupção do ativista holandês Peter Janssen. Em tronco nu, mostrava as mensagens “Basta de tortura” e “Respect for animals”. Os aficionados responderam com insultos e, alega o grupo Vegan Strike no Facebook, com agressões. O ativista foi detido pela PSP e notificado para comparecer ao tribunal.

Segundo este grupo, o ativista passou a noite no hospital, tendo realizado vários exames, entre os quais rais-X e uma TAC. No texto publicado no Facebook, o Vegan Strike Group alega que Peter Janssen foi agredido de forma “brutal e selvagem” por um grupo de sete indivíduos. “A violência com que estes covardes cercaram o nosso colega foi terrível. Pontapés, murros e até dentadas. Não há uma zona do seu corpo que não tenha nódoas negras, arranhões ou marcas de dentes”, lê-se.

t-2-2

A agressão terá acontecido frente à polícia, diz o mesmo texto, em que também se lê que a organização tem um vídeo para denunciar os agressores.

O intendente Hugo Palma, da Direção nacional da PSP, esclarece que “a polícia tentou protegê-lo”, mas admite que até conseguir retirá-lo da praça de touros este tenha sofrido agressões, possíveis de comprovar pelas marcas que tinha no corpo.

O intendente admite que a polícia não conseguiu, até, ao momento, identificar nenhum agressor e confirma a ida ao hospital de Santa Maria, levado pela própria polícia, depois de se ter queixado de algumas dores.

t-3-1

Hugo Palma esclarece que o ativista foi detido porque o promotor do espetáculo, uma corrida de touros da Flash Vidas e Correio da Manhã, apresentou queixa. Peter Janssen foi notificado para comparecer hoje em tribunal. Tem seis meses para apresentar queixa pelas agressões que sofreu.

O exterior da praça do Campo pequeno costuma se palco de vários protestos antitouradas, no entanto, o intendente Hugo Palma não tem memória de um incidente como este.

*Esta notícia foi escrita, originalmente, em português europeu e foi mantida em seus padrões linguísticos e ortográficos, em respeito a nossos leitores.

Fonte: ANDA