INSENSATEZ Orangotangos são forçados a lutar boxe para entreter multidões

Os animais são sequestrados na natureza e submetidos a uma vida miserável

A multidão grita e um sino toca para marcar o início da competição. Os pugilistas correm em círculos pelo ringue, esmurram um ao outro com grandes luvas até que um deles cai no chão. Dançarinos de biquínis minúsculos giram e pulam enquanto a música alta toca para comemorar o vencedor.

Isso pode parecer uma luta de boxe comum, mas, no Bangkok Safari World (na Tailândia), todos os lutadores são orangotangos.

Diversos vídeos já mostraram as competições cruéis e os mais recentes foram divulgados há apenas alguns dias. Antes do show de 30 minutos começar, os primatas são forçados a interagir com uma tirolesa e “tocar” em uma banda com instrumentos.

Um grupo de orangotangos parece jogar lixo sobre dois companheiros. Todos usam roupas feitas para humanos. Lis Key, gerente de comunicações da International Animal Rescue, descreve o programa como “doentio”.

“Considerando as condições chocantes de muitos zoos na Tailândia, é improvável que os treinadores usem métodos de treinamento humanitários. Estes não são comportamentos que ocorrem facilmente em orangotangos e é assustador imaginar como eles foram convencidos a fazer essas acrobacias doentias”, afirma Key ao The Dodo.

Na natureza, os orangotangos são animais arborícolas que sobem em árvores em uma extensão de quilômetros. Eles também são solitários quando crescem, o que faz com que os shows ruidosos sejam muito estressantes para os animais.

“Os riscos para esses orangotangos são imensos. O ambiente em que vivem está muito longe do habitat onde nasceram. Eles são constantemente expostos ao contato humano e a germes que podem ser facilmente transmitidos aos primatas e até mesmo se tornarem mortais caso o sistema imunológico do animal esteja comprometido”, ressalta Key.

Como é frequente em muitos zoos na Tailândia, é provável que os orangotangos tenham sido sequestrados no ambiente selvagem. No processo, a maioria das mães é assassinada para facilitar a captura dos bebês pelos caçadores. Os filhotes são comercializados no mercado negro para zoos ou pessoas que querem criá-los como animais domésticos.

Todas as três espécies de orangotangos estão criticamente ameaçadas devido à destruição de habitat e à caça. “Os orangotangos jovens permanecem com as mães até os seis ou sete anos de idade. É provável que esses orangotangos confinados tenham sofrido o terrível trauma de serem separados de suas mães ainda jovens e obrigados a essa existência de luzes brilhantes, multidões barulhentas e maus-tratos e abusos regulares”, aponta Key.

Fundado em 1988, o Safari World descreve-se como um “mundo de felicidade” em seu site – mas defensores de animais de todo o mundo têm protestado contra o local porque o tratamento dado aos animais é cruel. Uma petição online iniciada há dois meses já tem milhares de assinaturas e pressiona o zoo a interromper o programa.

Key pede que as pessoas nunca financiem organizações que exploram animais em shows. “Esses pobres animais são explorados da maneira mais brutal apenas para lucros comerciais. As pessoas que pagam para assistir a esses shows permitem a continuidade dessa crueldade”.

Fonte: ANDA