INDONÉSIA Fetos de tigre ameaçado de extinção dentro de jarro são encontrados com caçadores

Uma equipe formada por policiais e funcionários do Ministério do Meio Ambiente e Florestas da Indonésia foi informada sobre suspeita de caça por moradores da região e prendeu os suspeitos no sábado (7)
Foto: Antara News
Cinco pessoas foram presas por caçar um tigre-de-sumatra (Panthera tigris sumatrae), espécie protegida na Indonésia, após as autoridades terem descoberto um tigre morto e mais quatro fetos em uma jarra na ilha de Sumatra.

Uma equipe formada por policiais e funcionários do Ministério do Meio Ambiente e Florestas do país foi informada sobre suspeita de caça por moradores da vila de Teluk Binjai, no distrito de Pelalawan, na ilha de Sumatra, disse o ministério à agência de notícias estatal Antara.

Os oficiais prenderam três suspeitos no sábado (7) e encontraram os quatro fetos mantidos em um frasco de plástico. Mais tarde, mais dois suspeitos foram presos por policiais.

Um pedaço de pele de tigre adulto também foi encontrado na vila de Pangkalan Lesung como parte da operação.

Foto: CNN/Reprodução
Os suspeitos enfrentam no máximo cinco anos de prisão e uma multa de 100 milhões de rupias (cerca de 7.100 dólares ou 30 mil reais).

Os tigres-de-sumatra estão criticamente ameaçados de extinção. Em 1978, mais de 1.000 viviam em Sumatra, mas graças ao rápido desmatamento e à caça, seus números caíram para cerca de 400, segundo dados de ONGs de defesa dos direitos animais, incluindo a estimativa da WWF. A ilha outrora exuberante e verde perdeu mais da metade de sua cobertura florestal desde 1985.

De acordo com o TRAFFIC, a agência de monitoramento do tráfico de animais selvagens da WWF e da IUCN, os caçadores matam pelo menos 40 tigres-de-Sumatra por ano, e a matança é facilitada à medida que seu habitat diminui.

Fonte: ANDA

BATALHA PERDIDA Vídeo flagra orangotango lutando contra escavadeira para proteger seu lar

Em uma tentativa desesperada e inocente de agir em defesa de sua casa, o animal enfrenta o inimigo que destrói tudo ao seu redor e refugia-se desesperado nos restos da árvore

Tentando proteger seu lar da destruição, orangotango ataca escavadeira | Foto: International Animal Rescue
Tentando proteger seu lar da destruição, orangotango ataca escavadeira

A triste imagem acima é resultado de um sofrimento e uma perda causada pela ambição humana. Movidas pela ganância irrefreável e agindo como se não houvesse amanhã, empresas de extração de óleo de palma desmatam indiscriminadamente florestas na Indonésia deixando um rastro de dor e destruição por onde passam.

Todos os anos, como resultado direto desse desmatamento, aproximadamente 6.000 orangotangos são mortos. O ingrediente (que é comum em produtos culinários) não é responsável apenas pela devastação dos habitats naturais de diversos animais, como também está poluindo o meio ambiente.

Ativistas não são os únicos atingidos por esse fato. Orangotangos e outros animais que estão sendo forçados a sair de seus lares também estão arcando com as consequências da ganância desenfreada dos seres humanos. Fato comprovado pela imagem capturada pela International Animal Rescue mostrando um orangotango tentando defender sua casa de madeireiros desmatadores.

Como o jornal The Independent afirma, as imagens foram capturadas em 2013 mas apenas recentemente divulgadas. O vídeo de curta duração mostra um orangotango perturbado caminhando sobre um tronco de árvore derrubado, em direção a uma escavadeira que está destruindo seu habitat na floresta Sungai Putri em Bornéu, na Indonésia. Depois de bater no gancho frontal da máquina, ele tenta escapar freneticamente.

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Finternationalanimalrescue%2Fvideos%2F10156426920389910%2F&show_text=0&width=560

A International Animal Rescue (ONG responsável pelas imagens) escreveu no Facebook: “Este orangotango desesperado está freneticamente buscando refúgio do poder destrutivo da escavadeira, uma máquina que já dizimou tudo ao seu redor”.

O orangotango mostrado no vídeo foi resgatado pelo grupo de proteção animal, porém seu lar infelizmente foi destruído. No mesmo post a ONG alertou sobre os efeitos que o desmatamento tem sobre os lares dos animais, e como esse ato covarde frequentemente os força a habitar áreas próximas de humanos e isso acaba levando ao conflito.

O sofrimento dos orangotangos é uma causa pela qual todos deveriam estar lutando. Os seres humanos são responsáveis pelo enorme sofrimento e destruição que tem ocorrido na Indonésia, assim como nas florestas tropicais em todo o mundo. De acordo com o World Wildlife Fund, as populações mundiais de orangotangos caíram pela metade nos últimos 60 anos. E nos últimos 20 anos, 55% dos habitats naturais desses animais foram destruídos.

Fonte: ANDA

História chocante Orangotango fêmea explorada em bordel é resgatada na Indonésia

Devido ao seu conteúdo, não sou capaz de ver este artigo.
Apercebi-me não ser positivo para mim, vê-lo.
E como tal, acho que me devo ficar, aqui no meu blog, pelo inicio e pelo link, nada mais!

Mário Amorim


Apesar do passado horripilante de Pony, a fêmea de orangotango resgatada vive feliz hoje em um santuário

Fonte: ANDA

Gentileza Elefanta cega aprecia música clássica em santuário na Indonésia

O pianista britânico Paul Barton vive com os animais no santuário e toca músicas para acalmá-los.

Um vídeo gravado no santuário Elephants World, na Tailândia, retratou uma bela relação construída entre um homem e um elefante. As imagens mostram o pianista britânico Paul Barton tocando música clássica para uma elefanta cega de 62 anos, conhecida como Lam Duan, para acalmá-la.

Enquanto Barton tocava um número clássico de Bach, o animal parecia apreciar, enquanto balançava a cabeça e o tronco no ritmo da música.

Um vídeo gravado no santuário Elephants World, na Tailândia, retratou uma elefanta apreciando um pianista tocar música clássica para acalmá-la.

Lam Duan, que significa “Árvore Com Flores Amarelas”, atualmente vive no santuário Elephants World, uma instalação responsável pelo resgate de animais e pelos cuidados especiais com elefantes doentes, idosos ou incapacitados. A fêmea passou aproximadamente os primeiros 20 anos de sua vida sendo explorada pelo comércio madeireiro, e depois mais 10 pela indústria de trilhas. Dos seus 30 aos 60 anos, Lam Duam foi cuidada por um casal de guardiões, e há seis anos foi transferida para o santuário.

Barton, de 57 anos, é originalmente do distrito inglês de East Yorkshire, mas atualmente vive no abrigo com sua esposa, Khwan. Ele regularmente toca piano para os 28 elefantes protegidos pelo local, como forma de acalmá-los.

O pianista afirmou que Lam Duan é extremamente inquieta, porém quando ouve música, acalma-se imediatamente.

Embora alguns dos animais possam ser agressivos, Barton diz que prefere que suas apresentações sejam completamente naturais, e que em geral consegue rapidamente detectar se o elefante gosta de sua escolha musical. Ele acrescentou que tenta, através da música, tornar a vida de animais que foram explorados e sofreram diversos tipos de maus-tratos durante toda a vida, um pouco mais prazerosa.

Barton publica vídeos desses encontros em seu canal no YouTube, como forma de aumentar a conscientização acerca dos benefícios do santuário.

“O piano está nas montanhas, então é completamente livre, e o elefante pode fazer o que quiser. Quando esses elefantes estão perto de você, há uma espécie de conexão que você não pode explicar em palavras”, finalizou o pianista.

Fonte: ANDA

Vingança cruel Cerca de 300 crocodilos são mortos em santuário na Indonésia

Membros da comunidade assassinaram todos os animais de um santuário local após um homem ser morto por um crocodilo

Pessoas armadas com facas, martelos e porretes massacraram 292 crocodilos após um homem da comunidade ser morto por um dos répteis em um santuário na Papua Ocidental, província da Indonésia, localizada na Nova Guiné.

Pessoas armadas com facas, martelos e porretes massacraram 292 crocodilos após um homem da comunidade ser morto por um dos répteis, na Indonésia.
As centenas de animais foram mortos como forma de vingança.

O chefe da Agência de Conservação de Recursos Naturais da Indonésia em Papua Ocidental, Basar Manullang, disse que a vítima, de 48 anos, estava colhendo grama para alimentar os animais quando foi atacado. “Um funcionário ouviu alguém gritando por ajuda, foi até lá e viu um crocodilo atacando alguém”, disse Manullang.

Depois que o homem foi enterrado no sábado (14) , os moradores locais entraram no santuário e mataram todos os crocodilos como forma de “vingança”.

Funcionários e policiais disseram que não foram capazes de parar o ataque e agora poderão apresentar acusações. O assassinato de espécies protegidas configura crime que acarreta em multa ou prisão na Indonésia.

O santuário recebeu uma licença em 2013 para criar crocodilos protegidos de água salgada e da Nova Guiné para preservação. Mas uma das condições era que os répteis não perturbassem a comunidade, acrescentou Manullang. Ele também disse que sua agência estava colaborando com a polícia em investigações sobre o incidente.

Fonte: ANDA

VITÓRIA Cidade indonésia promete acabar com comércio de carne de cães e gatos

Um grande progresso no comércio de carne de cães e gatos ocorreu na cidade de Tomohon, na Indonésia, que se comprometeu a proibir a prática

A proibição proposta ocorre após a organização Change For Animals Foundation e os grupos parceiros Dog Meat Free Indonesia Coalition e Animal Friends Manado se reunirem com representantes do governo da Cidade de Tomohon. Muitos habitantes e ativistas comemoraram porque a cidade é conhecida por seu “mercado extremo”, no qual dezenas de milhares de cães e gatos são mortos semanalmente por suas carnes.

Todos os anos, milhões de cães são transportados por toda a Indonésia devido à alta demanda por suas carnes. Ao contrário da agricultura, a maioria desses animais tem origem doméstica e é sequestrada de suas famílias e traficada ilegalmente. Eles passam longos períodos com a boca fechada e em gaiolas e sacos apertados, incapazes de se movimentar ou se defender.

“Eu não conhecia a magnitude, literalmente, milhões de cães são mortos para a alimentação na Indonésia todos os anos. Isso precisa ser condenado e temos que impedir. Agora que você sabe, ajude-nos [Change for Animals Foundation] a ajudá-los, obrigado”, disse o ativista pelos direitos animais, Ricky Gervais.

Peter Egan e Joanna Lumley também fizeram declarações para apoiar o fim do comércio da carne de cães na Indonésia.

Os representantes do governo da cidade asseguraram que ações serão adotadas para acabar com a prática cruel e pediram o apoio das organizações para facilitar a mudança, informa o Livekindly.

As organizações prometeram monitorar a cidade para que ações sejam adotadas. A saúde pública e a segurança, além das preocupações com o bem-estar dos animais, foram ouvidas. Atualmente, uma petição reúne assinaturas de pessoas que apoiam a ação para proteger os cães e gatos na Indonésia.

Fonte: ANDA