Destaques Imagens de touros com os chifres em chamas causam revolta nas redes sociais

Este artigo e as suas imagens falam por si.

Chamam o touro de “besta negra”. Mas as verdadeiras bestas, são quem é cruel, quem tortura o touro, e quem se diverte a ver a tauromaquia. Essas sim, são as verdadeiras bestas!

Mário Amorim


Foto: Pen News
– Dupla monstruosidade!

Imagens de um touro com os chifres em chamas causaram revolta e indignação nas redes sociais. O evento conhecido como “Fire Bull” (touro em chamas) ocorreu na cidade de La Vall d’Uixó, na Espanha,

As fotos e vídeos mostram a multidão atormentando os animais assustados e indefesos por diversão. O comediante Rick Gervais disse no Twitter que os participantes do evento eram “cruéis” e descerebrados” após ter visto as imagens nas redes sociais.

Ativistas das ONGs Animal Guardians e La Tortura No Es Cultura gravaram o vídeo em uma tentativa de denunciar e proibir a prática bárbara. Em suas filmagens, os animais são arrastados para um poste de modo que as “cintas metálicas” possam ser fixadas em seus chifres, então as cintas são colocadas em chamas e os touros são soltos para correr freneticamente ao redor. Enquanto correm, são assediados por espectadores que os agarram pelos rabos, jogam areia e garrafas neles e os chutam da segurança de gaiolas especialmente projetadas para que fiquem protegidos.

Veterinários dizem que os touros ficam aterrorizados pela presença de fogo, que eles ficam impotentes para escapar, e mais desesperados porque as brasas caindo em seus rostos e corpos.

José Enrique Zaldívar, presidente da Avatma – um grupo veterinário que faz campanha contra eventos como esses, disse que a “desorientação, ansiedade, medo e angústia” dos touros era grande, mesmo sem o fogo”.

“Mas uma vez que as chamas se instalam”, ele disse, “isso só piora”.

Foto: Pen News

“Quando as bolas ou tochas que são colocadas nos chifres dos touros são acesas, a presença do fogo faz com que o animal fique aterrorizado”, disse ele.

“Como é instintivamente identificado como outro sinal de perigo, aumenta muito mais o stress e a angústia dos animais.”

Agora eles estão preparando uma queixa oficial ao governo regional da cidade de Castellón, que, segundo eles, deu apoio promocional e financeiro ao evento.

Foto: Pen News

A lei espanhola define as circunstâncias sob as quais um touro pode ser morto – infelizmente o homem ainda decide sobre a vida de outros seres – e activistas dizem que esses touros só poderiam ser mortos depois do evento e não durante ele e apenas em um matadouro.

No entanto, o vídeo parece sugerir que, quando o espectáculo público termina e os touros são levados para um cercado de contenção, uma faca tradicionalmente usada para entregar o golpe de misericórdia está presente.

Marta Esteban, da Animal Guardians, disse: “Quando touros adultos como estes que nunca estiveram em uma tourada, são usados neste tipo de actividade cruel, os regulamentos dizem que eles devem ser levados para o matadouro vivos”.

“É considerada uma ‘infracção muito grave’ contra a lei não fazê-lo”.

Foto: Pen News

“Mas então vimos que eles tinham em mãos a faca típica que é usada em touradas tradicionais para dar ao touro o golpe de misericórdia.”

José Cubells, da La Tortura No Es Cultura, disse que o assassinato alegado constituiria apenas uma das várias violações que eles testemunharam.

“Temos observado inúmeras infracções, como o lançamento de areia, garrafas e roupas no rosto dos animais, o último dos quais poderia ter pegado fogo e queimado os touros”, disse ele.

“Também observamos pessoas chutando os animais de trás das grades e outros colocando os animais nas caixas de contenção com os chifres ainda em chamas, o que poderia ter incendiado toda a estrutura”.

“Estamos preparando uma queixa oficial para a Unidade Territorial de Castellón.”

Entre aqueles que assistem ao evento são crianças.

Em diferentes partes do vídeo, uma criança é ouvida perguntando em espanhol “eles vão matá-lo?” E “por que eles o matam?”

“Naturalmente, as crianças não entendem como os adultos acham divertido o sofrimento dos animais, muito menos que os matam pela mesma razão”, disse Marta.

“Esses shows distorcem a visão que as crianças têm dos animais, distorcendo a empatia inata que sentem em relação a eles e ensinando que a violência, neste caso, é divertida – o que pode ser muito perigoso para a educação de uma criança”.

Fonte: ANDA

Anúncios