HOJE, ALGURES EM LISBOA, UM GRUPO DE TROGLODITAS REÚNE-SE EM DESESPERO DE CAUSA PARA TENTAR MANTER DE PÉ A MORIBUNDA TAUROMAQUIA

Estamos a poucos dias da discussão no Parlamento, dos dois projectos do BE e do PAN, e até agora, não vejo ser feito nada, para dar força aos projectos. A única forma concreta de vencer o lobby tauromáquico, e não me canso de o dizer, é trazer milhares, milhares e milhares de pessoas para as ruas, não apenas em Lisboa, mas um pouco por todo o país em protesto contra a tauromaquia. E este é o único caminho que existe para vencer o peso do lobby tauromáquico em Portugal. Não se convenção, não há outro. Em tudo o resto, o lobby tauromáquico tem uma força inultrapassável no Parlamento. Tem de ser ser realista, pois é aí que está a base do vencer o lobby tauromáquico em Portugal e conseguir-se a abolição da tauromaquia!

Mário Amorim


Coitados! Ainda não se aperceberam de que as touradas não são factos, nem realidades ancestrais do povo português, nem tão-pouco tradição.

As touradas são apenas o reflexo de uma época bárbara, onde reinava uma ignorância que passou de geração em geração e entranhou-se como uma lepra incurável na pele dos últimos cavaleiros do apocalipse do Século XXI D.C.

Hoje, algures em Lisboa, um grupo de trogloditas tentará derrubar projectos civilizados, esquecendo-se de que a voz da minoria que representam até pode sair da sala, mas só dirá do desespero deles e da sua profunda miséria moral.

O que se vê neste vídeo é a realidade espanhola, que é igualmente a realidade portuguesa. Condutas macabras, que nem os homens primitivos praticavam, acontecem em Barrancos e Monsaraz, em arenas sempre quase vazias…

E apesar desse vazio, eles acham que são muitos. Eles acham que isto é tradição. Eles acham que isto é cultura, é arte, é coisa civilizada…

E o pior é que vivem virados para trás, para um passado que já passou, tão virados, que não conseguem ver a realidade e que o mundo avançou…

E a realidade é que as touradas estão mesmo à beirinha do abismo, e à menor brisa elas nele cairão, para sempre.

Podem reunir-se. Podem bradar aos céus. Podem viver na ilusão da mentira.

Porque os factos e as realidades das touradas são que elas estão definhadas, moribundas e os seus poucos aficionados deliram ao achar que este costume bárbaro está vivo e que ainda tem futuro.

E é como diz Cícero:

CÍCERO.jpg

Pois, hoje, algures em Lisboa, ir-se-á perseverar no erro.
Isabel A. Ferreira

Fonte: Arco de Almedina

Anúncios