CONTEÚDO ANDA Conheça a ativista que luta para desconstruir estereótipos sobre tubarões

Embora haja vários estereótipos sobre tubarões, a espécie é vítima da crueldade humana. Todos os anos, 100 milhões de tubarões são mortos – a maioria para o comércio de barbatanas…

 

Embora haja vários estereótipos sobre tubarões, a espécie é vítima da crueldade humana. Todos os anos, 100 milhões de tubarões são mortos – a maioria para o comércio de barbatanas de tubarão. Os outros são capturados acidentalmente pela terrível indústria da pesca.

https://www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/05/tu-e1495812475237.png

Como os tubarões são retratados como extremamente agressivos, a maioria das pessoas defende que o correto é matá-los.

Porém, Ocean Ramsey está tentando desconstruir os mitos sobre tubarões. Ela é uma ativista marinha e instrutora de mergulho profissional, que realiza mergulhos diários com tubarões no Havaí para analisar seus comportamentos.

Ramsey divulgou seus estudos ao público para “ajudar as pessoas a compreender, apreciar e respeitar melhor os tubarões como valiosos predadores e combater o medo irracional que muitas pessoas sentem”.

Ela também se dedica a recolher dados inestimáveis sobre estes belos animais. Como observa em seu Instagram, “a pesquisa sobre tubarões é crítica para os esforços de proteção, tais como a aprovação da legislação que pode ter recursos eficazes para a segurança dos tubarões”.

https://www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/05/tu2-e1495812552588.png

Os tubarões são predadores-chave que desempenham um papel fundamental na manutenção de outras populações marinhas saudáveis e ameaçadas. Quando eles desaparecem de um ecossistema, isso gera uma cascata de problemas e leva ao desaparecimento de outras espécies marinhas essenciais, revela o One Green Planet.

Ramsey espera que, ao compartilhar suas experiências com tubarões, isso inspire outras pessoas a adotar medidas para protegê-los.

Com mais de 284 mil seguidores no Instagram, ela desafia os equívocos das pessoas sobre a espécie com fotos impressionantes de seus mergulhos.

https://www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/05/tu3-e1495812624677.png

Se uma pessoa decidir parar de consumir peixes e mariscos, isso pode salvar 225 peixes e 151 crustáceos em um ano, além de diminuir as chances de os tubarões serem enredados e mortos em instrumentos de pesca.

O consumo de sopa de barbatana de tubarão também está colocando uma pressão significativa sobre os animais. Ao conscientizar as pessoas sobre a importância dos tubarões para a saúde dos nossos oceanos, podemos mudar a percepção sobre estes animais surpreendentes.

Fonte: ANDA

Anúncios

CONTEÚDO ANDA Vitória: comércio de marfim é proibido definitivamente na França e Havaí

Reprodução/WorldAnimalNews

O ministro de Ecologia da França, Ségolène Royal anunciou a proibição do comércio de marfim durante uma cerimônia realizada em Nairóbi. O anúncio ocorreu enquanto toneladas de marfim eram queimadas para simbolizar o combate à caça ilegal de elefantes.

A proibição deve entrar em vigor em breve em todo o país e também dará atenção especial a leilões, especialmente de antiguidades. O ministro disse que há planos de expandir essa medida para toda a Europa, informa o World Animal News.

Esta decisão completa uma série de medidas que a França tem feito desde janeiro de 2015 como parte da Lei de Biodiversidade.
Embora o marfim seja regulamentado no país desde 1990, as leis anteriores incluíam itens de antes de 1947, como antiguidades ou marfins em bruto que entraram no país antes de 1990.

O Havaí também acaba de aprovar a lei Senate 2647 que proíbe vendas de marfim, mas alguns grupos são contrários a ela.
A nova lei proíbe quase todas as vendas de produtos feitos de animais ameçados de extinção, como elefantes, baleias, morsas, alguns tubarões e mamutes.

Um elefante é morto a cada 15 minutos para abastecer o comércio marfim, o que significa que entre 25 mil e 35 mil elefantes são mortos a cada ano. Segundo estimativas, uma tonelada de marfim era vendida a cada mês na França.

Fonte: ANDA