Guaratuba (PR) Ação civil pública tenta impedir realização de rodeios na Guarafest 2019

Ativistas e protetores lutam pelo cumprimento da lei que proíbe atividades que exploram animais.

O Fórum de Defesa dos Direitos dos Animais de Curitiba e Região (FDDA Curitiba e Região), representado pela organização SOS Bicho e pela Associação de Proteção aos Animais Arca de Noé, impetrou a abertura de uma ação civil pública com pedido de liminar para impedir a exploração de animais em rodeios que serão realizados no evento Guarafest 2019, na cidade de Guaratuba, no litoral do Paraná.

O evento está sendo organizado pela empresa Sólida Rodeios Promoção de Eventos e Fogos e contará com provas de montaria e espetáculos de rodeios country. A Guarafest 2019 será realizada entre os dias 10 e 20 de janeiro e contará ainda com um show do cantor Luan Santana.

Intrinsecamente cruel e abusiva, a prática de rodeios é proibida na cidade de Guaratuba desde 2017, após aprovação da lei municipal 1.719 que cria o Código de Defesa, Controle de Natalidade e Proteção dos Animais e proíbe a exploração de animais em espetáculos circenses, carreatas ou qualquer outra atividade que os exponha a situação de maus-tratos.

Em um ofício enviado à Promotoria de Justiça de Guaratuba, a FDDA Curitiba e Região reforça que o abuso e maus-tratos em espetáculos como rodeios são inconstitucionais e que a indiferença do Estado compactua com a tortura de animais. “É inaceitável que o Estado do Paraná, às vésperas do terceiro milênio, reste em silêncio ante a tortura e maus-tratos impostos a um animal indefeso. Assim, imprescindível a aplicação da lei para combater os fortes interesses econômicos individuais em prol de uma sociedade justa, sensível e que impeça o tratamento desumano e brutal conferido aos animais. A prática do rodeio tem sido cada vez mais condenada no Brasil, seja por causar danos físicos e psíquicos nos animais, seja por não compactuar com as normas constitucionais e infraconstitucionais de proteção animal. Várias são as notícias veiculadas na mídia sobre a proibição pelo Judiciário de atividades de rodeio ao longo do país”, diz trecho do documento.

O ofício, que pode ser visto na íntegra aqui, reúne ainda estudos de casos, provas de maus-tratos e tratamento cruel de animais explorados em rodeios, além de um levantamento de testemunhos de peritos e veterinários sobre os maus-tratos intrínsecos à atividade.

Fonte: ANDA