CONTEÚDO ANDA Governo russo discute lei que proíbe criação de animais selvagens

Após anos de luta dos defensores da causa animal, um projeto de lei está sendo discutido na Rússia: a criação de animais selvagens.

A lei está sendo discutida pela Duma de Estado, que é Câmara dos Deputados na Rússia. O objetivo é criar um registro obrigatório dos animais e proibir a criação de leões, ursos e outros animais carnívoros de grande porte como animais domésticos.

https://www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/06/urso.jpg

A nova lei busca também garantir os direitos aos animais exóticos e aumentar as penalidades em casos de exploração e maus-tratos.

Na Rússia, está se tornando comum a criação de animais selvagens. Algumas pessoas têm, inclusive, criado contas nas redes sociais dedicadas a ensinar os cuidados para manter animais exóticos em casa. Além disso, comprar filhotes de tigres, leões, linces, macacos e cobras está cada vez mais fácil e menos burocrático em Moscou, capital do país.

Pelo fato das leis russas não proibirem a adoção de animais selvagens, não existe nenhum tipo de fiscalização, tornando quase impossível provar e penalizar casos de maus-tratos.

Em 2011, a Câmara dos Deputados do país aprovou um lei que define o tratamento humano aos animais, mas nenhuma emenda foi feita ao texto. Já em 2015, o governo criou padrões oficiais para manter animais em zonas urbanas, contudo foi descrito apenas como “medidas consultivas”.

https://www.anda.jor.br/wp-content/uploads/2017/06/fox.jpg

Ativismo pelos direitos animais

Em abril de 2016, uma filhote de leões que vivia em uma residência em Saratov, fugiu de casa e atacou um adolescente que teve que ser hospitalizado. Segundo comunicado do Comitê de Investigação da Rússia, o animal foi devolvido aos tutores.

“Os filhotes de leão podem ser divertidos para brincar no início, mas, ao crescerem, precisam de mais espaço e comer mais”, diz Natália Dronova, especialista da WWF. “Após a puberdade, o comportamento pode mudar e eles se tornam mais agressivos.”

Dronova conta que nos últimos anos, os felinos de grande porte têm se tornado muito populares entre os russos, como animais domésticos. “São criados principalmente em instalações comerciais que se apresentam como viveiros, mas não tem regulação alguma”, analisa.

O projeto de lei que tramita na Câmara tem gerado muita discussão por parte dos mais de 2.800 moscovitas que se reuniram para debater o assunto. Os defensores da causa animal buscam, também a proibição da criação irregular de ursos, corujas, guaxinins e lêmures. Eles defendem ainda que, em casos de animais domésticos permitidos, o tutor deve se comprometer a cooperar com o Departamento de Conservação da Natureza do país para monitorar a saúde do animal.

Iliá Botchkarev, russo que participou do debate, afirma que “quer proteger os animais dos seres humanos e os seres humanos do animais”.

Fonte: ANDA

 

 

Anúncios