CÃES E GATOS DEIXAM DE SER COISAS…

E OS OUTROS ANIMAIS?

A Lei que foi aprovada só abrange Gatos e Cães (que não pertençam a circos ou sejam utilizados em lutas, ou os das aldeias que, apesar da lei, continuam a viver acorrentados, bem debaixo das barbas das autoridades).

GATO PÚBLICO.jpg
FOTO Paulo Pimenta

Fonte: https://www.publico.pt/2016/12/21/sociedade/noticia/animais-deixam-de-ser-coisas-mas-lei-dos-maus-tratos-vai-continuar-com-buracos-1755686

Fico feliz por estes meus queridos amigos. Mas temos de continuar a lutar por todos os outros nossos outros amigos de quatro patas.

É que para os políticos portugueses, todos os animais são iguais, mas uns continuam a ser mais animais do que outros. E esses outros nem sequer estatuto de animais têm, em Portugal.

Esta lei, apesar de ser um passinho em frente, não resolve o problema grave dos maus tratos a que estão sujeitos TODOS os outros animais portugueses.

A Assembleia da República está dividida, aliás, como em tudo o que diz respeito à Evolução e outras matérias do interesse nacional.

Carlos Abreu Amorim, deputado do PSD acusou o PAN (autor do projecto), o PS e o BE de terem apresentado propostas radicais. E o que são propostas radicais para este deputado?

Este deputado entendeu que as alterações que estes três partidos pretendiam introduzir no Código Penal transformavam cada criador num potencial criminoso
(como se já não o fossem) e acrescentou: «Se uma vaca magoasse uma pata durante o transporte, o dono podia ter de responder por isso em tribunal» (pois podia e devia, porque o modo como os animais são transportados em Portugal, é um autêntico atentado ao bem-estar deles. Eles são transportados como sacos de cimento, amontoados, sem que tenham sequer lugar para ficarem de pé); «São soluções citadinas que nada têm a ver com o modo de vida do país rural» (o modo de vida do país rural é bárbaro, tratam os animais como se fossem pedras, não tendo em conta a VIDA que eles são, uma vida tão vida como a de qualquer um que se diz “humano”, não tendo em conta a sensibilidade e a racionalidade (esta racionalidade está provada) dos animais não humanos);
«As associações do sector pecuário ficaram “aterradas” com estas intenções» (e era para ficarem aterradas, porque sabem perfeitamente o modo cruel como tratam os animais de quinta, e mereciam ser penalizados).

OS DEFENSORES DOS MAUS-TRATOS A ANIMAIS

No mundo já civilizado, mas que ainda não evoluiu o suficiente para deixar de ser carnívoro, os animais são tratados mais humanamente, do que em Portugal, que ainda deve milhões de Euros à Evolução.

O Partido Comunista (será de esquerda?) aliou-se aos partidos da direita, defensores dos maus tratos aos animais que eles não consideram animais (animais para eles são apenas os Cães e os Gatos) para chumbar os projectos que catapultariam Portugal para um nível evolutivo mais elevado.

António Filipe, deputado comunista, chegou mesmo a dizer que qualquer dia as penas dos crimes contra animais ainda se tornavam superiores às dos crimes contra as pessoas.

Penas superiores não direi, mas cito Leonardo da Vinci, o maior génio dos séculos XV/XVI, que futurou esta coisa espantosa: «Chegará o dia em que todos os homens conhecerão o íntimo dos animais, e, nesse dia, um crime contra um animal será considerado um crime contra a própria humanidade.»

Este dia já esteve mais longe.

Em pleno século XXI d. C., já existem milhares de Seres Humanos que conhecem o íntimo dos animais, e lutam pela sua libertação.

Mas em Portugal, ainda com tantas mentes tacanhas a proliferar por aí, a evolução far-se-á mais lentamente.

O PAN fala em lobbies.

E é óbvia a existência de lobbies.

André Silva, deputado do PAN, refere: «O Parlamento não está preparado para avançar mais um passo. Continua vigente uma teimosia ideológica ligada a profundos interesses e lobbies corporativos no sector da pecuária. Vivemos ainda o tempo em que os agentes económicos são quem mais ordena… As agressões e os maus tratos a animais são uma realidade unanimemente aceite no quotidiano da produção pecuária portuguesa.»

Não, o Parlamento Português não está preparado para a Evolução.

Quem manda ali são os lobbies, que lá colocam deputados escolhidos a dedo. Aliás, os partidos que defendem os maus-tratos aos animais, já estão a “trabalhar” listas para as eleições autárquicas, onde os tauricidas têm, lugar desatacado.

E também é óbvio que o meio rural ficou parado na alta Idade Média, e trata com a maior brutalidade seres sencientes e muito mais racionais e humanos do que todos eles.

Fonte: Arco de Almedina

 

Anúncios

Mortos para consumo humano Cerca de mil gatos são resgatados a caminho de matadouro na China

Ativistas de direitos animais resgataram cerca de 1000 gatos que eram transportados para matadouros, onde seriam mortos para consumo humano. Foto: Daily Mail

Ativistas de direitos animais resgataram cerca de 1000 gatos que eram transportados para matadouros, onde seriam mortos para consumo humano. Foto: Daily Mail

Ativistas pelos direitos animais resgataram mais de mil gatos famintos que estavam sendo levados para matadouros no sul da China. As informações são do Daily Mail.

Os membros da Suzhou Small Animal Protection Association (SSAPA) apreenderam um caminhão que transportava os gatos no condado de Jiashan, na província de Zhejiang, no leste da China.

Os ativistas contaram que, quando os gatos chegassem à província de Guangdong, seriam vendidos para consumo humano.

O caminhão apreendido continha 50 caixas pequenas, com estimados 20 gatos apertados dentro de cada uma. Foto: Daily Mail

O caminhão apreendido continha 50 caixas pequenas, com cerca de 20 gatos apertados dentro de cada uma. Foto: Daily Mail

Os gatos foram resgatados após um residente local ter avisado a SSAPA sobre o caminhão, que carregava cerca de 50 gaiolas.

Foi relatado que cada gaiola minúscula continha cerca de 20 gatos.

Diversos desses animais que estavam amontoados dentro do caminhão ficaram gravemente feridos e desnutridos, de acordo com a ONG.

Xiaobai, chefe da SSAPA, relatou que quase metade dos gatos resgatados morreram pouco depois do resgate, uma vez que muitos deles ainda eram jovens demais para terem sido separados de suas mães.

Foto: Daily Mail

Foto: Daily Mail

Ele acrescentou que um em cada três dos gatos resgatados estavam usando coleiras, o que significa que haviam sido capturados ilegalmente, arrancados de seus tutores amorosos.

A ONG acrescentou que uma investigação policial está sendo conduzida, como resultado do roubo dos animais. Mas o motorista de caminhão, Liu Yen, insistiu que todos os animais haviam sido abandonados por seus tutores e tinham sido vendidos aos concessionários, e não confirmou que eles estavam sendo levados para matadouros.

Foto: Daily Mail

Foto: Daily Mail

Na China, são consumidos mais de 4 milhões de gatos por ano. Segundo a reportagem, a maior parte do consumo de carne de cães e gatos do país se dá na província de Guangdong.

Um caso semelhante aconteceu em julho, quando mais de 400 cães que estavam sendo transportados para um matadouro chinês foram resgatados, após um impasse de 50 horas entre ativistas e um traficante de animais.

Foto: Daily Mail

Foto: Daily Mail

Os animais esfomeados foram amontoados em gaiolas minúsculas e foram coletados de todo o país para viajar para Guangxi, no sudeste.

Apenas dois dias antes do incidente, mais de 270 cães foram descarregados de um pequeno caminhão perto de Tianjin, no nordeste da China.

A proa de Guavíncingxi também é palco do notório festival anual de carne de cão, na cidade chinesa de Yulin.

No evento, milhares de animais sequestrados são esfolados e comidos na celebração do solstício de verão a cada ano, causando indignação global.

Fonte: ANDA

Massacre Austrália pretende assassinar dois milhões de gatos nos próximos cinco anos

Foto: Shutterstock

Em pronunciamento na semana passada, o governo australiano anunciou que tem planos para reduzir em cerca de dois milhões de espécimes sua população de gatos selvagens, segundo informações do site Cat Channel.

O ministro do meio ambiente Greg Hunt apresentou a “Estratégia Australiana para Espécies Ameaçadas,” um extenso guia que serviria para preservar espécies sob ameaça no país. Desgraçadamente, o documento prevê o assassinato brutal de outras espécies, como meio para atingir esse objetivo de “preservação.”

Um comissário encarregado da bárbara tarefa, Gregory Andrews, afirma que Hunt “está declarando guerra aos gatos selvagens.” Alega que esses animais estão matando espécies nativas, levando ao declínio e extinção de populações de pássaros e mamíferos.

Hunt apresentou o programa de extermínio com a seguinte afirmação: “Até 2020, quero ver dois milhões de gatos selvagens mortos, eliminados de cinco ilhas e dez lugares no continente, que serão ‘paraísos seguros’ livres desses animais, além de medidas de controle aplicadas a dez milhões de hectares.”

Segundo o documento de 68 páginas apresentado pelo ministro, algumas das táticas usadas contra esses felinos serão fuzilamento, captura com armadilhas e iscas, uso de cachorros treinados para encontrá-los, dentre outras “técnicas inovadoras de gerenciamento” – eis o termo usado no documento para descrever os métodos de assassinato.

Entidades defensoras de animais estão revoltadas diante da postura do governo australiano e exigem esclarecimentos quanto às fontes e estudos científicos citados pelas autoridades quando afirmam, por exemplo, que a “evidência científica é inequívoca, os gatos selvagens são uma das maiores ameaças aos mamíferos terrestres da Austrália.”

Fonte: ANDA