FINAL FELIZ Pit bull amoroso agradece a todo instante por ter sido resgatado e adoptado

Adotado, adotá-lo, Anda? – Enfim!

Mário Amorim


Adotar um cãozinho não estava nos planos de Mikayla Sengle e seu companheiro, Anthony Noto, mas tudo mudou quando o cachorro Wyle entrou na vida do casal. No mês passado, Anthony estava voltando do trabalho para casa quando passou por um parque para cães perto de um complexo de apartamentos. No fundo do parque, um pit bull branco e marrom estava sentado sozinho.

Quando Noto se aproximou do cachorro, ele percebeu que o cão não estava usando uma coleira e parecia um pouco machucado. “Ele parecia perdido e ao mesmo tempo parecia que estava em uma missão para encontrar algo”, disse Noto. “Quando eu caminhei até onde estava o meu carro, ele veio até mim, de cabeça baixa, para ver se eu o aceitaria. Talvez eu fosse o que ele procurava”, acrescentou.

Anthony colocou uma corda em volta do pescoço do filhote e caminhou com ele pelo parque tentando encontrar o seu tutor, mas quando ninguém reconheceu o cachorro, Noto o colocou em seu carro e o levou para casa. Afinal, não poderia deixá-lo sozinho de novo.

O filhote não queria chatear seus novos tutores e estava determinado a mostrar a Sengle e Noto que ele tinha as melhores maneiras. “Ele procurava meu namorado pedindo permissão para tudo”, disse Sengle. “Quando ele chegou em casa e correu para o quintal, ficou emocionado. Parecia que ele nunca teve a oportunidade de ser livre e poder se divertir”, lembra.

Na primeira noite, Wylie dormiu na cama entre seus salvadores. Ele queria ter certeza que não seria abandonado novamente. Ele nunca esteve mais confortável e feliz em toda a sua vida.

Sengle queria muito adoptá-lo, mas teve receio que o verdadeiro tutor estivesse preocupado e angustiado procurando Wylie, então fez uma postagem em uma rede social, mas o que descobriu partiu o seu coração. Um rapaz entrou em contato com ela e disse que o cãozinho era tutelado por uma amiga dele que decidiu abandoná-lo por considerá-lo muito irritante.

O jovem pediu ainda que ela parasse de procurar os verdadeiros tutores do cãozinho, porque eles batiam no filhote e ele não queria vê-lo sofrendo novamente.

Sengle e Noto mantiveram Wylie por cinco dias, dando aos antigos tutores tempo para reivindicá-lo para evitar complicações judiciais, mas quando a semana acabou, não havia dúvida de que ele ficaria com eles para sempre.

“Ele é um cão muito doce e um ótimo companheiro”, disse Sengle. “Meu namorado e ele criaram um vínculo quase que instantaneamente. Ele dormiu bem entre nós na primeira noite em que o pegamos e, a partir de então, sabíamos em nossos corações que ele era o nosso cachorro”, finalizou.

Fonte: ANDA

FINAL FELIZ Leões explorados por circo são salvos e levados para santuário

O casal de leões Tarzan e Tanya passaram a maior parte de suas vidas trancados em pequenas jaulas e sendo submetidos a treinamentos tortuosos para entreter o público no picadeiro de um circo na Guatemala. Eles têm sequelas e cicatrizes no corpo. Após a proibição de circos no país, a Animal Defenders International (ADI) conseguiu finalmente resgatá-los.

Eles foram transportados para um abrigo temporário da ADI e receberam cuidados. Lá, Tarzan e Tanya pisaram na grama pela primeira vez e experimentaram a liberdade. O casal surpreendeu os funcionários do abrigo, que perceberam como os leões eram doces e calmos. Após um período de reabilitação, eles foram enviados para o seu lar definitivo, um santuário na África do Sul.

Atualmente, Tarzan e Tanya passam os seus dias brincando, dormindo e aproveitando cada instante de liberdade que podem. Eles têm um vínculo de amor e amizade e sobreviveram unidos, um dando força ao outra. São inseparáveis e companheiros de toda a vida. Conheça mais sobre a história dos leões assistindo ao vídeo abaixo:

Fonte: ANDA

FINAL FELIZ Cão e tutora vivem reencontro emocionante após animal desaparecer por dois anos

Enquanto a tutora chorava de felicidade, o cachorro abanava o rabo e pulava em seu colo, demonstrando que também sentiu saudades

Lágrimas no rosto da tutora e um rabinho abanando freneticamente. Esse é o resumo do momento em que Linda Harmon reencontrou Twixx, o amado cão de sua família que havia desaparecido há dois anos.

O labrador escapou de casa após cavar um buraco embaixo da cerca do quintal. Na época, a tutora fez buscas pelo bairro, colocou posteres em vários locais e iniciou uma campanha nas redes sociais. Nada surtiu efeito.

A única notícia que Linda recebeu foi a de que o cachorro havia morrido em decorrência de um atropelamento. A informação chegou até ela através de uma mulher que acompanhava a história do cão no Facebook.

A tutora, então, informou à empresa de microchips, que forneceu o chip de identificação do cão, que o animal tinha morrido. Ela, no entanto, não aceitava a notícia. “Nunca acreditei verdadeiramente em meu coração. Meu marido disse: ‘Você precisa deixar isso para lá. Você está sofrendo por ele’. Mas eu disse que nunca conseguiria outro cachorro e não o fiz por dois anos”, contou.

Uma ligação inesperada, recebida por Linda no início de Julho, provou que ela estava certa. O labrador não tinha morrido e um abrigo para animais a contactou dizendo que o havia resgatado.

“Eu apenas comecei a chorar. Eu estava chorando sem parar, e eu estava com alguns membros da igreja e eles correram para mim, pensando que eu tinha más notícias. Mas quando eles me olharam eu estava sorrindo”, relatou.

Com medo de que o cachorro não lembrasse dela, Linda bolou um plano junto ao abrigo: decidiu que chegaria ao local e chamaria por ele enquanto o labrador ainda estivesse dentro de sua baia, para não correr o risco de assustá-lo.

Mas Twixx não só reconheceu sua tutora, como ficou muito feliz ao vê-la. Quando Linda chegou ao local, o chamou por seu apelido – “Tootaroota”. O cão, então, passou a farejar o cheiro dela.

“Finalmente, quando eu berrei ‘Twixx’, ele correu para o portão e ficou atento”, disse. “E ouvi uma senhora dizer: ‘Deixe-o sair porque ele está tentando encontrá-la’”, acrescentou.

Ao ser solto, o cachorro correu para os braços de sua tutora, que chorou de emoção. “Ele não parava de se mexer – oh meu Deus – e simplesmente pulou em cima de mim”, contou Linda. “Então ele colocou a cabeça nos meus braços e me olhou directo nos olhos, como se estivesse dizendo: ‘Tenho que ver que essa é realmente você’”, concluiu.

O reencontro emocionou os voluntários do abrigo, que ficaram felizes com o retorno do cachorro ao seu lar, de onde ele jamais deveria ter saído.

Veja o momento em que o cão revê sua tutora:

Fonte: ANDA

FINAL FELIZ Macaco mantido aprisionado por sete anos tem reacção surpreendente ao chegar em santuário

O doce macaquinho George passou sete anos morando em uma pequena caixa de madeira como um animal doméstico na Tailândia antes da Wildlife Friends Foundation Thailand (WFFT) receber denúncias sobre a situação do animal e iniciar uma campanha para resgatá-lo. Para salvar George, o fundador da WFFT, Edwin Wiek, decidiu ele mesmo participar da operação.

Para encontrar o macaquinho, Wiek percorreu várias comunidades carentes de Minburi, em Bangkok. Felizmente, o resgate foi rápido e assim que George conheceu o seu novo lar, ele não conseguiu esconder o quanto estava emocionado por ver árvores, água fresca e muito espaço natural para pular e brincar.

A Wildlife Friends Foundation Thailand foi fundada em 2001 e faz a diferença na vida dos animais silvestres resgatados no país. A organização trabalha para conscientizar a população sobre a consequências do tráfico e aprisionamento de animais silvestres para entretenimento. Agora, George finalmente terá um lar de verdade.

Fonte: ANDA

FINAL FELIZ Elefanta resgatada no Quénia é vista liderando manada

Yatta era apenas um bebê quando encontrada ao lado do corpo de sua mãe. Passados 20 anos, Yatta se recuperou por completo e agora os activistas comemoram que esteja liderando um grupo com outros filhotes que cresceram com ela


A ONG Sheldrick Wildlife Trust resgata elefantes orfãos no Quénia.

ONG Sheldrick Wildlife Trust atua há 42 anos no Quénia e está divulgando um vídeo onde a elefanta Yatta aparece liderando um grupo. O flagrante é motivo de alegria para a ONG que há 20 anos encontrou um bebê elefante no Parque Nacional Tsavo Fast. A pequena Yatta estava ao lado do corpo da mãe morta por caçadores em busca de marfim.

“Yatta foi criada no nosso berçário, mas voltou para o Parque Tsavo em 2001, onde agora caminha junto com a velha amiga do berçário Kinna e seus filhotes. Conhecida por uma personalidade confiante e gentil, Yatta está bem posicionada para liderar este grupo de órfãos que passaram com sucesso para uma vida selvagem. Ela tem instintos maternos profundos e actua como uma amiga muito amada e tutora para seus amigos mais novos. Ela própria já teve dois filhotes nascidos em estado selvagem”, comenta a ONG em seu site.

Durante muito tempo, Yatta preocupou os veterinários porque tinha fraqueza, articulações rígidas e, às vezes, colapso total caindo no chão.  Medicações também lhe causaram efeito colateral fazendo surgir um enorme abcesso duro de um lado do rosto. Com o tempo, o abcesso amoleceu, estourou e a ferida cicatrizou. Ela cresceu junto com outras elefantas órfãs, Kinna e Mukwaju, e desde então prosperou.

A ONG trabalha em todo o Quénia com Projectos que incluem combate à caça furtiva, protecção segura do ambiente natural, aprimoramento da conscientização da comunidade, tratamento de questões de bem-estar animal, assistência veterinária a animais carentes, resgate e criação manual de órfãos de elefantes e rinocerontes.

Veja o vídeo que emocionou a ONG com Yatta conduzindo um grupo de elefantes:

Fonte: ANDA

FINAL FELIZ Gorila retorna à natureza depois de entrar em santuário de primatas na África

Atraído pelo cheiro de fêmeas resgatadas por ONG localizada nos Camarões, o gorila só estava tentando formar uma família


Gorila Freedom invadiu santuário de primatas em busca de uma fêmea.

A Ape Action África (Acção pelos Grandes Primatas da África), nos Camarões, salva gorilas e chimpanzés dos caçadores que comercializam suas carnes ou vendem os filhotes como animais domésticosNum trabalho inédito da ONG, um gorila da planície que invadiu o santuário pode ser capturado com tranquilizantes e, depois de alguns meses, devolvido à natureza numa região mais segura.

“A Ape Action África se tornou o primeiro santuário nos Camarões a devolver à natureza um gorila da planície ocidental. O retorno de Freedom foi um grande empreendimento. Estamos incrivelmente orgulhosos de nossa equipe e extremamente gratos a todos que trabalharam connosco para alcançar esse sucesso na conservação”, declara a ONG no seu site.

A história de Freedom teve início em Agosto de 2019 quando um dos funcionários da ONG notou um gorila adulto do lado de fora de um dos recintos florestais do santuário. A equipe entrou em estado de emergência.

“O protocolo de fuga foi imediatamente colocado em acção e a equipe se esforçou para identificar o indivíduo que teria fugido de um dos quatro recintos de gorilas. Quando foi relatado que cada um dos 25 gorilas resgatados do santuário continuava em seus grupos, só podíamos pensar que a contagem dos primatas estava errada ou que tinha sido um alarme falso”, esclarece a entidade.

Os gorilas da planície não se reproduzem com parentes. Quando atingem maturidade sexual abandonam sua família e saem em busca de fêmeas em outros grupos.
Mas depois a ONG constatou que um jovem gorila, entre 15 e 17 anos de idade, estava se fato rodeando o santuário: “O solteirão certamente deixou seu grupo natal ao atingir a maturidade sexual para formar seu próprio grupo familiar. Viajando pela floresta em busca de fêmeas, o cheiro das gorilas resgatadas e que estão aos cuidados da Ape Action África o atraiu”.Em 23 anos de trabalho, foi a primeira vez que uma situação desse tipo ocorreu no santuário e a ONG não tinha como saber da onde o gorila era originário. “Infelizmente, o desmatamento em larga escala significa que ele havia entrado em uma área dos Camarões onde os gorilas selvagens não têm mais um habitat seguro. Para a segurança desse macho solitário, bem como das pessoas que moram dentro e ao redor do parque onde fica o santuário, a equipe não teve escolha senão tranquilizar o gorila e protegê-lo em uma de nossas gaiolas satélites vazias”, explica a entidade.O procedimento foi adotado como temporário, pois, o intuito era localizar um lugar seguro para soltar Freedom. A equipe do Ape Action África começou a entrar em contacto com autoridades a fim de obter financiamento para cobrir os enormes custos da operação. O gorila ficou no santuário até que, no início deste mês, finalmente, foi concretizada a acção para sua devolução à natureza. A ONG depende de doações e em seu site há outras histórias emocionantes de primatas. Acesse AQUI

Fátima ChuEcco é jornalista ambientalista e actuante na causa animal

Fonte: ANDA

FINAL FELIZ Homem dirige mais de 4 mil km para salvar cão condenado ao sacrifício

O cachorro que estava condenado a ser morto em um abrigo, foi adotado e se tornou um companheiro do novo tutor.

Um homem viajou mais de quatro mil quilômetros para salvar a vida de um cachorro que havia sido condenado ao sacrifício. O pit bull estava no Animal Care Center, em Nova York, nos Estados Unidos.

Mario Rodriguez não exitou em adotar o cachorro ao saber que ele seria submetido à morte induzida e a distância não foi um empecilho. “Todos na minha família cresceram com esta raça. Eu criei meus filhos com esses cachorros também. Eles são muito amorosos”, disse.

Da Califórnia, onde estava trabalhando, Mario dirigiu até Nova York. A viagem levou dias e, durante o período, o homem ligou repetidas vezes no abrigo para se certificar que o cão estava vivo. As informações, do Zoorprendente, foram divulgadas pelo portal Histórias com Valor.

“Eu liguei para o abrigo todos os dias. No terceiro dia eles até reconheceram meu número. Eles me disseram: ‘sim, Mario. Ainda está aqui. Ele ainda está aqui’”, contou.

Ao chegar no abrigo e encontrar o cachorro, a alegria foi mútua. “Eu disse a ele que estávamos indo para casa e ele começou a abanar o rabo como um louco. Ele pulou e não parava de me dar beijos”, relatou o novo tutor de Hickory, como é chamado o cachorro.

No novo lar, o pit bull se deu muito bem com os outros cães que vivem no local. E além de ganhar uma família e uma casa para viver, Hickory também encontrou um companheiro de aventuras: Mario, que agora leva o cão para acompanhá-lo no trabalho, dando ao pit bull a felicidade de conhecer novos lugares e passear ao lado do tutor.

“Nós sempre paramos em parques e fazendas. Ele está se divertindo como nunca”, disse Mario sobre o cachorro, que tem uma cama só para ele dentro do caminhão do tutor

Fonte: ANDA