Vitória Nepal proíbe ritual tradicional e salva milhares de animais

Foto: Independent/ Reprodução

Aproximadamente 500 mil vidas serão poupadas no Nepal após decisão do templo hinduísta Gadhimai, segundo informações do jornal britânico Independent.

Uma tradicional cerimônia costuma acontecer no distrito de Bara, sul do país, e atrai milhões de peregrinos vindos da Índia e do próprio Nepal, que vinham uma vez a cada cinco anos ao festival Gadhimai para assistir o ritual do assassinato de centenas de milhares de animais.

Os hinduístas faziam os “sacrifícios” para honrar a deusa do poder, Gadhimai. O ritual aconteceu pelo menos nos últimos 265 anos, mas alguns afirmam que data de até quatro séculos atrás.

O festival vem sendo criticado por grupos defensores de animais de todo o mundo. Motilal Prasad, da administração do templo Gadhimai, afirma que os assassinatos deixarão de acontecer. “Decidimos eliminar completamente a prática de sacrificar animais,” contou Prasad à imprensa. “Percebi que os animais são como nós: possuem os mesmos órgãos que nós (…) sentem a mesma dor que sentimos.”

Em 2009, meio milhão de animais, incluindo búfalos, cabras e galinhas, foram assassinados no templo Gadhimai, de acordo com a Humane Society International.

No festival do ano passado, milhões de peregrinos mataram cerca de 200 mil animais, mesmo depois da decisão da Suprema Corte indiana, que proibiu o transporte ilegal de animais pela fronteira com o Nepal, em outubro de 2014.

“Não será fácil eliminar um costume de 400 anos (…) mas temos os próximos quatro anos para convencer as pessoas de que elas não precisam sacrificar animais para louvar a Deusa,” segundo Prasad.

Defensores de animais elogiaram a decisão. “Essa é uma tremenda vitória para a compaixão, salvará as vidas de incontáveis animais. Estávamos desolados com a carnificina em Gadhimai e trabalhamos duro para conseguir essa proibição,” segundo Gauri Maulekhi, da Humane Society.

Até o próximo festival, haverá esforços para educar as pessoas acerca da decisão de eliminar os assassinatos de animais, conta Maulekhi. “O sacrifício de animais é uma prática extremamente retrógrada e nenhuma nação no mundo moderno deve tolerá-la,” acrescenta.

A Animal Welfare Network do Nepal também comemorou. “Claro que estamos muito felizes com a decisão, mas o nosso trabalho continua (…) Precisamos do apoio e da participação do público para garantir que a proibição seja cumprida. Sabemos que as pessoas são vítimas da superstição, então é essencial construir uma conscientização de massa, mas tenho muita esperança de que o festival de 2019 será livre de sangue,” diz Manoj Gautam, da AWN do Nepal.

Fonte: ANDA

Anúncios