CONTEÚDO ANDA Golfinhos e focas são forçados a realizar truques degradantes em parque marinho

Isto, infelizmente, também acontece em Portugal, no Zoo de Lisboa e no Zoo Marine.

Só há um caminho para este tipo de espectáculos; é acabar com eles, seja onde for, pois os golfinhos, focas e também aves e répteis, não são para divertir, o monte de animais-humanos insensíveis, que assistem a estes espectáculos crueis, nas bancadas destes recintos!


Um parque de golfinhos tem sido extremamente criticado por forçar os animais a realizar truques humilhantes e passar as vidas em estreitas piscinas cloradas

Porém, os especialistas do local argumentam que os animais são saudáveis e seus shows ajudam a mantê-los mentalmente sãos. O Dolphin Magic em Coffs Harbour, em Nova Gales do Sul (Australia) explora focas e golfinhos continuamente.

Ben Pearson, do World Animal Protection, está preocupado com a operação do parque marinho e o descreve como extremamente cruel, pedindo que os golfinhos parem de realizar truques diariamente.

“Estes são animais selvagens que são forçados a realizar esses shows, eles devem nadar com pessoas nas costas, abraçá-las e beijá-las, o que é realmente humilhante para esses animais muito inteligentes”, diz.

 

Em uma visita recente ao parque, que tem 11 focas e cinco golfinhos, a equipe do Daily Mail foi convidada para ter “experiências aquáticas”, que cuja prática foi defendida pelo veterinário do local, que alegou que não foram descobertos níveis de estresse nos animais.

Pearson quer que a exploração acabe e também está preocupado com as piscinas, que possuem o tamanho aproximado de uma piscina de um resort e não são suficientemente grandes para os golfinhos.

“Eles são animais extremamente inteligentes que mergulham 100 metros abaixo da superfície e nadam até 100 quilômetros diariamente. Mantê-los nessas piscinas é como manter um humano preso em um banheiro”, aponta.

“Três dos seus golfinhos nasceram em cativeiro, os outros dois foram capturados há muito tempo, quando eram muito jovens. Gostaríamos de ver o Dolphin Magic investigar um santuário marinho para dar mais espaço aos animais”, acrescenta.

A multidão da popular atração turística parecia animada em poder tocar os animais e aguardou para receber o “beijo gratuito”.

Conforme um golfinho saltava da água e fazia giros dramáticos, a maioria das jovens famílias aplaudia cada vez mais.

Pearson não culpa a multidão por querer ver os belos animais. “Estamos tentando aumentar a conscientização sobre esses locais e como é cruel ter animais realizando truques e vivendo em tanques rasos. Compreendo perfeitamente que quando você entra e os vê, eles parecem felizes e provavelmente não parecem maltratados”, declara.

Duan March, o veterinário do parque, disse que a felicidade não pode ser exatamente mensurada e que os animais não exibem o “comportamento da depressão típica”.

O parque já havia sido criticado devido ao tamanho das piscinas de golfinhos. Em 2015, um anúncio foi colocado na parte de trás de um ônibus, mostrando um golfinho preso em um aquário e pedindo que o parque mudasse sua forma de lidar com os animais populares.

Fonte: ANDA

 

 

 

Anúncios