Disse e repito

Os forcados são cobardes. Aliás, não são só cobardes. São os mais cobardes, entre os cobardes tauromáquicos.

Só cobardes enfrentam um ser sensível que está a sofrer inenarravelmente. Só cobardes enfrentam um ser sensível que está mais morto do que vivo.

Se os cobardes dos forcados fossem os valentes que se apelidam, recusariam enfrentar um touro moribundo. Se os cobardes dos forcados fossem os valentes que se apelidam, só aceitariam pegar os touros que tivessem as suas faculdades físicas e psicológicas absolutamente intactas!

Mário Amorim

Anúncios