DESOLADOR Austrália registra recorde de extinção de animais após perda de quase 30 mamíferos em uma década

A Austrália está no meio de uma crise de extinção e perdeu mais mamíferos do que qualquer outro país do mundo, segundo um novo relatório

Existe o receio de que mais animais sejam extintos, incluindo um dos animais nativos mais icônicos do país: o coala. Muitas das 29 extinções ocorreram na última década e o país perdeu três vertebrados, um morcego, um marsupial e um lagarto desde 2009, apontou o relatório Australian Conservation Foundation.

“Porém, com toda a sua beleza natural, a triste realidade é que a Austrália lidera a extinção no mundo. Possui o maior número de mamíferos declarados extintos desde a chegada dos europeus, com 29 mamíferos perdidos para sempre. Para contextualizar isso, os Estados Unidos perderam um único mamífero até a extinção, pois os europeus chegaram ali”, afirma o relatório.

O documentou informou que a principal ameaça para a vida selvagem e os ecossistemas australianos ainda é destruição e a perda de habitat.

A Austrália possui 1907 espécies e comunidades ecológicas listadas como ameaçadas de acordo com a legislação nacional. “A lista inclui desde insetos, sapos, peixes e plantas pouco conhecidos até espécies icônicas, como o coala, casuar e o Gymnobelideus leadbeateri”, afirma o relatório.

O ativista de ecossistemas saudáveis da ACF, Jess Abrahams, culpa o fracasso do governo federal em proteger os habitats críticos. “Nossa pesquisa revela como as leis existentes da Austrália têm falhado em muitas frentes. Nossa lei atual oferece proteção claramente inadequada para evitar a destruição do habitat crítico. Sem proteções apropriadas, espécies amadas como o Gymnobelideus leadbeateri podem ser extintas em alguns anos. Se quisermos proteger nossas espécies nativas, precisamos corrigir essas leis e devemos fazer isso agora”, ressalta.

O registro nacional de habitat crítico da Austrália protege apenas cinco lugares como habitats críticos. “Considerando o imediatismo das ameaças aos animais selvagens ameaçados, é ridículo que nenhum habitat crítico tenha sido listado para qualquer espécie desde 2005. Nossa legislação atual oferece proteção evidentemente inadequada para evitar a destruição do habitat crítico. Está sujeita a caprichos políticos dos ministros”, disse Abrahams.

O relatório alertou que, se o governo deixar de proteger os habitats críticos, a Austrália descumprirá suas obrigações internacionais de proteger a natureza. Foram feitas recomendações que incluem a adoção de novas leis ambientais nacionais, um novo registro nacional de habitat crítico e uma agência ambiental independente.

O relatório também pediu a criação de um fundo anual de espécies ameaçadas de US$ 200 milhões para auxiliar diretamente os planos de recuperação desses animais.

“A Austrália, como uma das poucas nações desenvolvidas megadiversas no mundo, deve passar de um atraso global para uma líder quando se trata da proteção da biodiversidade. A incapacidade de alterar o caminho da nossa atual crise de extinção resultará em desastre para a nossa vida selvagem emblemática, deixará as gerações futuras mais pobres e a Austrália como uma vergonha global”, concluiu o relatório.

Fonte: ANDA

Anúncios