conteúdo anda Denúncia: Orcas do Seaworld agridem umas às outras por estresse

orca-ferida

Parece que a violência no SeaWorld ainda está longe de acabar.

A convidada do Seaworld Ashley Miller foi a um show da baleia Shamu no sábado e viu mais do que gostaria. A apresentação incluiu duas jovens orcas – as gêmeas Sakari e Kamea – que demonstraram não estar nem um pouco interessadas em participar do “espetáculo”.

“Esperavam delas que fizessem vários truques, mas as duas decidiram que preferiam brincar ao invés de obedecer ordens,” contou Miller ao The Dodo. “De repente elas ficaram entediadas e começaram a brigar, atingindo uma à outra de forma violenta.”

“Foi ficando cada vez mais agressivo, mas os treinadores apenas deram risada e disseram que estavam brincando e não fizeram nada para impedir,” relatou.

Até que as duas baleias desapareceram da superfície e continuaram as agressões. Quando emergiram novamente, Sakari estava com o queixo sangrando.

Foto: Reprodução/Ashley Miller

“Não sei dizer se ela foi mordida ou bateu na parede, mas imediatamente o treinador tentou esconder o que estava acontecendo,”explicou Miller.

As fotos provam que Sakari estava realmente ferida, apesar dos esforços da equipe para omitir a crueldade.

No mês passado o SeaWorld anunciou que deixaria de criar orcas para explorar em seus shows, mas a nova polêmica é se a geração de baleias atual será enfim libertada do cativeiro – e de episódios violentos como esse.

O SeaWorld admitiu que Sakari se machucou, mas providenciou cuidados veterinários e alegou que ela já está se recuperando. “É normal que as orcas causem pequenos ferimentos umas às outras,” declarou a diretora Aimée Jeansonne Becka.

Mas vários especialistas já disseram ao The Dodo que as brigas entre orcas não são normais na natureza. As baleias presas no SeaWorld estão confinadas em tanques minúsculos em comparação ao seu habitat e vivem sob intenso estresse, tendo como consequência o aumento da violência entre os animais.

E os incidentes vão muito além de arranhões. Dr. Heather Rally, um veterinário especializado em animais marinhos e afiliado ao PETA, já relatou ter visto orcas com grandes marcas de mordidas quando visitou o SeaWorld.

Há até mesmo episódios fatais. Em 1989 uma orca chamada Kandu quebrou sua jaula violentamente, teve um rompimento arterial e morreu de hemorragia na frente do seu filhote.

Enquanto o SeaWorld insistir em manter orcas aprisionadas em seus tanques, a violência vai continuar. Infelizmente, os direitos animais estão bem distantes dos valores do parque, assim como qualquer estabelecimento que lucra em função da exploração animal.

Fonte: ANDA

Anúncios